Abriu o jogo

Após ser agredido, Evandro Santo comenta cobrança de LGBT: "O que mais eles querem?"

Humorista contou o fato para Marcelo Bonfá

Após ser agredido, Evandro Santo comenta cobrança de LGBT:
Humorista foi surpreendido com um soco, em Marília (SP) (Foto: Instagram/Reprodução)

Publicado em 25/10/2019 às 22:50:20

Por: Daniel César

Evandro Santo não entendeu a postura dos militantes após ele ter sido agredido num ataque homofóbico durante show nesta semana. O humorista afirmou para Marcelo Bonfá, em entrevista no Youtube, divulgada nesta sexta-feira (25), que não entende o que a classe LGBT espera dele.

O comediante explicou para o jornalista como ocorreram as agressões e de que maneira seus seguidores reagiram ao saber do caso. Bonfá ressaltou que houve internautas que escreveram na rede social que ele mereceu apanhar, porque nunca defendeu a causa gay.

“Que eu nunca apoiei a causa LGBT? Isso é uma palhaçada, porque eu sempre fui em todas as Paradas [Gay], tenho muitos amigos gays. O que é militar? O que é ser militante? O que é ser isso? Muita gente fala muito na internet e não faz nada. Outro dia eu vi que uma casa de travestis e gays que estava quase fechando, porque não tinha verbas, por falta de doações. Então é muito grito, muita voz na rede social e na prática nada”, disparou.

“Amor, olha as matérias minhas no Pânico da Parada Gay. Fui expulso de casa porque era gay. Silvetty Montilla e Leo Aquilla me apoiam. Nany People, sabe? Pessoas que me adoram. Qualquer lugar que eu vá, nunca fui agredido por um gay. É muito estranho isso, porque tem gente que fala assim: ‘cara, minha mãe te adora e o seu personagem me ajudou a me assumir’. Entrei na TV como gay assumido em todos os meus trabalhos, fui gay em horário nobre de domingo, num programa de homens, sabe? Quer mais militância que isso? Minha entrevista com [Danilo] Gentili bateu o [Jair] Bolsonaro, recorde história. O que mais eles querem? O que mais eles querem? O que mais?”, continuou.

Bonfá relembrou o vídeo em que ele debateu com o jornalista Fernando Oliveira sobre homofobia, que levou o público entender que ele não acreditava em homofobia no Brasil e Evandro explicou seu posicionamento.

“Sempre teve homofobia. Muito. Mas os gays conquistaram muito espaço. Hoje a gente tem saunas, aplicativos, podemos andar de mãos dadas na Augusta, na Paulista, mas a violência no Brasil é geral e reflete no gay, porque o gay é da sociedade. Então a violência é com gay, é com a mulher que apanha porque não quis dar o celular, é o uber que é assaltado, a violência reflete em todo mundo, entendeu?”, comentou.

Evandro Sandro agredido

Evandro Sandro foi agredido no dia 18 de outubro em Marília, interior de São Paulo. O incidente aconteceu nos bastidores de um show que ele fez na cidade. O agressor, que assistia à apresentação, teria topado participar de um quadro interativo, mas se aborreceu com uma brincadeira e quis tirar satisfação com o comediante.

Evandro Santo relatou o episódio em seu perfil no Instagram. Em duas fotos, em que aparece com o rosto inchado, ele explicou o que ocorreu e afirmou que pretende processar o rapaz. "Esta foto mostra o quanto devemos ter cuidado com pessoas com aparência 'normal', porque o ódio e a homofobia não têm cara", iniciou o humorista em uma das publicações.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!