Reportar erro
Polêmica

Depois de dizer que Bolsonaro "não ajuda nada", Datena entrevista presidente na Band

Jornalista deu a oportunidade para o político se defender

 Depois de dizer que Bolsonaro "não ajuda nada", Datena entrevista presidente na Band
Jair Bolsonaro conversou com Datena - Foto: Reprodução/Band

Redação NT

Publicado em 15/01/2021 às 16:56:00,
atualizado em 15/01/2021 às 17:15:51

José Luiz Datena conversou com Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (15) no Brasil Urgente, da Band, e deu a oportunidade para o presidente se defender das críticas que vem recebendo por conta da falta de cilindro de oxigênio em Manaus. A entrevista aconteceu um dia depois das reclamações do apresentador contra o chefe do executivo federal e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O jornalista escutou atentamente ao político, que distorceu as decisões do STF (Supremo Tribunal Federal) e voltou a defender o “tratamento precoce” do coronavírus, considerado ineficaz pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Mais cedo, João Dória fez uma coletiva de imprensa para atualizar a situação do estado de São Paulo em relação ao combate da Covid-19. Durante o evento, ele avisou que dezenas de crianças recém-nascidas de Manaus iriam para a capital paulista, por causa da falta de oxigênio na capital da Amazonas. Em um momento de irritação, ele chamou Bolsonaro de “facínora”.

Datena abriu o Brasil Urgente para que Bolsonaro se defendesse das acusações. O presidente criticou o governador e afirmou que foi impedido pelo STF de agir no combate a pandemia. “Restou pra gente distribuir recursos para os estados e municípios. Isso a gente fez”, afirmou.

Contudo, o governante não está impedido de combater o coronavírus. A decisão da Suprema Corte é que os governadores e prefeitos possuem autorização para aumentar a rigidez dos protocolos para impedir a propagação da Covid-19. Isso significa que, caso Bolsonaro queira realizar um lockdown em todo país, ele tem permissão, mas não pode encerrar o fechamento de estabelecimentos se a decisão for de um estado ou prefeitura.

Bolsonaro voltou a defender também o “tratamento precoce”, com uso de medicamentos que a OMS já informou que é ineficaz. Esse é também um dos motivos das críticas que o presidente tem recebido de diversas autoridades e grupos políticos.

Como Datena entra nessa história?

Na última quinta (14), Datena criticou Jair Bolsonaro no Brasil Urgente e também não poupou Pazuello. “Vai me perdoar o Bolsonaro, é um desastre o ministro Eduardo Pazuello. O presidente da República está demorando demais em tomar uma atitude, que o ministro Pazuello, com todo respeito, parece ser gente boa, bacana, mas é uma pessoa completamente inadequada na condução desse processo de vacinação. Ele devia sair imediatamente do ministério. O presidente, a cada dia que deixa ele lá, complica ainda mais a situação do país”, disse o apresentador.

“O presidente já não ajudou em nada com seu negacionismo. E os políticos brasileiros, de uma forma geral, em nada (ajudaram) porque foram negacionistas também nestas eleições como o Bolsonaro. Quem criticou o Bolsonaro fez quase igual ou pior. Agora, ele (o presidente) podia fazer um bem ao país e tirar o Pazuello do Ministério da Saúde, porque já deu para ele. É uma confusão atrás da outra. Uma hora sai avião, outra hora não sai avião”, acrescentou Datena.

Um dia depois, o apresentador deu espaço para o presidente da República e o interrompeu poucas vezes para fazer pergunta ou dar opinião. Ao final da entrevista, ele limpou as mãos com álcool em gel. Vale destacar que Datena é um dos defensores de ouvir todos os lados.



Mais Notícias