Marcela Ribeiro
Reportar erro
Vai fazer falta

Marília Mendonça mostrou empatia ao provar que sofrência feminina dói e pode ser superada

Cantora morreu aos 26 anos em um acidente de avião em Minas Gerais, que fez mais quatro vítimas fatais

Marília Mendonça com os cabelos soltos e de pé, segurando o microfone e com os braços cruzados
Marília Mendonça morreu aos 26 anos e deixou milhares de fãs órfãos - Reprodução/Instagram
Marcela Ribeiro

Publicado em 07/11/2021 às 09:51:00,
atualizado em 08/11/2021 às 12:04:17

Marília Mendonça morreu aos 26 anos na última sexta-feira (5) em um acidente aéreo que fez mais quatro vítimas: o produtor Henrique Ribeiro, o tio, que era assessor Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto e o copiloto. O impacto da morte dela, uma artista que já ultrapassava o auge do sucesso em um ritmo, que até poucos anos atrás era dominado por homens, choca milhões de fãs e deixa um vazio, ainda inacreditável. Ela foi a principal artista a tornar o "feminejo" um fenômeno nacional.

Ela quebrou barreiras, cantou letras de sofrência, traições, ciúmes, falava de assuntos, infelizmente, constantes no universo feminino, mas ela foi muito mais que uma artista e compositora de letras-chicletes, fáceis de decorar. Marília mostrava a força e sensibilidade feminina em sua voz, Marília falava de superação, empatia e cantava sobre assuntos que a gente já se identificou em algum momento da vida. Ela nos incentivava a "virar a chave" e seguir em frente após uma decepção amorosa. Ela não tinha medo de falar de saudade e de sofrimento. Quando compôs músicas para homens, explicou como fazia as escolhas.

"A música Cuida Bem Dela é uma história que queria ouvir de alguém um dia. A música É Com Ela Que Estou, do nosso Cristiano Araújo, que compus, é uma música que as mulheres têm um sonho de ouvir os homens falando. Sempre utilizei dessa influência feminina para ouvir os homens cantando o que queria escutar", disse ela em entrevista ao Cifra Club.

Sem perceber, ela demonstrava sensibilidade nas canções e, ao mesmo tempo, mostrava firmeza e uma vontade de vingança quando descobria uma traição e conseguia dar a volta por cima, por exemplo.

Em entrevista ao Conversa com Bial, em fevereiro deste ano, Marília falou sobre as dificuldades de viver num cenário sem perspectivas no meio da pandemia e como se reinventou no período, o que lhe fez a artista mais ouvida no Brasil em 2020, ter a live mais vista do mundo no mesmo ano e se tornar a artista mais bem paga da música nacional. A ideia dela era viajar pelo Brasil  em 2022 com o projeto Patroas com Maiara e Maraisa e retomar o sucesso da turnê Todos os Cantos, viajando pelo país.

"Estou esperando tudo isso passar para reformular o projeto Todos os Cantos. A gente aprendeu em 2020 que a pressa é inimiga da perfeição", disse.

A cantora falou ainda que estava cuidando da saúde física e mental desde 2020: "Estou numa fase de cuidar da saúde mental. Tinha preconceito de ir a um psicólogo, terapeuta, foi bom para mim essa parte".

Marília Mendonça transmitia alegria e empolgava público nos seus shows

Tive a oportunidade de assistir um único show de Marília Mendonça no Rio de Janeiro em 2019, quando ela estava grávida de Leo, seu filho, que deixou com 1 ano e 11 meses - e certamente crescerá orgulhoso da mamãe talentosa que teve. Mesmo com barrigão e problemas da gestação que causaram inchaço nas pernas e a afastaram um tempo das apresentações, Marília mostrou uma presença de palco incrível!

"As minhas músicas são histórias e a gente aprende muito mais com a vida, tendo exemplos, do que com lição de moral. Não faço música só na parte comercial, faço pensando no que acredito", contou ela.

Bom humor, risada, lamentações por não poder beber cachaça durante o show por conta da gravidez, brincadeiras com sua equipe, gesto de "chifrinho" com as mãos ao cantar Infiel, Supera ou Não Casa Não. Despojada e bem à vontade, Marília tirou o salto alto no meio do palco para ficar confortável, cantou descalça e interagia com centenas de fãs.

Ela era uma artista grata aos fãs, sempre lembrava que eles a ajudaram a construir seu sonhos quando ainda era uma menina. Com apenas 20 anos, Marília Mendonça gravou seu primeiro DVD, conquistou o Brasil e ganhou o título de "Rainha da Sofrência". No dia da sua morte, lançou o clipe da música Fã Clube, em parceria com Maiara e Maraisa, que fazia parte do projeto Patroas.

Ela se foi, mas deixa um legado de músicas incríveis, uma voz marcante e inesquecível e uma grande inspiração para milhares de meninas que sonham em fazer sucesso com a música ou em outra carreira! Sigamos! Obrigada, Marília!



Acompanhe a TV NaTelinha no YouTube

Resumos de novelas, entrevistas exclusivas, bastidores da televisão, famosos, opiniões, lives e muito mais!

Inscreva-se