Reportar erro
Personagem misógino?

Se Laços de Família fosse produzida hoje, Pedro seria preso?

O personagem tem uma relação bastante confusa com mulheres

Cena de Laços de Família com Pedro sorrindo
Na novela Laços de Família, Pedro pode ser acusado de misoginia - Foto: Reprodução/Globoplay
Daniel César

Publicado em 28/10/2020 às 07:20:47

Desde que a novela Laços de Família voltou a ser exibida no Vale a Pena Ver de Novo, muitos questionamentos foram levantados por conta do comportamento considerado como abusivo por parte de Pedro, personagem interpretado por José Mayer. O tratamento que o administrador do haras dava às mulheres na trama chamou a atenção da militância e muitas pessoas consideraram a história como tendo envelhecido mal. Mas se o folhetim de Manoel Carlos, que foi ao ar originalmente em 2000, tivesse sido feita em 2020, ele teria de ser preso por justiça às mulheres? O NaTelinha investigou o assunto e conversou com diversas autoridades para desvendar o assunto.

Tido como um grande galã e garanhão, Pedro tratava as mulheres ao seu redor meio como se tivesse domando-as assim como fazia com os animais do haras e isso chamou a atenção da militância. Para Aline Cardoso, psicopedagoga e feminista, o personagem é muito tóxico. "Evidente que a gente precisa contextualizar a época e a novela foi exibida há 20 anos. Mas hoje em dia seria inaceitável um personagem masculino que trata todas as mulheres como o Pedro", afirma ela em conversa com a reportagem.

Para Aline, um exemplo de machismo e até misoginia por parte do personagem foi uma cena exibida na semana passada no Vale a Pena Ver de Novo. "Ele armou para o carro da veterinária não funcionar e a levou para um lugar isolado a fim de agarrar a moça. Não se trata dela ter concordado no fim ou não, trata-se de um típico caso de assédio sexual em ambiente de trabalho", garante.

Para a delegada Rose Mary Miranda, o caso é bastante complexo e exige cuidado. "Se o Pedro fosse um personagem real e dos tempos atuais, seria difícil comprovar alguma culpa no caso com a Cíntia porque a mulher entrou no jogo e há diversas testemunhas das trocas de beijos e carícias", explica ela falando da personagem interpretada por Helena Ranaldi.

Mas a delegada pondera em outra relação tóxica de Pedro. "O personagem não pode agredir uma mulher como se fosse o pai dela e sair impunimente, ao menos não nos dias de hoje. Se a Íris o denunciasse, provavelmente ele seria indiciado", lembra ela se referindo ao episódio em que Pedro invade a enfermaria do haras para dar uns sopapos na personagem vivida por Deborah Secco.

A misoginia de Pedro em Laços de Família

Se Laços de Família fosse produzida hoje, Pedro seria preso?

Para a psicóloga Juliana Ayumi, Pedro é nitidamente misógino. "Olhando pelo ponto de vista da psicologia, a gente percebe que Pedro vê nas mulheres uma dependência, alguém que ele precisa dominar, controlar. Sua paixão pelos animais é apenas uma forma de apresentar os traços de controlador, já que são seres indefesos e que ele pode domar, chicotear. Quando contrariado, ele transfere esse sentimento de ira para as mulheres porque ele tem prazer em agredir, em dominar. Pedro é doente e faz mal para as mulheres", define.

Já a advogada Tatiane Cordeiro conversou com o NaTelinha e mostrou que Pedro comete outra espécie de crime. "Seu relacionamento com a esposa daria um processo alto no divórcio por conta do abandono, do controle psicológico e da dependência que ele tenta impor a ela", explica. Silvia (Eliete Cigarini) vai pedir a separação ao marido na próxima quinta-feira (29), depois de sofrer com o comportamento dele, embora nunca tenha dado indício de agressão física.

O contraponto feminino a Pedro em Laços de Família

Se Laços de Família fosse produzida hoje, Pedro seria preso?

A reportagem ouviu também Paulo Irikura, especialista em dramaturgia e diretor de teatro e ele concorda que o comportamento do personagem seja abusivo e tóxico na relação com as mulheres. Mas ele discorda de quem enxerga em Pedro um criminoso e que seria preso se Laços de Família fosse exibida nos dias atuais. "Como todo personagem, Pedro tem um comportamento nocivo, mas um contraponto dentro da novela e muito bem planejado pelo autor", conta.

Para o diretor, duas relações de Pedro indicam que ele não é esse monstro que o atual movimento tenta pintar. "Pedro jamais aceitou a partida de Helena e acabou se tornando um homem amargo. Tanto não dá para dizer que ele é misógino por essência porque ele não trata a prima desse jeito quando a reencontra e muito menos Camila, com quem ele indica um laço muito antes de descobrir a relação parental", justifica.

De fato, o comportamento do personagem com Helena (Vera Fischer) é completamente diferente da forma como ele trata outras mulheres, tanto que Pedro tentará voltar com o relacionamento interrompido na juventude e levará um toco da prima. Já com Camila (Carolina Dieckmann), ele demonstra ter tido uma espécie de amor à primeira vista, mesmo sem saber que trata-se do pai biológico da garota.

Com opiniões divergentes sobre o comportamento de Pedro, há quatro anos, José Mayer foi afastado da Globo depois de ter sido acusado justamente de assédio sexual. O ator acabou não tendo seu contrato renovado e desapareceu da mídia depois do acontecido. Recentemente outro caso de assédio na Globo virou notícia com as acusações de que Marcius Melhem teria assediado diversas atrizes do núcleo de humor da emissora. "Os casos são muito diferentes do que a gente vê em Pedro na novela", conclui a delegada.



Mais Notícias