Reportar erro
Polêmica

Márcio Garcia se posiciona sobre festa de Réveillon do irmão e revela: "Já peguei Covid"

Apresentador é contrário ao evento divulgado por Marcello

Márcio Garcia sorridente na sala da sua casa
Márcio Garcia falou sobre o irmão - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 11/12/2020 às 16:14:00

O apresentador Márcio Garcia usou seu perfil do Instagram nesta sexta-feira (11) para esclarecer sobre a festa de Réveillon para 400 pessoas que terá seu irmão, Marcello Machado, como DJ. Ele afirmou que é contra o evento e ressaltou a importância das pessoas seguirem as recomendações de segurança para evitar a proliferação do novo coronavírus. O artista ainda revelou que ele e sua família foram contaminados pela doença e negou que o irmão seja o organizador do evento. "Se ele escreveu que está [organizando], ele escreveu errado. Ele nunca fez festa, o que ele faz é tocar e fazer programação visual porque ele é formado nisso."

“Eu já peguei o Covid. Eu, minha esposa e meus filhos já pegamos o Covid há alguns meses, mas achei melhor não revelar na época para não causar nenhum tipo de comoção. Mas resolvi falar agora. Tive uma diarreia pequena, não tive muitas sequelas. A gente achava, na época, que só quem era do grupo de risco que tinha risco e não é verdade. Estamos vendo isso agora que muita gente com perfil totalmente fora do grupo de risco teve sequelas gravíssimas e algumas até morreram. Então a gente tem que levar muito a sério essa questão”, contou.

Sobre a festa de fim de ano, explicou: “Eu confesso que não tinha me atentado que era uma festa presencial. Fui no post dele, coloquei umas palminhas achando que era uma festa virtual, mas depois de alguns comentários, me atentei que era uma festa presencial, com alguns cuidados, é claro”.

Márcio contou aos seus seguidores que não é favorável a festa presencial e que tentará convencer o seu irmão a desistir de tocar no evento. Inicialmente, Marcello chegou a informar que era o promoter da festa, mas Garcia explicou que o seu familiar se enganou. Ele ressaltou que profissionais de entretenimento estão sendo prejudicados por causa da pandemia e por isso é preciso criatividade para não colocar as pessoas em risco.

“Quero deixar registrado que eu não concordo. Não acho correto, em nenhum momento eu iria participar ou estava planejando participar de nenhuma festa, Vou tentar convencê-lo a não participar da festa, apesar que eu sei que ele precisa trabalhar, assim como muitos profissionais desta área precisam trabalhar, mas não dá pra ser desta forma, infelizmente. A gente tem que ser mais criativo, buscar soluções virtuais até que essa crise volte a abaixar”, declarou.

“Quero deixar registrado o meu arrependimento de ter curtido a festa e deixar claro que vou tentar convencê-lo a não fazer nenhuma festa neste final de ano, assim como vou tentar convencer qualquer outra pessoa. Acho que esse é o meu papel e o seu papel enquanto cidadão. No meu caso, como irmão. Há outras formas da gente ganhar o nosso pão de cada dia do que expor as pessoas. A gente tem provas cabais que mostram que não adianta você não ser do grupo de risco. Não dá pra gente brincar. Deixo aqui registrado minha preocupação com as pessoas, temos que usar máscaras, ficar isolados e, aqueles que precisam sair para a rua, que vá com todo cuidado, com máscara, evite contato, evite tocar a mão. Eu sei que estamos com saudades de abraçar, mas vamos evitar. Esse é o nosso papel como cidadão”, concluiu.

Márcio Garcia e seu irmão

Marcello Machado anunciou que faria uma festa de Ano Novo para 400 pessoas no Rio de Janeiro, em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e tendo o pai internado justamente com a doença. Em sua conta no Facebook, anunciou: "Quem tá animado pra curtir o Réveillon, aí? Estou preparando uma festa para 400 pessoas, no máximo, em um espaço aberto que tem mais de 3 mil metros quadrados, de frente pro canal. O local será a Bella Marina".

O evento, segundo ele, terá consumação mínima de R$ 200 por pessoa: "Como estou assinando a produção da festa, quem me conhece já sabe o quanto sou perfeccionista. Não haverá venda de ingressos, pois queremos que a festa seja um sucesso, como festa... com todos se divertindo e aproveitando ao máximo, por isso, decidimos transformar o valor que seria de entrada em consumação mínima de R$ 200,00 por pessoa, que cada um gasta com o que quiser. E ai gostaram do formato? Por enquanto os DJs confirmados são: Eu e meu amigo Roger Lyra".

A festa vai de encontro no mesmo período que o pai de Marcello e Márcio está internado por causa da Covid-19. O idoso apresentou melhoras e já não se encontra intubado, conforme revelou o apresentador nesta sexta.

Marcello divulga a festa em meio a um caos no Rio de Janeiro com a Covid-19. Não há mais vagas em leitos na cidade. Somente na última quarta-feira (9), foram confirmados mais 160 mortes e 3.331 casos no estado.

Mais Notícias