Reportar erro
Reclamação

Datena critica reação de Bolsonaro contra a imprensa: "Onde vamos parar?"

Presidente falou sobre os gastos com leite condensado; apresentador aproveitou para alfinetar Doria por aumento de ICMS

Datena
"Deselegante e desnecessário", definiu Datena. Foto: Reprodução/Band.
Redação NT

Publicado em 28/01/2021 às 17:02:59

José Luiz Datena criticou, na tarde desta quinta-feira (28), a postura do presidente da República, Jair Bolsonaro, ao atacar a imprensa durante um almoço com cantores em Brasília, ocorrido nessa quarta (27), por causa da história sobre o gasto de R$ 15 milhões com leite condensado. Em tom ameno, o apresentador do Brasil Urgente, exibido pela Band, classificou o episódio como “deselegante e desnecessário”.

O comentário foi feito durante a tradicional transição entre os programas Melhor da Tarde e Brasil Urgente, quando Datena conversa com a apresentadora Cátia Fonseca sobre assuntos diversos. “E o Bolsonaro xingando todo mundo? Que coisa. Não sei onde vamos parar, viu?”, soltou o apresentador. Cátia respondeu, citando que foi deselegante. “Deselegante e desnecessário”, completou o radialista.

Em seguida, Datena aproveitou para criticar o governador de São Paulo, João Doria, por causa do aumento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no estado. “Mas aqui também é um absurdo esse aumento de ICMS. O Brasil está bem sem governo. Daqui a pouco, vou entrevistar o prefeito de Manaus que estão querendo prender”, pontuou.

Bolsonaro se irritou com questionamento sobre leite condensado

A reunião de Bolsonaro aconteceu na churrascaria Vila Planalto, em Brasília, e originalmente seria um momento para discutir possíveis soluções para setores de evento, turismo e gastronomia. Com uma postura já tradicional, o presidente atacou a imprensa, que noticiou a compra de leite condensado superfaturado nas contas de 2020. Cada lata, segundo dados do portal da transparência, custaram mais de R$ 160 - gerando um total de mais de R$ 15 milhões -. 

"Quando eu vejo a imprensa me atacar, dizendo que comprei dois milhões e meio de latas de leite condensado, vai pra puta que pariu, imprensa de merda! É pra enfiar no rabo de vocês da imprensa essas latas de leite condensado", disse. Ele foi aplaudido e recebeu gritos de “mito”. Artistas como Naiara Azevedo, Amado Batista, Netinho e Sorocaba estiveram presentes.

Os artistas assinaram uma carta sinalizando apoio à Jair Bolsonaro e pontuaram demandas mais urgentes, de acordo com o deputado Daniel Freitas (PSL). "Chega de lockdown e medidas autoritárias. O trabalhador não pode mais ficar parado", opinou o político.



Mais Notícias