Olhar TV

A maturidade de Grazi Massafera em "Bom Sucesso"

Atriz vem com uma das melhores composições do ano na dramaturgia

A maturidade de Grazi Massafera em
Grazi Massafera convence com traços reais de personagem em "Bom Sucesso" - Fotos: Divulgação/TV Globo

Publicado em 23/08/2019 às 05:50:39

Por: Thallys Bruno

Rosane Svartman e Paulo Halm vêm colecionando merecidos elogios pela trajetória da atual novela das 19h. Prestes a completar um mês no ar, “Bom Sucesso” tem mantido médias frequentemente acima dos 30 pontos, elevando o ibope da faixa a índices que não se viam há anos – mesmo beneficiada pela ótima entrega da antecessora “Verão 90”. E um dos pontos mais determinantes do sucesso é sua protagonista, a carismática Paloma – vivida por uma Grazi Massafera em puro estado de graça.

A mocinha tem uma história de fácil identificação na vida real: grávida, foi abandonada pelo antigo noivo Ramon (David Junior), se casou com outro homem e teve mais dois filhos. Com a morte deste, criou os herdeiros sozinha, até se deparar com algo ironicamente assustador: a notícia de que teria apenas seis meses de vida. Prestes a morrer, Paloma chuta o balde e faz loucuras, como transar com um desconhecido – que vem a ser Marcos (Rômulo Estrela) - e rasgar o vestido de uma cliente.

Quando ela descobre que o exame foi trocado com o do milionário Alberto Prado Monteiro (Antônio Fagundes), executivo do setor literário, ela vai atrás desse homem para conhecer sua história, enquanto seus caminhos se cruzam com o de Ramon, de volta ao Brasil para reconquistar a família; e de Marcos, que reencontra aquela mulher por quem se encantou.

Rica e humana, a personagem é cheia de carisma e envolvente. É fácil encontrar os traços de Paloma na vida real, seja a mulher apaixonada dividida entre a reconquista do antigo amor e uma nova e promissora relação; seja a mãe amorosa que sabe manter o pulso firme na criação dos filhos; seja a amiga dedicada que traz leveza e desperta o melhor dos sentimentos. Se os autores foram muito felizes na criação e no desenvolvimento do perfil, tudo isso se torna ainda maior graças ao talento de sua intérprete: Grazi Massafera.

A atriz paranaense esbanja uma impressionante segurança e competência ao viver a costureira. Dona de um raro carisma, Grazi é praticamente uma unanimidade, querida pelo público e pela imprensa. A experiência adquirida ao longo dos anos também joga a favor de seu excelente desempenho e é visível como ela se entrega em todos os dilemas, vivências, dores e delícias de Paloma, tornando o conjunto da protagonista ainda mais agradável – algo que tem sido raro nos últimos tempos, onde vilões costumam roubar a atenção de mocinhos.

Ao lado do brilhante Antônio Fagundes, Grazi faz crescer ainda mais o mote da novela, sobre a leveza da vida. A dobradinha é muito gostosa de se ver e enriquece a costureira como o ponto de humanização do empresário, que vive em conflito com os filhos Marcos e Nana (Fabiula Nascimento). A grande sacada dos autores através da relação de Paloma e Alberto, além de mostrar sobre o sentido de valorizar os pequenos prazeres, é evidenciar que também pode existir uma amizade sincera entre homem e mulher, sem precisar de outros interesses.

Tanto que, para o viés mais romântico da história, ela conta com dois parceiros que também dão conta do recado. Grazi apresenta uma impressionante química tanto com David Junior, cujo Ramon representa o grande amor nunca esquecido e que tenta reaver esse sentimento; quanto com Rômulo Estrela, através de Marcos, despojado e sedutor sem grandes preocupações com a vida, que encontrou em Paloma uma mulher inesquecível. A boa parceria dos atores já vem dividindo torcidas a favor de Marcos e de Ramon, que disputam argumentações para defender quem julgam ser mais merecedor do amor da mocinha – algo já ocorrido em “Malhação Sonhos” (2014-15) e “Totalmente Demais” (2015-16), da mesma dupla Svartman e Halm.



Paloma é a coroação de uma trajetória que começou tímida em “Páginas da Vida” (2006-2007), onde, além da visível inexperiência, Grazi enfrentou preconceitos e olhares tortos por ter vindo do "Big Brother Brasil". Em meio a desacertos como “Tempos Modernos” (2010) e alguns bons momentos, como em “Flor do Caribe” (2013) e “A Lei do Amor”, a atriz já viveu os mais diversos tipos, da mocinha a periguete. Até então, o auge de sua carreira havia sido a inesquecível Larissa de “Verdades Secretas” (2015), a sensual modelo cuja vida é destruída pelo vício em drogas. Na última grande novela de Walcyr Carrasco, Grazi experimentou a aclamação pública, elogiada por sua grandiosa interpretação e até mesmo indicada ao Emmy Internacional do ano seguinte.

Agora, vivendo um tipo popular, Grazi Massafera confirma o acerto de sua escolha. A adorável Paloma é um dos maiores acertos da ótima “Bom Sucesso” e a atriz tem grande parcela de mérito nisso, pois aliou sua maturidade cênica e seu carisma ao excelente enredo dos autores Rosane Svartman e Paulo Halm e à competente direção de Luiz Henrique Rios. Não é exagero dizer que, até aqui, Grazi apresenta uma das melhores composições do ano.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!