Olhar TV

Despedida de Rita de Cássia destaca talento de Flávia Alessandra em “O Sétimo Guardião”

Despedida de Rita de Cássia destaca talento de Flávia Alessandra em “O Sétimo Guardião”
Divulgação/ TV Globo

Thallys Bruno
i

Thallys Bruno

Thallys Bruno Almeida é um grande fã de teledramaturgia brasileira e adora escrever sobre novelas e séries. Agora está no NaTelinha. Siga-o no Twitter: @thallysbalm

Publicado em 07/04/2019 às 08:30:59

Como se sabe, “O Sétimo Guardião” enfrenta inúmeros problemas desde antes de sua estreia. Sem empolgar, a novela das 21h de Aguinaldo Silva continua desinteressante inclusive às vésperas de sua reta final, desperdiçando o talento de grande parte de seu elenco. No entanto, nos últimos capítulos, a revelação do fetiche do delegado Machado (Milhem Cortaz) por usar calcinha e a consequente morte do mesmo, um dos sete guardiões da misteriosa fonte azul, renderam momentos de destaque para Flávia Alessandra, que vive Rita de Cássia, a exuberante esposa da autoridade policial.

Vivendo uma relação entre tapas e beijos, muito em função do machismo do delegado em relação ao desejo da esposa (se deixar filmar nua em uma cachoeira para um documentário sobre a cidade), a relação era um dos núcleos mais desinteressantes de O Sétimo Guardião e nunca rendeu maiores frutos para os dois atores.

Até que, com a revelação do segredo da fonte misteriosa para toda a população, em meio à turba liderada por Mirtes (Elizabeth Savalla), a fanática religiosa que desmascarou a fantasia secreta do policial, o mesmo tentou impedir a invasão da mansão onde a fonte fica e sofreu uma grande humilhação pública, agredido por populares e deixado seminu em frente a todos. Trancado na delegacia, ele desperta a apreensão de Rita, desconsolada com as humilhações, até que ela entra no local e se depara com o corpo do marido, assassinado, com um bilhete ameaçador que sugere a morte de todos os guardiões. Horrorizada e arrasada, Rita culpa o grupo de protetores e anuncia sua despedida de Serro Azul.

E foram justamente as sequências da aspirante a atriz desesperada com o falecimento do marido que finalmente valorizaram o talento de Flávia Alessandra. A atriz pôde se entregar por completo em todos os momentos da dor de Rita e emocionou bastante. Foi difícil não se sentir tocado pelo brilhante desempenho de Flávia nestas cenas. Só é uma pena que esta valorização tenha demorado tanto para ocorrer, já que o perfil pouco acrescentava à história principal – que já não era atrativa o suficiente.

Flávia já havia atuado com Aguinaldo em “A Indomada”, “Meu Bem Querer”, “Porto dos Milagres” (atualmente no canal Viva) e “Duas Caras” – cuja personagem, a sensual Alzira, rendeu problemas com a classificação indicativa na época. No entanto, seus melhores momentos foram ao lado de Walcyr Carrasco, especialmente em grandes sucessos como “Alma Gêmea”, onde viveu a icônica vilã Cristina Saboya e “Caras e Bocas”, na pele da adorável mocinha Dafne. Foi o autor paulista quem confiou à atriz alguns dos seus perfis de maior destaque na carreira.

Por tudo isso, é preciso aplaudir Flávia Alessandra pelo brilhantismo apresentado nas cenas finais de sua personagem – que marca sua despedida antes mesmo do desfecho de “O Sétimo Guardião”. A despedida de Rita da cidade de Serro Azul rendeu merecidos elogios e a atriz finalmente foi valorizada. Pena que demorou muito para isso acontecer. Fica o desejo de que ela tenha melhor sorte em seus próximos papeis. Ela merece muito mais.

 


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!