Canal Like

Missão no Mar Vermelho

Missão no Mar Vermelho
Missão no Mar Vermelho está disponível na Netflix

Publicado em 07/02/2020 às 13:17:43

Por: Canal Like

Nos últimos anos o número de refugiados no mundo tem aumentado bastante. Dezenas de milhões de pessoas são obrigadas a deixarem as suas casas e a companhia da família para viverem em outro país, onde se sintam seguros ou menos ameaçados.

Missão no Mar Vermelho leva para a tela do cinema um fato real que aconteceu na África, durante os anos 1980. E o diretor e roteirista Gideon Raff, criador da série Homeland, transporta o público para o começo da década.

Lá estamos nós, em plena Etiópia, tomada por uma onda de genocídios internos. Entre as vítimas estão os judeus etíopes, mas um grupo pequeno deles consegue se salvar graças à intervenção de um agente do serviço secreto israelense. O nome dele é Ari Levinson, papel de Chris Evans, o Capitão América dos filmes da Marvel.

Os refugiados são mantidos em um campo no Sudão, país vizinho de maioria muçulmana. Só que ali os judeus ficam submetidos às leis de Sharia, baseadas no Alcorão, que é o livro sagrado do islamismo. Pior, eles são controlados pelo governo local que tem um único interesse: o dinheiro que a ONU envia por cada refugiado.

Quando Ari Levinson se toca que tirou os caras de uma situação ruim para colocar numa pior, ele fica doido. Também não mede esforços para mudar o rumo da história, mesmo que isso custe a sua própria vida. E adivinha o que está separando esse grupo de judeus da sua Terra Prometida, a cidade de Jerusalém? Isso aí: o Mar Vermelho do título do filme.

Chris Evans não está sozinho na missão. Ele tem a companhia de um elenco de peso que inclui Haley Bennett, de Sete Homens e um Destino; Ben Kingsley, de Casa de Areia e Névoa; e Greg Kinnear, de Melhor é Impossível. Todos eles interpretando algum personagem relevante para a narrativa.

A trama propõe uma releitura da passagem bíblica em que Moisés recebe a tarefa divina de libertar o povo hebreu da escravidão no Egito e levar até Jerusalém. No trajeto, eles atravessam o deserto e o Mar Vermelho, na célebre sequência imortalizada no cinema pelo clássico de Cecil B De Mille.

O verdadeiro resort abandonado, para onde os refugiadas eram conduzidos no longa da Netflix, ficava a cerca de 70 quilômetros do Porto Sudão. Durante seis meses ele foi administrado pelos agentes da inteligência de Israel.

Se você espera um estudo sociológico, tem outras opções para o seu perfil. Por outro lado, se você se interessou pela história verdadeira e ainda quer um pouco de escapismo, cai dentro.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!