Reportar erro
Buscando ajuda

Sorocaba explica encontro polêmico de sertanejos com Bolsonaro e garante: "Apartidário"

Cantor destacou os pontos debatidos na ocasião

Sertanejos e Bolsonaro
Sertanejos e Bolsonaro - Foto: Montagem/Reprodução
Redação NT

Publicado em 29/01/2021 às 16:14:47,
atualizado em 29/01/2021 às 16:19:15

Na última quarta-feira (27), vários nomes conhecidos da música, especialmente sertaneja, se reuniram com o presidente Jair Bolsonaro e alguns ministros. O encontro aconteceu numa churrascaria em Brasília e vários momentos viralizaram, onde vários deles apareciam sem máscara, mesmo quando não estavam comendo, e sem respeitar o isolamento social. Sorocaba, o porta-voz do setor, explicou o intuito desse momento.

Ao G1, o parceiro de Fernando contou que o objetivo foi conversar sobre o entretenimento, que está parado desde março por conta da pandemia da Covid-19. O grupo pleiteia uma linha de crédito e, na ocasião, ainda foram organizadas algumas propostas para serem apresentadas em outra data, que acontecerá com as presenças de Gilson Machado, ministro do Turismo, e Mário Frias, secretário de Cultura.

"Foi uma movimentação apartidária, um movimento em que a gente foi reivindicar junto a quem está governando benefícios para o setor, com uma retomada justa e correta quando puder voltar. E a gente sabe que vai precisar esperar pelo menos parte da população ser vacinada. Fomos buscar linha de créditos. Linha de crédito não pro Gusttavo Lima, não é para os pesados. É para quem não tem gordura para queimar. Para quem não tem saída", disse o sertanejo.

Em outro momento, ele também destacou as dificuldades que muitos membros do setor estão passando atualmente. "Enquanto tinha auxílio emergencial, boa parte do setor estava tocando a vida, mas agora estão passando necessidades. A ponto de a gente receber ligação de pessoas do segmento passando fome", explicou.

Tópicos do setor de entretenimento em encontro com Bolsonaro

A reunião aconteceu de forma informal, e nesse primeiro momento, não foi definida qualquer proposta. "A gente só levantou os posicionamentos para posteriormente começar um bate-papo com o ministério e tudo mais. Eles se mostraram muito solícitos com a causa do entretenimento", garantiu.

Entre os tópicos que foram levantados, estão a busca da linha de crédito, para poder conseguir manter os funcionários. Além de sugestões de como o setor pode ser ajudado. "A gente gostaria que as prefeituras se movimentassem, quando voltar a fazer shows, para contratar artistas regionais, municipais e nacionais, em aniversários de cidades. A prefeitura de tal cidade tem uma verba, que tenha um teto, para gastar com um artista nacional, alguns artistas regionais e muitos artistas do município", justificou.

O cantor ainda destacou que nesse momento não foi reivindicado o retorno dos shows, e sim focado nessa questão financeira. "A gente não foi reivindicar pra voltar a fazer show. Não podemos fazer shows? Tudo bem. O setor mais atacado foi o setor do entretenimento? Maravilha, tudo bem. Só que a gente tem que ter subsídio, como o setor agrícola tem quando vai mal, como a mineração tem quando vai mal", contou.

Vale lembrar que no momento do encontro, Bolsonaro fez um discurso que contou com grandes ataques para a imprensa, que repercutiu os gastos do seu governo no ano de 2020. Alguns famosos que estavam presentes apoiaram a posição do político, e o NaTelinha fez uma lista com os nomes.

Mais Notícias
Outros Famosos