Pegou fogo

De acusação de racismo a briga de Lacombe e Zé de Abreu: A semana dos famosos

Morte de Paulo Henrique Amorim e demissão de Mauro Naves também agitou o mundo dos artistas

De acusação de racismo a briga de Lacombe e Zé de Abreu: A semana dos famosos
Eles agitaram o mundo dos famosos nesta semana - Foto: Montagem

Publicado em 13/07/2019 às 07:01:32

Por: Naian Lucas

A semana dos famosos foi movimentada, surpreendente, cercada de brigas, polêmicas, emoções e despedidas. Sim, teve um pouco de tudo.

Luís Ernesto Lacombe e José de Abreu trocaram farpas, Antônia Fontenelle venceu as filhas de Marcos Paulo na Justiça, Anitta envolvida numa nova polêmica por causa do seu clipe "Muito Calor", Mauro Naves demitido da Globo, apresentador da afiliada do SBT acusado de racismo e a morte de Paulo Henrique Amorim pautaram o NaTelinha nesta semana.

Por isso, leia o resumão de tudo que aconteceu nos últimos e relembre os principais acontecimentos entre 07 e 13 de julho.

Confira:

Luís Ernesto Lacombe x José de Abreu

O ator da Globo e Luís Ernesto Lacombe protagonizaram um bate-boca “telefone sem fio”. O apresentador do “Aqui na Band” comentou no começo da semana a confusão entre Zé de Abreu e a autora Glória Perez nas redes sociais, saindo em defesa da criadora da novela “O Clone”.

“José de Abreu é uma pessoa muito desorientada não tem a menor ideia do que é democracia. Não aceita ninguém que tenha opiniões contrarias a dele. Eu fico muito impressionado, é algo que sempre penso, vamos lembrar o Willian Waack que fez realmente um comentário infeliz, racista, que teve o contrato rescindo e foi dispensado. José Mayer foi acusado de assédio sexual e também foi dispensado", disparou.

O global não se calou e resolveu rebater o ex-colega de emissora pela sua conta pessoal do Twitter. ““Vejam quem me ataca: Gentilli, Sonia Abraão (sic), Alexandre Frota, Narizinho Nunes, e agora esse demitido Lacombe, que foi tirado até do próprio programa! E o ibope dele é o 5o, perde até da Cultura! To de boa”, postou.

No dia seguinte, em entrevista exclusiva ao NaTelinha, Lacombe declarou que não pediu a demissão de José de Abreu, mas queria entender o “dois pesos e duas medidas”. “Eu não consigo entender. Eu acho que o ambiente democrático faz com que as pessoas sejam obrigadas a conviver com o contrário, com ideias opostas a dela. Por que algumas pessoas são enquadradas e outras não? Há um perdão a ele que eu estranho. Não quero a cabeça dele não, quero o William Waack, o José Mayer e o Mauro Naves de volta”.

Mas Zé de Abreu não se deu por vencido e retrucou novamente o posicionamento do jornalista, explicando como funciona a conduta de ética da Globo. ““Uso simplesmente meu direito constitucional de livre expressão. E outra: Uma pesquisa no Google mostra que 'a Globo não interfere na vida pessoal de seus contratados'. Tenho dito. (Soube agora que ele disse que não pediu minha demissão, uma atitude deplorável)”.

Anitta acusada de apropriação cultural

É inverno, o país enfrentou uma forte frente fria, mas Anitta resolveu esquentar os termômetros lançando o clipe da música “Muito Calor”, em parceria com o cantor Ozuna, na última quinta-feira (11). As imagens foram gravadas numa favela e praia do Rio de Janeiro e, como é de costume, causou polêmica nas redes sociais.

Antes das cenas irem ao ar na íntegra, a funkeira lançou uma pílula do clipe na última quarta (10). Sem medo das polêmicas, ela rebateu as críticas que recebeu de alguns seguidores. De acordo com esses internautas, a artista estaria fazendo apropriação da cultura negra.

Anitta voltou a usar cabelo cacheado e houve quem não gostasse. A cantora explicou que seu cabelo era enrolado, mas mudou na sua adolescência. “Eu que meti produto e ele mudou para sempre”, disparou. “Vocês nunca estão satisfeitos”, detonou.

