Reportar erro
Exclusivo

Carla Cecato desabafa sobre ficar longe do Fala Brasil: “É difícil e dói”

Jornalista também fala sobre seu futuro e detalhes da sua demissão

Carla Cecato de camisa azul na bancada do Brasil
Carla Cecato ficou na bancada do Fala Brasil por 12 anos - Foto: Reprodução/Record
Sandro Nascimento

Publicado em 04/07/2021 às 08:00:48

Carla Cecato, 43, conta que não esta sendo fácil ficar longe do Fala Brasil desde que saiu da Record, em maio. A jornalista permaneceu na emissora por 16 anos, desse total, 12 à frente do jornalístico da manhã. Ao NaTelinha, Cecato revela que não foi surpresa sua demissão e atribuiu sua saída com o desejo da nova cúpula de jornalismo da Record de querer mudar a cara dos noticiários. Porém, ela não guarda rancor e afirma que saiu com as portas abertas. Sobre seu futuro, a âncora faz suspense e diz que conversa com outras emissoras.

“Não está sendo fácil, não vou mentir. Afinal, são dezesseis anos no mesmo lugar, na mesma empresa, com uma mesma rotina. Sinto mais falta das pessoas, do convívio. Do jornal então, nem se fala... O Fala Brasil foi minha casa por 12 anos. Quando entrei, não era casada, nem tinha filho. Ou seja, minha história e da minha família são intrinsecamente ligadas à Record, desde o começo. É um divórcio real, difícil, e dói. Mas faz parte”, diz Carla Cecato, que nos últimos dois anos apresentava o Fala Brasil somente aos sábados.

E continua: “O que mais dói em mim é deixar meus telespectadores. Tenho muito carinho pelo público, pela TV... Em 16 anos ganhei amigos, mesmo que virtuais, e agora tenho a oportunidade de conhecê-los através do meu Instagram”.

Carla foi demitida da Record no dia 13 de maio, e em seu lugar a Record escalou a jornalista Paloma Poeta, irmã da apresentadora Patrícia Poeta. A ex-âncora do Fala Brasil entrou na emissora em 2005 e sua estreia como apresentadora foi em 2008 na bancada do Tudo A  Ver (2004 - 2014). À reportagem, Cecato nega mágoas com a Record e diz que já recebeu propostas de outras emissoras.

 “Semana passada conheci outro alto executivo de televisão, dono de uma emissora. Estou analisando as propostas... Em apenas um mês conheci pessoas fantásticas, novas possibilidades... Parece que o mundo se abriu para mim. Mas para voltar a ser empregada tem que valer muito a pena! Quero poder tocar projetos particulares em paralelo... Carteira assinada não faz mais parte dos meus planos”.

Confira a entrevista completa de Carla Cecato

Como está sendo para você este primeiro mês longe do Fala Brasil e da Record?

Carla Cecato - Não está sendo fácil, não vou mentir. Afinal, são dezesseis anos no mesmo lugar, na mesma empresa, com uma mesma rotina. 

Sinto mais falta das pessoas, do convívio. Do jornal então, nem se fala... O Fala Brasil foi minha casa por 12 anos. Quando entrei, não era casada, nem tinha filho. Ou seja, minha história e da minha família são intrinsecamente ligadas à Record, desde o começo. É um divórcio real, difícil, e dói. Mas faz parte. 

Como está sua rotina? O que tem feito?

Carla Cecato - Por incrível que pareça minha rotina está maravilhosa. Apesar de sentir muita saudade das pessoas e do trabalho, estou experimentando uma liberdade que há mais de 20 anos não sentia. Antes de entrar para a Record, já trabalhava para a Band, SporTV, e Rede Globo... Ou seja, há mais de duas décadas era empregada, obedecia horários, folgas e férias eram impostos pelos empregadores. Essa liberdade é deliciosa.

Sua saída da Record pegou o mercado de surpresa. Foi uma surpresa também para você? O que de fato ocorreu?

Carla Cecato - Na verdade, não. Em 2019 tive um colapso mental durante o trabalho. Eu estava com insônia há três anos, já não aguentava mais dez anos acordando de madrugada, e o excesso de notícias ruins, todos os dias, começara a me fazer mal fisicamente. O Douglas Tavolaro tinha saído, então conversei com o Guerreiro e pedi para deixar a emissora. Sentia que não podia mais contribuir com o meu trabalho, estava esgotada.

