Terça-feira

Nota 0 e Nota 10: "Os Ronis" do Multishow e o "Venenoso" Amin Khader

Nota 0 e Nota 10:
Fotomontagem NaTelinha - Divulgação

Sandro Nascimento
i

Sandro Nascimento

O jornalista Sandro Nascimento assina colunas e reportagens exclusivas no NaTelinha. Também é correspondente da agência de notícias ZOOMINTV. Twitter: @SandroNascimm / E-mail: sandro@natelinha.com.br

Publicado em 16/04/2019 às 06:41:39

Todos os dias aqui no NaTelinha, o jornalista Sandro Nascimento dá nota 0 e nota 10 para o que assiste, apontando o que gostou e o que não gostou na televisão.

As opiniões são pessoais e não refletem necessariamente a posição do site, mas seguem preceitos do jornalismo, como ética, imparcialidade e isenção.

A página também está aberta para comentários e debates sobre os assuntos retratados.

Nesta terça-feira (16), os temas são o novo humorístico do Multishow, "Os Ronis", e Amin Khader no "A Hora do Venenoso", da Record Rio.

Confira:

Para Carlinhos Maia, Whindersson Nunes e Tirullipa no novo seriado do Multishow, "Os Ronis".

Chega a ser constrangedor para quem assistiu os primeiros episódios do humorístico. Personagens mal demarcados, direção frouxa e o texto da família nordestino que chega na casa do cunhado rico tem a mesma qualidade de um teatro escolar do primário.

Na mesa de edição, para tentar disfarçar a falta de humor do programa, ficaram inserindo cenas repetidas do público gargalhando. Mas no mesmo instante, quando cortam para o plano aberto, estava todo mundo em silêncio e imóvel.

Para o telespectador, a sensação que os humoristas disputam a maior lacração no palco. O humor mesmo eles esqueceram em suas contas no Instagram. Poderiam ter amadurecido melhor o projeto. Conselho: não percam seu tempo.

Para dizer que nada se salva, o cenário é o ponto alto. Ele vai se transformando ao longo da história na frente da plateia. Infelizmente, ninguém liga TV para ver cenário.

Para irreverência de Amin Khader na versão carioca de "A Hora da Venenosa". Sempre sendo o pico do "Balanço Geral RJ", o quadro consegue ser tão bom quanto o produzido em São Paulo.

Com as notícias dos famosos, Amin é engraçado, faz o venenoso sem atravessar a linha do mau gosto. Ele mistura no liquidificador a informação e o entretenimento na medida certa.

Na hora do almoço, se tornou uma boa opção para a Record Rio. Sua alta popularidade com o público é sentida nas externas que grava para o programa. Sempre muito assediado. Surpreendente.

Solta a cobra, Amin!


publicidade

TAGS:

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!