Reportar erro
Click TV

Vem pra Cá estreia com exageros de Patrícia Abravanel e problemas de tempo

Programa estreou nesta segunda-feira (22) nas manhãs do SBT

Patrícia Abravanel e Gabriel Cartolano
Patrícia Abravanel e Gabriel Cartolano apresentam o novo Vem pra Cá no SBT - Reprodução
Helder Vendramini, com Fabrício Falcheti

Publicado em 22/03/2021 às 12:24:39,
atualizado em 22/03/2021 às 13:02:41

O Vem pra Cá, revista eletrônica matinal que estreou nesta segunda-feira (22) no SBT, mostrou uma dinâmica diferente para programas do gênero. Com apresentação de um ascendente Gabriel Cartolano e de uma afobada Patrícia Abravanel, a atração mostrou-se capaz de se tornar uma opção para as manhãs da televisão, mas diversas falhas fizeram com que o glamour da estreia ficasse em segundo plano.

O início, com a tradicional esquete com direito a tour por programas das principais estrelas da casa, marca registrada das estreias do SBT, trouxe uma identificação latente com o público acostumado à emissora de Silvio Santos. Já no começo do “ao vivo”, Cartolano e Patrícia mostraram desenvoltura e seguraram o nervosismo, natural nessas ocasiões para encenar a parte final da esquete e dar início à atração.

Chamou a atenção o bom trabalho da equipe de produção do programa, que conseguiu superar um dos maiores problemas de estreias e programas ao vivo da TV de Silvio Santos: as falhas de áudio. Outro ponto positivo do programa foi o ritmo inicial. Apostando em uma “pegada” mais jovial e seguindo a linha de reality shows, soube conversar com o público infantil do horário e mesclar com pautas adultas, fazendo um mix que apenas o SBT consegue.

Ao término da esquete inicial, Patrícia mostrou as mesmas falhas que apresenta em todas as atrações que comanda, invadindo o espaço do co-apresentador e dos participantes com comentários muitas vezes desnecessários e impertinentes. Se ela apresentou os velhos vícios, um visivelmente nervoso, mas promissor Cartolano destoou da parceira, conferindo à revista eletrônica o tom necessário para uma estreia sem percalços.

O início com dicas de moda foi uma ótima pedida para aproveitar a boa audiência e o perfil de público que o programa herdou do Primeiro Impacto. A desenvoltura da Miss Brasil 2017 Monalysa Alcântara também saltou aos olhos. Uma transição bem feita, com ritmo adequado ao público da faixa do SBT, acostumado com o programa comandado por Marcão do Povo.

Vem pra Cá estreia com exageros de Patrícia Abravanel e problemas de tempo

Vem pra Cá se perdeu na pressa e atropelos

Logo após, um giro rápido (demais, de dois minutos) com as notícias do dia foi levado ao ar. O pouco tempo dedicado ao jornalismo evidencia a falta que um departamento forte faz à emissora. Aí as coisas começaram a complicar. Na volta do quadro, a pauta virou saúde, com a tentativa de participação da médica pediatra Kelly Oliveira. E foi bem uma tentativa mesmo, pois Patrícia Abravanel simplesmente tomou o comando das ações e atropelou praticamente todas as falas da especialista.

Ao contrário do papel padrão de apresentadores, que levantam a bola para o entrevistado cortar, Patrícia cortava para a entrevistada tentar defender. Não rolou. Gabriel, totalmente sem espaço de fala, acabou disputando com a convidada os poucos espaços deixados pela filha do Patrão. No meio da pauta, uma entrevista com Valentina Pontes, considerada a maior youtuber mirim da América Latina e seu pai, que também falaram pouco.

Seguindo o programa, um momento de rara tranquilidade. Sem se deixar dominar pelas tentativas de intervenção de Patrícia, o tarimbado chef Carlos Bertolazzi restabeleceu a ordem no programa e permitiu a Cartolano aparecer mais em seu quadro, sem que fizesse a apresentadora perder sua fala.

Vem pra Cá estreia com exageros de Patrícia Abravanel e problemas de tempo

E ali o programa deu mostras de que havia desandado. A tentativa de mostrar todos os quadros logo na estreia falhou de forma grotesca. De um atropelado quadro de culinária, o programa foi para um inacabado quadro de jardinagem. Ambos com pautas interessantes e atrativas, mas que, incompletos, causaram confusão no telespectador mais desatento. A audiência sentiu e houve queda significativa neste momento.

O quadro de jardinagem ia bem até que Cartolano interrompeu para a divisão de rede. Mais uma interrupção, dessa vez definitiva, foi realizada por Patrícia, a mando da direção, para iniciar a exibição do quadro de fofocas com Gaby Cabrini. Pega de surpresa com a queda de pautas e correria do quadro, a filha do premiado jornalista Roberto Cabrini acabou tendo sua atuação complicada, ficando completamente perdida em alguns momentos.

Dela, foi para um quadro bastante comum na emissora de Silvio Santos, com os integrantes da atração escolhendo entre duas situações distintas. A atração ia bem, mostrou-se divertida, mas foi interrompida de forma bizarra para o diminuto encerramento do programa.

Vem pra Cá estreia com exageros de Patrícia Abravanel e problemas de tempo

O saldo do Vem Pra Cá, apesar de toda a correria e dos atropelos, é até positivo. O programa mostrou-se até certo ponto maduro, com uma linha mais reality show, que claramente foi influenciada pela experiência do diretor Marcelo Kestenbaum (Esquadrão da Moda, Bake Off Brasil e Fábrica de Casamentos) e, com ajustes, tem espaço para evoluir.

A falha gritante no cálculo do tempo pesou contra a atração, que registrou 3,4 pontos de média na audiência prévia da Grande São Paulo, ficando atrás de Globo (8,0) e Record (5,3), vencendo com folga a TV Cultura, que registrou 1,9 na quarta colocação.