Malhação

Com "Toda Forma de Amar", Jacobina deve dialogar com adultos no ponto de vista do jovem

Nova temporada terá disputa judicial entre duas mães

Com
"Malhação - Toda Forma de Amar" estreia nesta terça (16) - Foto: Reprodução/Globo

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 16/04/2019 às 14:30:00 Atualizado em 16/04/2019 às 14:36:43

Estreia nesta terça-feira (16) a nova temporada de “Malhação”, intitulada de “Toda Forma de Amar”. A trama é escrita por Emanuel Jacobina, um dos criadores da novelinha teen. O roteirista terá como obrigação recuperar os bons índices de audiência perdidos por “Vidas Brasileiras” sobre “Viva a Diferença”, além do prestígio de crítica.

O pontapé inicial da história se dá a partir da missa de sétimo dia do pai de Rita (Alanis Guillen). Ela descobre que sua filha, dada como morta, foi sequestrada pelo homem após o parto e levada para o Rio de Janeiro. A protagonista decide deixar sua terra natal para saber o paradeiro da criança.

Rita chega a Duque de Caxias e é abrigada por Carla (Mariana Santos), amiga da sua falecida mãe. A disputa pela bebê Nina ocorrerá entre a jovem e Lígia (Paloma Duarte), mãe adotiva da criança.

Duas mulheres brigando por um bebê não é algo inédito na dramaturgia. O caso mais emblemático é “Barriga de Aluguel”. A nova temporada de “Malhação” também apresenta semelhanças com “Por Amor”. É preciso admitir que uma adolescente brigar pela guarda da filha não é exatamente um problema dos jovens brasileiros.

Inserir um embate judicial dar um ar de maturidade e uma discussão mais adulta na produção. Pode parecer um estilo de Jacobina, já que seguiu o mesmo caminho em outras temporadas, como “Pro Dia Nascer Feliz” (2016) e “Seu Lugar no Mundo” (2015), em que os adultos tiveram importância nos enredos.


Alanis Guillen é a protagonista da nova Malhação

Mas, aparentemente, o autor conhece o público de “Malhação” e acredita que precisa apostar em assuntos maduros, porém, com o ponto de vista dos jovens. Essa necessidade de dialogar também com os adultos pode ter uma resposta na pesquisa feita pela Kantar Ibope.

De acordo com os números apresentados no plano comercial da nova temporada da novela teen, a faixa etária de 60 anos ou mais é quem mais assiste “Malhação” pela televisão, representando 32% do público. De 35 a 49 anos, esse percentual cai para 18% e de 50 a 59 anos, o resultado é de 17%. O público adolescente e jovem, que é a faixa etária de 12 a 24 anos, o percentual é de 21%.

A discussão entre a guarda de uma criança entre duas mães também tem forte apelo feminino. Se a gente levar em consideração que 71% dos telespectadores da trama é formado por mulheres, dá pra ter uma noção o motivo de escolher uma história que apele para o emocional maternal.

O público adolescente não consegue ser maioria nem na internet. A faixa etária que mais consome os conteúdos de “Malhação” na web é de 25 a 34 anos, abocanhando um percentual de 30%.

A novela teen tem como principal função dialogar com os telespectadores jovens, por isso eles são os protagonistas. Contudo, ao perceber que o público que mais consome a produção são adultos, é preciso trazer temas que também estejam no cotidiano de pessoas mais velhas.

Emanuel Jacobina sabe muito bem como apresentar uma história madura, mas no ponto de vista adolescente. “Toda Forma de Amar” deve corrigir o equívoco cometido por “Vidas Brasileiras”.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!