Nova ferramenta

Netflix mira incluir transmissões ao vivo no streaming

Assim como Disney testou nos EUA, Netflix também deverá incluir transmissões ao vivo


Logo da Netflix em um grande outdoor
Netflix não quer ficar para trás e nova ferramenta está em fase inicial - Foto: Divulgação/Netflix

A Netflix não quer ficar de fora dessa nova etapa do streaming, e pela primeira vez se vendo um cenário de perda de assinantes, começa a testar uma ferramenta para incluir transmissões ao vivo. A informação foi publicada pelo portal Deadline e destaca que ela estaria nos estágios iniciais de desenvolvimento.

Uma das possibilidades é que a empresa utilize tecnologia para realizar votações ao vivo em programas de competição ou talent shows. Algumas das opções listadas também incluem o festival de comédia Netflix Is a Joke. A primeira edição ocorreu neste ano em Los Angeles, na Califórnia, com conteúdos sendo gravados para exibições futura.

A novidade pode ajudar a Netflix a estancar o crescimento dos rivais, principalmente do Disney+, que já começou as transmissões ao vivo nos Estados Unidos. Detentora dos direitos do Oscar há anos, ela sempre transmitiu o evento via ABC, canal número 1 do país. Em 2022, ainda, a casa do Mickey Mouse deverá transmitir o Dancing With The Stars.

Netflix faz malabarismo para evitar queda

imagem-texto

Para tentar conter as quedas nos números de assinantes e receitas, a plataforma resolveu antecipar a chegada de publicidade e bloquear compartilhamento de senhas. Em um comunicado divulgado entre os funcionários da empresa, a companhia avisou que a camada de propagandas no serviço já vai ser introduzida entre outubro e dezembro deste ano, segundo o The New York Times.

Em outra decisão da empresa, a Netflix vai começar a impedir o compartilhamento de senhas também no final deste ano, conforme a mesma nota escrita pelos executivos da companhia.

"Todas as grandes empresas de streaming, excluindo a Apple, anunciaram ou anunciaram um serviço suportado por anúncios", dizia a nota da Netflix. "Por uma boa razão, as pessoas querem opções com preços mais baixos", completou.

A Netflix perdeu cerca de US$ 6,25 bilhões de dólares anualmente por conta de comércio eletrônico que vendem compartilhamento ilegal de senhas e de pessoas que compartilham a senha de acesso.

Não por acaso, o serviço de streaming contra-atacou, permitindo que usuários adicionassem outros dois caso pague US$ 2 em países como Costa Rica, Peru e Chile, conforme o NaTelinha publicou em primeira mão.

De acordo relatório divulgado, até 36% dos usuários da Netflix compartilham sua senha com pelo menos um membro da família e 13% com um amigo com quem não vivem na mesma casa. 

Além disso, a Netflix segue aumentando seus preços na maior parte do mundo. No Brasil, houve reajuste superior a 20% em meados de 2021, e a plataforma também aumentou o custo em outros países para tentar arrecadar mais. Apesar das tentativas da empresa, a Netflix deve perder mais de 2 milhões de assinantes no segundo trimestre de 2022.

Acompanhe a TV NaTelinha no YouTube

Resumos de novelas, entrevistas exclusivas, bastidores da televisão, famosos, opiniões, lives e muito mais!

Inscreva-se
Mais Notícias