Canal Like

Como surgiu a franquia de Uma Aventura Lego

Como surgiu a franquia de Uma Aventura Lego
Uma Aventura Lego - Divulgação

Publicado em 08/12/2019 às 14:31:25

Por: Canal Like

Eu duvido que você nunca se pegou montando e desmontando pecinhas na companhia de um filho, sobrinho ou qualquer outra criança. E se além de fã de Lego, você ainda gosta de animação, tem uma franquia perfeita te esperando.

Só que essa ideia de fazer animação com peças de montar não começou em 2014, não, quando o primeiro filme chegou nas salas de cinema. Já existia até um termo para produções assim: brickfilm.

O primeiro brickfilm de que se tem notícia é o curta-metragem amador de seis minutos chamado Viagem a Lua, de 1973, realizado por duas crianças.

A própria fabricante do Lego lançou uma série de comerciais com os seus bonequinhos em movimento.

E antes da franquia estourar nas salas de cinema, a ideia tinha se tornado um sucesso nos videogames.

Foram milhões de jogos eletrônicos vendidos graças a uma proposta que também explica a ótima bilheteria dos filmes. Nunca tenha medo de fazer comédia com ícones consagrados!

Uma Aventura Lego, o original, apresentou os personagens principais, que também aparecem na continuação.

Emmet Brickowski é empregado da construtora dona dos direitos de todo o universo Lego. Ele tem a companhia do par romântico Lucy e de amigos, como o engraçado Batman.

O Emmeté o típico funcionário padrão e vive feliz, seguindo as instruções do manual. Até o dia em que ele é confundido com o Mestre Construtor, o grande criador do mundo de brinquedo. Isso porque ele encontrou a famosa peça de resistência, procurada há séculos. A peça é a única capaz de desarmar a máquina do Senhor Negócios, que vai congelar os habitantes e acabar com as misturas indesejadas entre eles.

A premissa é super simples e fácil da gente se conectar com ela. Atire a primeira peça de Lego quem nunca quis construir aquilo que bem entendesse.

E o público correspondeu, porque o longa infanto-juvenil também agradou muito os adultos. Além de ter recebido críticas bem positivas da imprensa especializada.

E aí, o que você acha? Tá ficando interessante, né? Sabe o que também é interessante? Uma Aventura Lego 2, que mantém o nível de diversão lá nas alturas.

Phil Lord e Christopher Miller, a dupla de diretores do primeiro filme, retorna nessa sequência como produtores e roteiristas.

Quem assume a direção é o experiente animador Mike Mitchell, de Trolls, Alvin e os Esquilos 3 e Shrek Para Sempre.

A trama acontece cinco anos depois e a cidade de Bricksburg agora está em frangalhos. No meio da desordem, Emmet é o único que consegue ser fofo e sonhar com o futuro ao lado de Lucy.

Os planos de Emmet são interrompidos com a visita da General Caos, uma alienígena a serviço da Rainha Tudo-O-Que-Eu-Quiser-Ser.

Lucy e outros habitantes de Bricksburg são raptados. Ou seja, o medroso Emmet precisa viajar para outra galáxia e resgatar a amada com a ajuda do guerreiro destemido Rex Perigoso.

Eis a primeira aventura Lego com uma antagonista mulher. E o roteiro abre espaço para várias piadas sobre a igualdade de gênero.

A proposta de misturar os brinquedos dos irmãos Finn e Bianca nas sequências de live action é bem bacana. É assim que Emmet, Lucy e o Batman se juntam com bloco coloridos e cheios de gliter.

A personagem General Caos, por exemplo, é baseada na linha de mini bonecas Lego Friends. Outro personagem que se destaca é Rex Perigoso, interpretado no original pelo ator Chris Pratt. Até mais ou menos a metade da estória, Rex Perigoso assume a função de mentor de Emmet. E se apresenta ao público como um arqueólogo defensor da galáxia, cowboy e treinador de raptores.

Para quem ainda não se lembrou, essa é uma referência divertida aos papeis que o dublador Chris Pratt interpretou no cinema. Ele foi o Senhor das Estrelas de Guardiões da Galáxia, o cowboy Josh Farady do remake de Sete Homens e um Destino e o treinador dos raptores Owen Grady, de Jurassic World.

Uma Aventura Lego 2 tem um ritmo acelerado que desacelera na hora das canções hilárias com referências da cultura geek. As músicas, por sinal, funcionam tanto no original quanto nas excelentes versões em português, com menção honrosa para um delicioso pop chiclete.

Do meio para o final, a sequência passa a envolver viagens no tempo que podem ser um pouco confusas para crianças muito pequenas.

É verdade, mas isso não é um problema se você considerar que os produtores estão tentando acompanhar o crescimento do seu público.

A Warner lançou outros dois filmes que expandem a franquia. O primeiro spin-off foi Lego Batman O Filme, com foco no personagem da DC Comics. Uma trama cheia de bom humor em que o Batman diz ao Coringa que ele não é assim tão importante na vida dele. O pobre vilão fica magoado e decide se vingar.

Em seguida veio Lego Ninjago O Filme com um conflito épico entre pai e filho. A narrativa mostra um grupo de seis jovens que se vestem de ninja para combater o mal na cidade de Ninjago.

A questão é que o vilão é o pai do herói, numa brincadeira com Luke Skywalker e Darth Vader. O difícil é assistir Uma Aventura Lego e não ficar cantarolando Tudo é Incrível ou Everything is Awesome, na versão em inglês. E então, o que você acha?



Melhores do Ano NaTelinha 2019: Vote e eleja os destaques do ano na televisão!


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!