Análise

Escalação de Maju para o "JN" consagra planejamento perfeito da Globo para sua carreira

Maju vai comandar JN
Divulgação

Publicado em 13/02/2019 às 16:55:00

Por: Gabriel Vaquer

A grande notícia desta quarta-feira (13) foi a efetivação de Maria Júlia Coutinho para o rodízio do "Jornal Nacional", a partir do próximo sábado (16). Será a primeira mulher negra a comandar o principal telejornal do Brasil.

A despeito do fato histórico que acontecerá, a estreia de Maju chega no momento certo e comprova como a Globo sabe fazer um grande planejamento de carreira para quem acredita ter potencial no futuro.

Quando assumiu a previsão do tempo do "JN", em 2015, Maria Júlia já fazia uma dupla campeã com Monalisa Perrone no "Hora 1". As duas são as expoentes da linguagem informal que tomou conta dos jornais nacionais da Globo desde o fim de 2014.

A ida de Maju para o "JN" foi, de início, cercada de estranhamento. Os mais tradicionais chiaram, mas o fato é que Maju criou um tipo de apresentação tão único e tão diferente para um padrão criado faz tanto tempo, e sem inovações, que a quebra que Maju fazia era impressionante.

Rapidamente, começaram a pedi-la em um jornal fixamente. Primeiro, a Globo escalou ela para os plantões do "Jornal Hoje" aos sábados. E quem acompanhava com frequência suas apresentações no primeiros meses desse rodízio, no segundo semestre de 2017, principalmente, notava que Maju ainda não estava pronta para voos maiores.

Tanto não estava, que a própria reconheceu isso em entrevistas. Achava tudo cedo demais, ainda tinha espaço para crescer. De fato, era isto: eu mesmo achava que, dois anos atrás, uma promoção de Maju só prejudicaria ela, porque ela não estava 100% pronta para a missão.

Em 2018, notoriamente ela já estava mais madura, mas precisava-se de uma prova disso. A prova veio: Maju foi brilhante no comando do plantão da Globo para sobre a cobertura da tragédia de Brumadinho. Serena, calma, incisiva quando precisou e muito firme no comando.

Era natural que Maju fosse para o "JN". Depois de Brumadinho, todo mundo sentia que rolaria, só não sabia quando. Por sorte, foi rápido. Tenho a impressão que a Globo planejou todos esses passos, e convenhamos, planejou bem demais.

Maju ascende por merecimento e competencia, além de ter um carisma enorme. Tenho certeza que não irá tardar para ela apresentar um jornal próprio na emissora, assim que um espaço para isso aparecer.

Gabriel Vaquer escreve sobre mídia há vários anos e está de volta ao NaTelinha. Além da "Antenado", faz reportagens especiais sobre a TV brasileira. Também é colaborador do UOL Esporte. Converse com ele. E-mail: gabrielvaquer@uol.com.br / Twitter: @bielvaquer


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!