Reportar erro
Fora da TV

Paola Carosella revela o que motivou sua saída do MasterChef Brasil

Chef deixou o programa depois de sete anos

Paola Carosella do MasterChef
Paola Carosella deixou o MasterChef Brasil - Foto: Divulgação/TV Bandeirantes
Redação NT

Publicado em 14/05/2021 às 11:27:39,
atualizado em 14/05/2021 às 12:05:27

Paola Carosella surpreendeu no início do ano ao anunciar que não faria parte da nova temporada do MasterChef Brasil em 2021. Com uma trajetória de sucesso naquele que é o carro-chefe da Band desde 2014, a chef argentina decidiu respirar outros ares. E especulações em torno disso não faltaram.

À revista Veja SP, ela afirmou que vários veículos a procuraram e disseram 'conta para a gente o babado da sua saída'. Ela se divertia com as perguntas e conta que sequer respondia, mas também elogia: "A imprensa também foi muita amorosa em respeitar que tinha sido uma saída e que não tinha sido uma teoria da conspiração".

A chef tomou a decisão de caso pensado, mas a Band pediu que ela aguardasse o retorno de Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes, para acertar os detalhes, que lista três fatores que fizeram com que ela tomasse essa atitude. "A primeira, entendia que os restaurantes iam me necessitar muito. Era fazer o MasterChef ou continuar remando para tocar e manter o Arturito. O La Guapa é diferente porque a locomotora é o Benny (Goldenberg, sócio dela). O segundo e mais importante motivo foi a família", listou.

"Cresci num ambiente tão solitário e para mim ser uma mãe presente tornou-se a prioridade. A terceira coisa é que, assim como os dois primeiros anos do programa foram muito desafiantes, o terceiro, o quarto e quinto deliciosos, senti que tinha o risco de entrar no piloto automático, de parar de me surpreender. Seria muito ruim se eu ficasse", contou.

A carreira de Paola Carosella

No Conversa com Bial em abril, disse que desde pequena brincava em apresentar programas de TV. "Eu passei uma infância de muita solidão. Minha mãe solteira, trabalhava muito. Passava muito tempo sozinha, não tinha com quem brincar, não tinha telefone, internet. Era fã de um programa de TV que ensinava a cozinhar, quando eu ficava entediada. Eu fingia que era TV e contava como fazer as coisas", seguiu.

Nesse um ano de pandemia, ela afirma que fechou seus restaurantes para atender delivery. "A fama, a TV, ajuda muito o que você tenha que vender seja do interesse das pessoas", reconhece ela.

Até fevereiro, conta que não tinha demitido ninguém: "Temos mais de 240, 250 funcionárias. Mas duas semanas atrás, meu sócio teve que fechar seu restaurante porque já não conseguia mais. As ajudas do governo não estão chegando para que esse ramo não feche".



Mais Notícias