Quarta Parede

Personagem de Flávio Migliaccio em Senhora do Destino denunciou descaso com idosos no Brasil

Como Seu Jacques, ator deu vida a carioca que lutava para receber a aposentadoria

Personagem de Flávio Migliaccio em Senhora do Destino denunciou descaso com idosos no Brasil
Entre 2004 e 2005, Flávio Migliaccio divertiu e emocionou como Seu Jacques em Senhora do Destino - Foto: Reprodução/Globo

Publicado em 05/05/2020 às 06:00:00 ,
atualizado em 05/05/2020 às 09:47:26

Por: Walter Felix

Morto na última segunda-feira (4), aos 85 anos, Flávio Migliaccio divertiu gerações de telespectadores, desde o Xerife, da novela O Primeiro Amor e do infanto-juvenil Shazan, Xerife e Cia (ambos na década de 1970), até o impagável Seu Chalita, da série Tapas & Beijos (2011-15). Entre 2004 e 2005, em contrapartida, interpretou um personagem dramático na novela Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva.

Ambientada no Rio de Janeiro, a trama deu a Flávio Migliaccio o papel do carioca aposentado Seu Jacques, morador do bairro Peixoto. Era um personagem bissexto na carreira do ator em novelas, aplaudida por engraçados tipos paulistanos que fizeram sucesso em histórias de Silvio de Abreu, como Rainha da Sucata (1990), A Próxima Vítima (1995) e Passione (2010), entre outras.

Em Senhora do Destino, Seu Jacques era porta-voz das dificuldades enfrentadas pelos idosos no Brasil. Sua principal reclamação era relacionada ao INSS (Instituto Nacional de Seguro Social), que lhe devia a aposentadoria após anos dedicados ao trabalho. Em tom tragicômico, o pai de Alberto (Thiago Fragoso) clamava que não morreria sem ter seu benefício quitado e corrigido - além de reivindicar, com frequência, os direitos dispostos no Estatuto do Idoso, publicado em 2003.

Apesar da abordagem dramática, Migliaccio não deixou de empregar um sabor agridoce a Seu Jacques, possibilitando que o espectador achasse certa graça no retrato daquela tragédia social. Sua vida ganhava novo sentido ao se apaixonar por Djenane (Elizângela), comparsa da antológica Nazaré Tedesco (Renata Sorrah) e que, no decorrer da história, viria a ser vítima fatal da vilã.

Em sua carta de despedida, Flávio Migliaccio atentou ao descaso com a velhice no Brasil. A denúncia já era feita há 15 anos, por meio de seu papel na novela de grande sucesso. Desde então, pouco mudou.

No último capítulo, em sua cena final, Seu Jacques comparece mais uma vez a uma agência do INSS para fazer a prova de vida. Por lá, conhece Edileuza (também vivida por Elizângela), a irmã de Djenane, que ele convida para tomar uma água de coco na praia, depois do expediente. Com o desfecho, a novela deu ao personagem a chance de um recomeço, algo que a vida, mais implacável que a ficção, parece ter negado ao intérprete.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!