Thiago Forato
Enfoque NT

Para salvar BBB 22, Globo cria distorção e joga vontade da direção para o público

BBB 22 teve início mais morno que as últimas duas temporadas e Globo corre para tentar salvar reality


Tadeu Schmidt e Boninho sorrindo em montagem
Tadeu Schmidt estreou logo em um BBB que deu pouca liga; Boninho e equipe tentam salvar reality - Foto: Divulgação/TV Globo
Por Thiago Forato

Publicado em 12/02/2022 às 09:41:44,
atualizado em 12/02/2022 às 09:42:26

Há quase um mês no ar, o BBB 22 não rendeu o retorno de entretenimento esperado. Personagens muito contidos, preocupados e pouco interessados em conflitos fizeram com que a Globo criasse dinâmicas até complexas para fazer com que o parquinho tenha fogo. Para isso, agora, como numa espécie de bala prata, lançou a Casa de Vidro dentro do confinamento na esperança de dias melhores. E cria uma distorção no game.

Chegar munido de informações externas não é garantia de vantagem. A gente lembra bem o que aconteceu há dois anos quando Ivy Moraes e Daniel Lenhardt chegaram após duas semanas. Ambos saíram com rejeição. Foram vários atropelos. Tanto no espalhamento de informações quanto na própria narrativa da casa, quando parte dela preferiu se fechar em uma bolha com relação ao fatídico Teste de Fidelidade promovido por Hadson.

Desta vez, não há nenhuma bomba a ser contada como no BBB 20 ou grandes segredos. Precisando de um chacoalhão no jogo, Boninho e sua trupe jogaram para o público uma decisão óbvia até então. Com a opção de ver o programa ganhar contornos um pouco mais emocionantes, quem é que vai pensar em justiça nessa altura do campeonato, depois de quatro semanas mornas? Deve ter pensado a direção. Por que, afinal de contas, é justo duas pessoas entrarem depois de tanto tempo? As enquetes, até surpreendentemente, estão parelhas e não há garantia que a casa receba novos moradores. Ufa.

Globo se desespera e público, sem ter que o deseja, embarca nessa no BBB 22

O marasmo que se encontra a casa não pode ser motivo para enfiar gente a qualquer custo. Lembra e muito a Casa dos Artistas 2 (2002), que depois de ganhar a alcunha de "acampamento de escoteiros", o reality do SBT ganhou novos participantes. Carola foi uma delas e em poucas horas causou estragos, saindo também pouco depois.

A sensação que dá é o desespero. E ao que parece, para a Globo está valendo tudo. O público, ávido por tretas e conflitos, aceita sem pestanejar. Tal atitude só passa atestado do quanto esse elenco do BBB 22 fracassou em relação às últimas duas temporadas, que começaram avassaladoras. Quem esperou um início arrebatador, obviamente se frustrou.

Thiago Forato

Um início mais morno também não quer dizer que o reality não esquente ao passo que as semanas forem passando. Ter como parâmetro os últimos dois Big Brothers é até covardia. Ambos tiveram arcos narrativos explosivos logo nos primeiros dias. Como exigir que depois de dois anos até mesmo atípicos, possa ser repetido?

No entanto, também é verdade que todo mundo esperava mais um pouco, principalmente pelas personalidades escolhidas. Faltando pouco mais de dois meses para o seu fim, resta saber se os novos "vidraceiros" vão entrar para fazer e acontecer como se espera. Em 2020, nos decepcionamos. Que o reality "flopou" nessas primeiras semanas, os próprios brothers já sentiram que "algo de errado não estava certo". A entrada do casal Larissa e Gustavo pode acontecer no domingo (13). 

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Participe do grupo
Termometro

Expresse seus sentimentos aos participantes de BBB22

Mais Notícias