Antenado

Maisa estreia no SBT mostrando ser sacode que as tardes de sábado da TV precisavam

"Programa da Maisa" liderou audiência e movimentou as redes sociais neste sábado

Maisa em seu programa no SBT
Fotos: Reprodução
Foto do Colunista / Jornalista

Gabriel Vaquer
i

Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer é repórter de TV e entretenimento desde 2012. Estudou jornalismo na Unit e FMU. Além do NaTelinha, trabalha como colaborador no UOL Esporte. Converse com ele. E-mail: gabrielvaquer@uol.com.br / Twitter: @bielvaquer

Publicado em 16/03/2019 às 16:15:13

Neste sábado (16), depois de muita expectativa e uma boa divulgação, o SBT estreou o aguardado "Programa do Maisa", atração solo de Maisa Silva. E quem assistiu notou três fatos principais, que valem a pena ser ditos nesta análise de início.

O primeiro ponto é a boa criatividade da equipe de Maisa. A abertura com a jovem apresentadora pegando um carro com Oscar Filho foi bem divertida. Além disso, as esquetes no meio do bate-papo também merecem elogios.

Na primeira, misturaram "Carrossel", "Chiquititas" e até mesmo "Poliana" deu as caras. Foi impagável assistir o ex-"CQC" vestido de professora Helena. A intervenção de Sophia Valverde foi bem sacada.

O estúdio do programa ficou bem feito e aconchegante, cheio de cores e com uma linguagem moderna. A escolha de Oscar Filho para ser uma espécie de escada foi praticamente perfeita, já que ele tem um humor mais tranquilo e condizente com o tom de Maisa.

Falando da apresentadora em si, é chover no molhado. Cheia de carisma, conduzindo a atração no tom certo, brincando com os convidados e conseguindo tornar tudo muito natural para todos os públicos.

Uma boa ideia foi também colocar Matheus Ceará para reponder haters, sem contar o momento bem nonsense de ter um campeonato de jokenpô entre heróis, que arrancou risadas.

O programa de Maisa não é exatamente original no conteúdo. Misturar esquetes com conteúdo de palco é normal em talk-show. O tom dele e da edição lembraram o antigo "Casa da Angélica", atração da loira no SBT nos anos 90.

Um ponto em que a atração pode melhorar ainda, e que não ficou totalmente redondo, é na edição. A ideia de colocar linguagem de internet na TV, mas sendo popular e abrangente, é boa, mas teve algumas falhas de continuidade. É o ponto a se ver nas próximas semanas.

O grande momento foi quando Maisa citou a tragédia de Suzano e falou sobre paz, mandando um recado direto para seu público. A jovem mostrou-se relevante sabendo muito bem o seu papel como comunicadora, coisa que muito apresentador não tem ideia. Apresentador não pode ser alheio à realidade, e ela mostrou que não é.

O fato é que o "Programa da Maisa" é tudo o que faltava nas tardes de sábado na TV: abrangente, com linguagem moderna, carismático e cheio de vida. Até a semana passada, a TV na tarde de sábado era morta.

Agora, depois de anos, temos uma atração bem interessante para ver, e não à toa foi líder de audiência. Dentro do que se esperava, a estreia do programa próprio de Maisa Silva não poderia ser melhor.

Globo e Record vão precisar correr atrás. Uma nova pedra no sapato chegou.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!