Reportar erro
Memórias da Telinha

Há 25 anos, Globo lançava Sai de Baixo para minar Topa Tudo por Dinheiro de Silvio Santos

Sai de Baixo marcou uma geração nas noites de domingo da Globo

Caco Antibes fazendo careta e Silvio Santos sorrindo no Topa Tudo por Dinheiro
Caco Antibes virou pedra no sapato de Silvio Santos - Foto: Reprodução/Montagem
Thiago Forato

Publicado em 27/03/2021 às 10:30:23

No final de março de 1996, mais precisamente no dia 31, a Globo estreava a série Sai de Baixo, que marcaria época nos domingos da emissora. A intenção era acabar com a supremacia de Silvio Santos depois que o Fantástico ia ao ar, que chegava a marcar o dobro de audiência apostando em brincadeiras com o auditório e câmeras escondidas.

A gangorra de audiência preocupava a Globo, que liderava de braçada enquanto o Fantástico estava no ar. Mas logo que terminava, vinha a dor de cabeça. Silvio Santos era conhecido como o "campeão das 10 horas", e na esperança de quebrar sua hegemonia, lançou um humorístico com plateia, nos moldes da Família Trapo (1967-1971).

Para se ter uma ideia da enxaqueca que o homem do Baú causava, uma semana antes do Sai de Baixo estrear, o Topa Tudo por Dinheiro aplicou uma goleada de 35 pontos contra 17 do seriado Superman na Grande SP. O humorístico conseguiu elevar o horário para 26 pontos, empatando com Silvio.

A virada aconteceu um domingo depois, quando o Sai de Baixo já dava mostras que cairia no gosto popular. A série protagonizada por Miguel Falabella venceu por 31 pontos a 22, e uma semana depois, anotou 29 ante 26 de Silvio Santos.

Tentando reverter a situação, o patrão, para variar, se mexeu: esticou o próprio programa em meia hora. O Topa Tudo deixou de terminar às 23h30 e passou a se encerrar à meia-noite, voltando a concorrer com Superman. O fato lhe trouxe a liderança de volta na média geral.

Sai de Baixo mirou em Família Trapo e teria outro título

Há 25 anos, Globo lançava Sai de Baixo para minar Topa Tudo por Dinheiro de Silvio Santos

Poucos meses antes de ser lançado, o jornal O Globo noticiou em edição de dezembro de 1995 que a emissora preparava uma comédia popular no estilo Família Trapo, e que Tom Cavalcante teria sido o escolhido para encabeçar o projeto intitulado de Amigos, Amigos.

O projeto ainda estava em fase de discussão e a ideia era que o programa fosse ao ar aos sábados contra A Praça é Nossa ou no problemático horário pós-Fantástico, onde Silvio Santos de fato reinava.

Amigos, Amigos ainda viraria Querida Família, até se tornar o Sai de Baixo e a sinopse que todo mundo conhece: Num decadente apartamento no Largo do Arouche, centro de São Paulo, moram Vavá (Luiz Gustavo), dono da Vavatur - agência de turismo que funciona na sala do apartamento -, seu sobrinho Caco (Miguel Falabella), casado com a fogosa Magda (Marisa Orth), e Cassandra Sayão (Aracy Balabanian), irmã de Vavá.

Cláudia Jimenez, que estava afastada da TV há quatro anos, retornaria com o papel da empregada Edileusa. Tom Cavalcante, como Ribamar, completaria o elenco do humorístico, que era gravado semanalmente às terças-feiras, no teatro Procópio Ferreira, em são Paulo.

O Sai de Baixo teve oito temporadas entre 1996 e 2002. Em 2013, teve quatro novos episódios produzidos para serem transmitidos no Canal Viva. Posteriormente, foram ao ar também na Globo. Em 2019, ganhou seu primeiro e único filme até aqui, reunindo o elenco original.




Mais Notícias