Visão Panorâmica

"Troféu Imprensa" tem potencial para ser o nosso "Emmy"

Votação popular para indicados faz premiação perder credibilidade

Silvio Santos apresentou o "Troféu Imprensa" 2019 - Foto: Reprodução/SBT

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 30/04/2019 às 17:53:56

No último domingo (28), ocorreu mais uma edição do “Troféu Imprensa”. Durante décadas, essa foi a principal premiação da televisão brasileira junto com a APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). Contudo, com o passar dos anos, o troféu perdeu impacto.

Todo formato precisa de renovação para não perder o fôlego e, consequentemente, não ser rifado. Não podemos acusar a produção do “Troféu Imprensa” de ser acomodada. Trouxe a participação da internet para escolha dos indicados, contudo, criou diversas injustiças.

Analisando apenas essa temporada, um ano em que tivemos Deborah Secco, Giovanna Antonelli, Glória Pires, Gabriela Duarte, Irene Ravache, Marieta Severo, Letícia Collin, Marjorie Estiano, entre tantas outras atrizes, é impensável que um júri técnico permitiria a indicação de Marina Ruy Barbosa e Sophia Valverde, por mais que elas tenham atuado bem em "Deus Salve o Rei" e "As Aventuras de Poliana", respectivamente.

Na categoria ator, Nicolas Prattes não concorreria nem entre os melhores bigodes da Globo, já que Dan Stulbach caprichou em “O Sétimo Guardião”. Com uma votação técnica, teríamos Tony Ramos entre os três pelo seu vilão na novela das nove. Essa é só a prova que o público deveria participar apenas no “Troféu Internet” e o “Troféu Imprensa” ser uma escolha ampla de jornalistas especializados em entretenimento.

A bancada de jurados melhorou muito em relação aos anos anteriores, com nomes que realmente entendem de televisão, como Maurício Stycer, Daniel Castro, Flávio Ricco, Ricardo Feltrin e Leo Dias. Dos tradicionais, Sonia Abrão e Nelson Rubens foram mantidos e renderam alguns momentos no especial. Aliás, o método de escolha do vencedor deve continuar, pois mantém a tradição da atração.

Entretanto, a escolha dos indicados do “Troféu Imprensa” precisa ser revisto. Com a pluralidade do mercado audiovisual, é possível escolher atores, atrizes, jornalistas, autores, diretores e produtores para participarem da votação. A partir da escolha dos três nomes mais lembrados pelos profissionais da área, ocorreria a votação do júri.

As mudanças podem trazer maior credibilidade a uma premiação de tamanha história. O “Troféu Imprensa” é o único evento capaz de ser o nosso "Emmy". Basta a produção ter esse desejo.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!