O Guerreiro foi extremamente compreensivo e não abriu mão de mim. Disse que tinham vários projetos novos para ir ao ar e que me via em mais de um deles. Fiquei feliz. Apresentei um programa especial de fim do ano, aproveitei para tirar férias que estavam acumuladas, e quando os novos programas iam começar a ir ao ar, no início de 2020, veio a pandemia.

Existiu algo que, hoje, você avaliando acredita ter sido o estopim para sua saída da Record?

Carla Cecato - Acho que a nova direção quer mudar a cara dos apresentadores da Record. Isso está claro! O Domingo Espetacular, o Jornal da Record e o Fala Brasil estão todos com novos apresentadores. É natural, quando um novo diretor assume, querer dar sua cara à emissora. Acho que esse foi o ponto principal. Eu era a cara da Record há 16 anos, quiseram mudar...

Você acha que a contratação da Mariana Godoy já era uma preparação para seu desligamento?

Carla Cecato - Não. A Mariana entrou para fazer os dias da semana. Eu estava aos sábados, à espera do meu novo programa, que até hoje não saiu. Uma pena! O programa já tinha nome, aconteceram várias reuniões, almoços, mas a pandemia atrapalhou tudo.

Está magoada com a emissora? Por quê?

Carla Cecato - De jeito algum. Saí, graças a Deus, com as portas abertas. Tenho muitos amigos lá, amigos mesmo. Sou muito grata à Record por tantos anos de parceria e desejo o melhor para todos. Fora que sou fã das novelas bíblicas e continuo assistindo (risos).

Sua imagem é atrelada ao Fala Brasil. Como é assistir o matinal estando fora da apresentação?

Carla Cecato - Eu já estava fora há dois anos. Por incrível que pareça! Estava só aos sábados, momentaneamente, à espera do produto novo. É que foram tantos anos, todos os dias, eu e Roberta ao vivo de manhã, que ficou difícil esquecer... Realmente marcamos uma época, fizemos história, ficando três anos empatados ou à frente da Rede Globo. Foi uma trajetória de muito sucesso, marcante, mas acabou...

Como está sendo o apoio da sua família neste momento? Qual é o maior desafio nesta sua nova fase?

Carla Cecato - Minha família e eu somos um só. Todos foram demitidos juntos e todos estão se reerguendo juntos. Meu marido e meu filho rápido se adaptaram à nova realidade. Estamos nos organizando para sairmos melhores do que quando entrei na Record.

Quais serão os próximos passos de Carla Cecato? Quer volta à TV?

Carla Cecato - Nossa "Na Telinha", já dei muitos passos desde que saí, já estou praticamente correndo uma maratona (risos)! No mesmo dia que saiu na imprensa que eu tinha sido demitida, um dos maiores nomes do jornalismo brasileiro me chamou para uma reunião e convidou para um projeto novo.

Semana passada conheci outro alto executivo de televisão, dono de uma emissora. Estou analisando as propostas... Em apenas um mês conheci pessoas fantásticas, novas possibilidades... Parece que o mundo se abriu para mim. Mas para voltar a ser empregada tem que valer muito a pena! Quero poder tocar projetos particulares em paralelo... Carteira assinada não faz mais parte dos meus planos.

Qual a mensagem que você deixaria para o telespectador que se habitou a assistir você por 16 anos na tela da Record?

Carla Cecato - O que mais dói em mim é deixar meus telespectadores. Tenho muito carinho pelo público, pela TV... Em 16 anos ganhei amigos, mesmo que virtuais, e agora tenho a oportunidade de conhecê-los através do meu Instagram @carlacecato

No Instagram as pessoas escrevem tantas coisas lindas para mim, torcem pelo meu sucesso, é impressionante! Isso, TV alguma pode tirar! Fiquei muito emocionada com tanto apoio depois da minha demissão! As palavras que definem este momento são gratidão e esperança. Vem muita coisa boa por aí! Estou viva, venci a Covid, isso é que importa! Tenho amigos, família, comida, Deus, um teto... A vida, na verdade, é simples. O que importa mesmo são os relacionamentos, as pessoas, e o amor... E nesse quesito, graças a Deus, estou muito bem empregada!  (rs) Obrigada "Na Telinha" pelo carinho, um beijo grande pra você! 



Mais Notícias