Marcela Ribeiro
Reportar erro
Estourado no Spotify

"É o ano da minha vida", diz John Amplificado, no topo do Spotify com Chega e Senta

Cantor acaba de lançar a nova música Replay e espera repetir sucesso após hit viralizar com vídeo do cantor Henrique

O cantor Henrique ao lado de John Amplificado e o artista de Chega e Senta com camisa estampada e os braços cruzados
John Amplificado viralizou com Chega e Senta após vídeo descontraído do cantor Henrique mexer com imaginário feminino - Reprodução/Instagram
Marcela Ribeiro

Publicado em 19/09/2021 às 07:33:52

Um vídeo descontraído do cantor Henrique (da dupla com Juliano) viralizou há algumas semanas nas redes sociais. Nas imagens, ele aparece sentado em uma mesa de bar, com um cigarro na mão, fazendo caras e bocas enquanto cantar um trecho de Chega e Senta, sucesso do cantor John Amplificado.

A imagem parece ter mexido com o imaginário feminino: vários vídeos de mulheres distraídas pensando na cena lotaram o Reels do Instagram recentemente. O sertanejo não imaginava, mas foi graças a esse vídeo que a música rapidamente virou trend do Tik Tok e Instagram e chegou ao topo do Spotify Brasil e Deezer. Há algumas semanas, o sucesso não sai do top 5 do streaming.

"Posso dizer que esse é o ano da minha vida. Hoje eu vivo viajando, não paro em casa mais, mudou muita coisa para a melhor. Imaginei que o vídeo ajudasse a divulgar a música sim, até porque era Henrique e Juliano cantando, mas nunca imaginei que iria viralizar e tomar essa proporção. Não foi nada planejado. A partir dele, outros artistas começaram a gravar cantando, dançando e fazendo trends engraçadas".

No Youtube, o clipe de Chega e Senta está com mais de 29 milhões de visualizações e, agora, além de Henrique, Wesley Safadão já cantou o sucesso e GKay gravou a trend que viralizou nas redes sociais. John, que mudou seu nome artístico depois que foi contratado pelo Workshow, escritório que cuida da carreira de Marília Mendonça, Maiara e Maraisa, Zé Neto e Cristiano, Henrique e Juliano, dentre outros nomes de peso do sertanejo, começou a cantar com 14 anos de idade, tem 11 anos de carreira e diz que não imagina sua vida sem música.

"Não tenho músico na família. Acho que já nasci cantor, não lembro do começo da minha infância sem música, sempre gostei. Essa vontade de virar cantor surgiu em mim naturalmente. Minha família me apoiou demais, claro que no início é meio complicado, a gente não sabe por onde começar".

Na última quinta-feira (16), John lançou um novo hit: Replay, sobre um amor não correspondido, e espera repetir o sucesso de Chega e Senta. "É uma música muito animada, empolgante, viciante, espero que a galera goste bastante. Meus planos para 2022 são, se Deus quiser, fazer muitos shows no Brasil e lançar mais músicas. Estou muito feliz e empolgado para que as pessoas conheçam um pouco mais do John Amplificado".

John Amplificado diz que piseiro é um fenômeno que aconteceu no Brasil

Durante esses dois anos de pandemia, é inegável que artistas do piseiro, uma vertente do forró ganharam destaque nacional. Se antes, artistas como Zé Vaqueiro e João Gomes, estavam limitados às regiões do Nordeste, hoje já tomaram conta de todas as regiões e, não é â toa, que com a volta da agenda de shows para 2022, exista uma procura grande para as apresentações destes artistas no sudeste, principalmente, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

"Acredito que o piseiro é um fenômeno que aconteceu no Brasil durante essa pandemia. É um ritmo que as pessoas se identificaram, acredito que é duradouro. O diferencial das músicas nordestinas, é que elas são mais comerciais, mais simples em termo de letras, mas muito empolgantes e viciantes, talvez esse seja o tempero que faça virar tanto sucesso."

Enquanto alguns artistas aproveitaram convites para realities shows para divulgar seus trabalhos, como foi o caso de Rodolffo, no BBB 21, e Mariano, em A Fazenda 12, John nunca imaginou usar a mesma estratégia. "Acho que agora eu não faria, mas quem sabe? Sou aberto a novas experiências. Se eu participasse, tentaria ser verdadeiro, não iria criar um personagem, até porque acho que isso nunca funcionou".