Visão Panorâmica

"Se Joga" é uma bagunça e estreia prova que Fernanda Gentil deveria ser a única apresentadora

Programa vai precisar de muitos ajustes

Apresentadores do "Se Joga" - Foto: Reprodução/Globo

Publicado em 30/09/2019 às 15:26:37 ,
atualizado em 30/09/2019 às 15:36:55

Por: Naian Lucas

O “Se Joga” estreou na tarde desta segunda-feira (30) com foco nas fofocas, nos comentários da internet e na vida dos artistas da Globo. A tirar pela sua primeira edição, temos uma certeza: a direção terá muito trabalho para arrumar essa bagunça.

O programa começou com Fernanda Gentil saindo da geladeira e se juntando aos seus dois colegas: Fabiana Karla e Érico Brás. A partir daí, já vimos que não daria muito certo três apresentadores juntos. Um falando por cima do outro numa velocidade assustadora. 

A atração dividiu tela com “Jornal Hoje” e conversou com Maju Coutinho, colocando a jornalista para responder o maior número de perguntas em apenas 30 segundos. Além do quadro não ter nenhuma graça, fizeram a companheira de emissora pagar um mico.

Mas pagar mico faz parte do jogo. Um deles, por exemplo, acabou sendo Érico, Fabiana e Gentil seguindo o roteiro cheio de “humor” num jogral de quinta série.

E as palavras continuaram correndo na língua dos apresentadores. O lado positivo (ou negativo) é que deu para prestar mais atenção no pequeno cenário, porque simplesmente ficou impossível acompanhar as falas dos responsáveis pelo “Se Joga”.

Aí veio Paolla Oliveira para participar do quadro “Feed de Notícias” e ficou evidente qual o problema do programa: os três apresentadores. Quando Fernanda Gentil teve a responsabilidade de levar a atração sozinha, ao lado da atriz de “A Dona do Pedaço”, houve paz.

Fernanda falou calmamente, com pausa, dando espaço para a convidada se emocionar e comentar os detalhes da sua vida. Érico e Fabiana são carismáticos e bons humoristas, mas a atração deveria ser apenas de Fernanda Gentil. O “É de Casa”, aparentemente, não ensinou nada para o canal. Uma pena.

É apenas a primeira edição e erros acontecem. A Globo precisa reconhecê-los, ser humilde e ágil para mudar rápido. Muito provavelmente a emissora fará pesquisas junto ao público, mas antes de tudo já foi possível identificar que o programa não precisa de três pessoas no palco, basta apenas Fernanda Gentil.

Os quadros também precisam ser mais bem pensados, evitando que o público se canse e a produção não fique dependente de bons convidados. O trabalho para arrumar o “Se Joga” será árduo, contudo, é possível..

Uma última observação: A sonoplastia copiada do Ratinho só funciona no "Programa do Ratinho". Simplesmente parem!


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!