Thiago Forato
Enfoque NT

Participação de Angélica no Encontro reforça o quanto ela faz falta na TV

Angélica vem participando de programas de amigos e, a cada vez, mostra que sua ausência ainda é sentida


Angélica fazendo sinal de coraçãozinho com as mãos
Angélica: um talento nato fora do ar - Foto: Reprodução/TV Globo
Por Thiago Forato

Publicado em 02/06/2022 às 06:25:00,
atualizado em 02/06/2022 às 08:28:56

Fora da TV aberta desde 2020, quando esteve à frente do Simples Assim na Globo, Angélica mostra como é uma figura que faz falta a cada participação em programas de amigos. Seja no Domingão do próprio marido Luciano Huck, Faustão na Band e Encontro com Fátima Bernardes, cuja última participação ocorreu nessa quarta-feira (1º), a loira é sempre garantia de entusiasmo e boas histórias.

Ela, que tem como marca registrada uma pinta na perna e fez todo o país andar de táxi, acabou desaparecendo do grande público com o passar dos anos, provavelmente por opção própria, que quis desacelerar e acompanhar o crescimento dos filhos e também por estar na labuta e na frente do vídeo há tanto tempo.

O motivo, a essa altura do campeonato, pouco importa, mas sempre quando Angélica surge, não há como não lastimar como uma apresentadora tão talentosa está fora do ar com tantos outros que se propõe apenas a seguir roteiro e com atrações cada vez mais engessadas. A loira faz parte de uma geração quando os programas de auditório bombavam. Foi por ela comandar alguns com sucesso no SBT que se transformou em estrela global a partir de 1996.

Angélica chegou a ser a apresentadora com mais espaço na TV

Participação de Angélica no Encontro reforça o quanto ela faz falta na TV

Nos anos 90, Angélica chegou a ser a figura feminina com mais tempo no ar na televisão. Ela deixou a extinta TV Manchete (1983-1999) e fechou contrato com o SBT em abril de 1993. Em agosto daquele ano, estreou o Casa da Angélica, que foi um grande sucesso de audiência. Dois anos mais tarde, substituiu Gugu Liberato (1959-2019) no Passa ou Repassa e TV Animal.

Durante os três anos que permaneceu no SBT, foi a apresentadora feminina com mais espaço na TV, tendo três programas ao mesmo tempo. A comunicadora chegou a bater a Sessão da Tarde no Ibope e chamou a atenção da Globo. Em 1996, recebeu o convite para se transferir.

Ainda que Silvio Santos tenha tentado cobrir a proposta, não teve jeito: Angélica se mudou para o Rio de Janeiro e construiu também longa carreira na líder de audiência, comandando o Angel Mix (1996-2000), Video Game (2001-2011), Fama (2002-2005), Estrelas (2006-2018) e o Simples Assim (2020).

No ano passado, lançou o programa Jornada Astral na HBO Max e é cotada para liderar outros projetos na plataforma em breve. A ver.


Thiago Forato é jornalista, assina a coluna Enfoque NT desde 2011, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Forato também é autor do blog https://parlandodepalmeiras.com.br. Converse com ele pelo e-mail thiagoforato@natelinha.com.br ou no Twitter, @tforatto

Mais Notícias