Reportar erro
Posição

Casagrande defende Tite e critica jogadores da seleção brasileira: "Covardia"

Comentarista é contra a Copa América no Brasil

Casagrande falou sobre a Copa América
Casagrande opinou sobre a Copa América - Foto: Reprodução/Globo
Redação NT

Publicado em 07/06/2021 às 17:21:00,
atualizado em 07/06/2021 às 17:21:44

Walter Casagrande desabafou no Globo Esporte SP desta segunda-feira (7) contra o manifesto que os jogadores da seleção brasileira devem divulgar na terça (8), logo após o jogo contra o Paraguai pelas Eliminatórias. O comentarista é favorável que os atletas não disputem a Copa América por conta dos problemas que há no Brasil. Ele também saiu em defesa do técnico Tite, que se tornou alvo de ataques de grupos bolsonaristas.

“Manifesto? Esquece, gente. Ou joga ou não joga. ‘Nós vamos jogar, mas somos contra isso, isso, aquilo’. Toma uma atitude de homem. Covardia isso que os jogadores vão fazer. A seleção brasileira estava precisando de uma atitude de homem, de peso. O Brasil está numa crise sanitária enorme”, afirmou o comentarista.

Casagrande também se posicionou sobre os ataques que o técnico Tite tem sofrido nos últimos dias de grupos bolsonaristas. O comandante da seleção brasileira vem sendo chamado de comunista e acusado de ser o responsável por convencer os jogadores a ficarem contra a Copa América.

“Eu acho uma covardia o que estão fazendo com o Tite. Hoje o Flávio Bolsonaro gravou um vídeo acusando o Tite, jogando o Tite na cova dos leões. Uma injustiça. O Tite é o treinador da seleção brasileira, foi unânime lá trás, primeiro lugar nas eliminatórias, qual o motivo de fazer isso com o Tite? Covardia isso”, opinou o ex-jogador.

Walter Casagrande fala sobre Caboclo

Rogério Caboclo foi afastado da presidência da CBF, porque acabou sendo acusado de assédio por uma funcionária da entidade. Casagrande deixou claro que seu desejo é que a Copa América não ocorra, mas que não tem nada a ver com o executivo.

 “Não é por causa do Caboclo que não queremos a Copa América aqui, Caboclo é outro problema. Tem outra: tá pipocando muita coisa no futebol brasileiro. Teve a situação do Neymar, que é uma coisa que a gente não sabe, tem o Robinho que é condenado há nove anos e tem o Rogério Caboclo agora. É muita coisa de assédio e machismo dentro do futebol brasileiro”, concluiu.



Mais Notícias