Saída de Mauro Naves da Globo

O repórter Mauro Naves não faz mais parte do casting esportivo da Globo. O profissional estava no canal desde 1987 e foi demitido na última segunda-feira (8) após afastamento de um mês, quando explodiu a denúncia de suposto estupro de Neymar em Najila Trindade. O jornalista teria atuado como intermediador de uma tentativa de acordo do craque da seleção brasileira e o primeiro advogado da modelo, contudo, não informou aos diretores do canal da sua ação.

"O Grupo Globo e o jornalista Mauro Naves decidiram encerrar consensualmente o contrato de prestação de serviços que mantinham. O Grupo Globo reconhece a imensa contribuição de Mauro Naves ao jornalismo esportivo e a ele agradece os 31 anos de dedicação e colaboração", enviou em nota o canal.

O jornalista se posicionou nas suas redes sociais na manhã de sexta (12). “Com a consciência limpa e em busca de novos desafios! Deus no comando!”, escreveu.

Apresentador acusado de racista

Um comentário em tom jocoso (veja vídeo abaixo) feito por um apresentador no início da tarde da última terça-feira (10) foi interpretado como racismo e complicou a vida dele e da TV Alterosa, afiliada do SBT em Minas Gerais. Ao conversar com um repórter, Stanley Gusman tentou zombar do Ibope e acabou falando uma frase que muita gente enxergou como suposto racismo.

"Eu sei quem é o dono do Ibope. É Montenegro, se fosse bom seria Montebranco", comentou Gusman enquanto o repórter fazia expressão de choque no link ao vivo que aparecia no telão. A direção do programa até soltou um "epa", trilha sonora característica desse tipo de programa policialesco quando uma frase ou situação polêmica ocorre.

Rafael Martins, que participava do programa no momento em que o colega teve a ação, escreveu uma nota de repúdio e pediu seu desligamento do jornalístico. “Em função das declarações do APRESENTADOR Stanley Gusman, DECIDI DEIXAR O PROGRAMA ALTEROSA ALERTA no qual atuava como repórter há quase quatro anos. Essa decisão irrevogável é uma clara manifestação de solidariedade a todos os que se sentiram ofendidos pela declaração, entre os quais eu me incluo”, sacramentou.

Stanley pediu desculpas e declarou que usou o momento para refletir sobre seu comportamento.

Antônia Fontenelle vence ação contra filhas de Marcos Paulo

Antônia comemorou na manhã da última quarta-feira (10), em seu Stories, no Instagram, a vitória em relação ao direito de parte da herança de seu ex-marido e diretor, Marcos Paulo, falecido em 2012. “Meu advogado me liga para dizer que, finalmente, depois de 7 anos de muito esculacho, a Justiça me deu ganho de causa. É um ganho moral. É uma vitória moral. Três a zero como todas as vezes que fui reconhecida, foi por unanimidade”, desabafou, emocionada.

Mariana Sochaczewski e Giulia Costa, filhas de Marco Paulo com Renata Sorrah e Flávia Alessandra respectivamente, afirmaram que não irão recorrer da sentença. Ao NaTelinha, Antônia Fontenelle comentou sobre a nota de esclarecimento enviada pelos advogados o site: "desespero bateu à porta".

Morte de Paulo Henrique Amorim

No final da tarde de quinta-feira (11), foi enterrado o jornalista e apresentador Paulo Henrique Amorim, que morreu em seu apartamento na madrugada de quarta aos 76 anos, vítima de um infarto fulminante. O sepultamento aconteceu no Cemitério da Penitência, no bairro do Caju, no Rio de Janeiro. Apenas amigos e familiares participaram da cerimônia.

Sua trajetória na televisão iniciou na TV Manchete, também como correspondente internacional. A desenvoltura do jornalista logo chamou a atenção dos diretores da Globo e ele se transferiu para a emissora da família Marinho, tornando-se um dos principais nomes do jornalismo brasileiro.

Na década de 1990, decidiu deixar a Globo e foi para a Band, sendo o âncora do “Jornal da Band”. Sua passagem terminou e ele migrou para a TV Cultura. Contudo, foi em 2003 que Paulo Henrique Amorim vestiu uma nova camisa e se tornou a cara do jornalismo de uma emissora: a Record.

Amigos fizeram homenagens e sua despedida foi marcada por música, coroas de flores e muita emoção.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!