Reportar erro
Canal Like

Retrato de Uma Jovem em Chamas, filme marcado por uma relação profissional e artística

Retrato de Uma Jovem em Chamas
Retrato de Uma Jovem em Chamas

Publicado em 05/09/2020 às 13:54:14

Você com certeza já escutou a frase “a arte imita a vida”, quase sempre acompanhada pelo seu reverso “a vida imita a arte”. Em Retrato de uma Jovem em Chamas essa frase é desconstruída, escancarada, e desnuda no meio da sala de estar. O filme se passa em uma ilha isolada na Bretanha no século 18. Marianne é uma jovem pintora que recebe uma missão misteriosa. Ela tem que ir para uma casa em um penhasco longe da civilização, e pintar o retrato da jovem Heloise.

Encomendado pela mãe da Jovem, o retrato tem os seus propósitos escusos, que Heloise não sabe ao certo. As coisas começam a ficar esquisitas quando Marianne descobre que ela não é a primeira a tentar pintar o retrato da jovem.

Retrato de Uma Jovem em Chamas ganhou o prêmio de melhor roteiro em Cannes, e também levou a palma Queer, um prêmio exclusivamente dedicado aos filmes com temática LGBT. Céline Sciamma, a diretora do filme, é a primeira mulher a levar a Palma Queer para casa.

Retrato de Uma Jovem em Chamas, filme marcado por uma relação profissional e artística

Algumas pessoas compararam Jovem em Chamas com Me Chame Pelo Seu Nome e realmente, os filmes têm alguns paralelos. O casal titular se descobrindo e descobrindo o amor, temporariamente protegidos da opressão do mundo por lindas paisagens Europeias.

Mas Retrato de Uma Jovem em Chamas é um filme que é marcado por uma relação profissional e artística. O entrelace e o drama é maior. Esquece aquele pique-pega angustiante de “Me Chame Pelo Seu Nome”. Heloise e Marianne são duas mulheres fortes, com ideias claras e, algumas vezes, conflitantes. O filme é fruto de uma colaboração de anos entre a diretora do filme, Celine Sciamma, e a atriz que interpreta a Heloise, a Adele Haénel. Ex-companheiras, mas eternas colaboradoras artísticas.

Com Retrato de Uma Jovem em Chamas nós entendemos que não é que a “arte imita a vida” ou “a vida imita arte” - mas que os melhores momentos dos dois não são tão diferentes assim: nós estamos prestando atenção, vulneráveis e perdidamente apaixonados.

Disponível no NOW da Claro.

Mais Notícias