Emissora negou

Bolsonaro fez pedido especial para sabatina e levou não da Globo

Presidente queria condição especial para participar de sabatina


Bolsonaro e logo da Globo em montagem
Bolsonaro levou não da Globo - Foto: Montagem

O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez um pedido especial à Globo para participar da sabatina do Jornal Nacional. O candidato solicitou que a entrevista com William Bonner e Renata Vasconcellos não acontecesse na bancada do programa, mas nas dependências do Palácio do Planalto. A emissora negou a sugestão e explicou que, pelas regras, não poderia atender. Em 2006, quando Luiz Inácio Lula da Silva (PT) era presidente e tentava a reeleição e em 2014, na vez de Dilma Rousseff (PT), o canal topou.

Segundo o colunista Igor Gadelha, do Metrópoles, a campanha presidencial solicitou que a entrevista fosse feita nos moldes da que aconteceu com Lula e Dilma, já que ele também é presidente. A emissora sinalizou de forma negativa e explicou ao presidente que as regras para a sabatina de 20222 são diferentes. A emissora soltou nota confirmando.  "Em decisão tomada em 2014, logo após as eleições, a Globo definiu que todas as entrevistas em anos eleitorais seriam feitas em seus estúdios. A medida buscou demonstrar que todos os candidatos são tratados em igualdade de condições".

O NaTelinha entrou em contato com aliados de Bolsonaro e eles confirmaram a versão. O candidato, inclusive, teria ficado contrariado por se sentir desprestigiado pela direção de jornalismo da Globo. Durante a tarde, segundo fontes confidenciaram à reportagem, o clima chegou a esquentar entre as partes, após a campanha seguir com uma série de pedidos negados, como transmitir a sabatina nas redes sociais do candidato.

Bolsonaro vai à sabatina

imagem-texto

Mesmo assim, o coordenador da campanha de Bolsonaro, o filho dele e senador Flávio Bolsonaro (PL), confirmou nas redes sociais na noite desta quinta-feira (04), que o pai estará na bancada do Jornal Nacional. O prazo final para resposta seria até o fim da noite desta quinta e a expectativa era de que o presidente não aceitaria o convite, mas as conversas evoluíram e houve reviravolta.

Agora, o compasso de espera está em Lula. O líder da pesquisa Datafolha ainda não confirmou presença na bancada do JN e ainda se movimentou para esvaziar o jornal. Ele conseguiu que André Janones (Avante) retirasse sua candidatura para apoiá-lo, mesmo depois de ter sido convidado para ser entrevistado no programa, o que pode deixar um buraco no calendário.

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
Mais Notícias