Daniel César
Reportar erro
TVxTV

Atuação da Semana: Em 'papel repetido', Letícia Sabatella enche a tela dom emoção

Atriz vem brilhando em seu trabalho na novela

Cena de Nos Tempos do Imperador com Tereza Cristina, de Letícia Sabatella, sentada e triste
Na novela Nos Tempos do Imperador, Letícia Sabatella da vida a Tereza Cristina - Foto: Reprodução/Globoplay
Daniel César

Publicado em 19/09/2021 às 09:00:48

Na novela Nos Tempos do Imperador, o público pode acompanhar o sofrimento da imperatriz Tereza Cristina diante da solidão e da insegurança. Letícia Sabatella parece estar vivendo a mesma personagem já interpretada por ela em outros momentos, mas a atriz o faz com emoção plena e cheia de cuidados, entregando grande carga dramática e convencendo em cena, mesmo diante de uma mulher que parece muito mais frágil na comparação com as outras da história criada por Alessandro Marson e Thereza Falcão para a faixa das 18h da Globo.

Desde que soube do caso que Dom Pedro II (Selton Mello) vem tendo com Luísa (Mariana Ximenes), a condessa de Barral, a insegurança da esposa passou a falar mais alto e ela vem agindo, em alguns momentos, feito uma colegial. A insegurança da mulher, que não abre de viver para a família, mesmo diante das adversidades, não chega a ser novidade para Sabatella. Ela já fez papéis semelhantes - para não dizer idênticos - e um deles foi em Sangue Bom (2013), quando deu vida à doce, sonhadora e inocente Verônica.

Ainda é cedo para saber se tal qual a empresária da novela das 19h, a imperatriz sofrerá grande mutação - o mais provável é que não - mas, em Nos Tempos do Imperador, Letícia Sabatella tem um desafio ainda maior ao interpretar a mulher subalterna e que aceita até a traição do marido. Ela interpreta ombro a ombro com personagens muito mais fortes, como a própria Luísa e, principalmente, Pilar (Gabriela Medvedovski), ambas à frente de seu tempo e que são feministas e independentes.

Mas, se o desafio era viver uma mulher assim, Sabatella sabe como poucas e optou por entregar sofrimento na tela. Raramente há uma cena em que Tereza parece estar, de fato, feliz. Ao contrário, na maior parte das vezes, a personagem mostra um olhar triste, quase deprimido, de quem tem tudo às mãos, menos a capacidade de encontrar a felicidade para si ao lado do homem que ama e das filhas, já que ela não consegue ter sequer o respeito das adolescentes.

Atuação da Semana: Em

É bem verdade que, como quase todos os personagens, falta à imperatriz situações dramáticas mais adultas, já que ela é colocada em sequências que parecem de dramas adolescentes - talvez pelo horário da novela. Mesmo assim, um olhar mais atento à camada da personagem é possível encontrar o sofrimento latente em suas atitudes e Sabatella dá dicas preciosas ao público em sua interpretação com o âmago e cheia de dor de sofrimento.

A Tereza Cristina emprestada por Letícia Sabatella é muito mais que a imperatriz do Brasil e muito mais que uma mulher que aceita a traição do marido. Ela é uma típica mocinha de novela dos anos 90, que é passiva em relação aos acontecimentos e que somente se entrega ao sofrimento, mas graças a atriz, ela passa longe de ser cansativa porque a tristeza é um estado de espírito. Não se trata de enxergá-la 'morta' diante das sequências, já que ela raramente reage. Mas o tom da interpretação da credibilidade: ela não reage porque não tem forças.

Interpretar uma pessoa que, de fato, existiu não é tarefa fácil. Outro ponto para a composição de Sabatella, que parece se ater mais aos elementos cênicos do que com a intenção de ser uma sombra da imperatriz real. Com isso, a credibilidade da personagem aumenta e a garantia de que ela domina cada cena em que se faz presente.




Mais Notícias