Olhar TV

Polêmicas recentes comprovam que Silvio Santos não está imune a críticas

Assédio a Cláudia Leitte é apenas um exemplo do lamentável comportamento do comunicador





Sílvio Santos no Teleton 2018
Lourival Ribeiro/ SBT

Publicado em 13/11/2018 às 06:05:00 ,
atualizado em 13/11/2018 às 10:55:22

Por: Thallys Bruno

Silvio Santos voltou a se envolver em polêmicas – o que tem sido uma constante nos últimos tempos. No último sábado (10), durante encerramento do "Teleton", o comunicador recebeu a cantora Cláudia Leitte, que apresentou “Balancinho”, sua nova aposta para o Carnaval de 2019.

Quando a baiana adentrou o palco, Silvio (veja vídeo no final) disse que não iria abraçá-la, pois ela o deixaria excitado – e, perguntado se a “excitação” teria a ver com euforia ou alegria, ele disse que se tratava de excitação mesmo, no sentido libidinoso. Visivelmente constrangida, a cantora levou a situação com bastante jogo de cintura. No entanto, nesta segunda, ela expressou seu desconforto com o ocorrido.

Não é a primeira vez que Silvio chama a atenção por este comportamento lamentável. No ano passado, o veterano promoveu uma brincadeira de mau gosto entre a jovem atriz Maísa Silva, uma das apostas do SBT, e o jornalista Dudu Camargo, sugerindo que o apresentador do “Primeiro Impacto” namorasse a garota, que chegou a chorar no ar e abandonou a gravação. Posteriormente, o comunicador ironizou a apresentadora Fernanda Lima, ao declarar que “com essas pernas finas, ela não ia fazer nem amor nem sexo” (referindo-se ao programa comandado pela gaúcha na Globo, atualmente em sua décima primeira temporada).

Ao contrário do que pode parecer, Silvio não está acima do bem e do mal. Seus comentários e atitudes têm consequências e muitas vezes elas se refletem em justas críticas do público, às quais ele não está imune – como nenhuma outra pessoa.

Thallys Bruno

A própria Fernanda, inclusive, tem sido atacada por setores conservadores por propor o combate ao preconceito, sugerindo “sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino” – discurso confundido por eles como se ela sugerisse boicotar o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, do PSL.

E as polêmicas não se resumem aos casos de assédio. Dono de uma postura assumidamente governista desde o começo de sua carreira como dono de TV, o “homem do Baú” exibiu recentemente constrangedoras chamadas fazendo referências ao slogan “Brasil: Ame-o ou Deixe-o”, símbolo da época mais repressora do regime militar brasileiro. Antes, já havia veiculado comerciais em tom alarmista sobre a reforma da Previdência Social, proposta pelo governo de Michel Temer.

Após se manifestar, Cláudia Leitte recebeu o apoio de diversas artistas, que condenaram veementemente o comentário de sétima categoria do comunicador. Ao mesmo tempo, admiradores de Silvio criticaram a postura da cantora e de suas apoiadoras, alegando que foi apenas uma brincadeira que ele faz comumente em seu programa e se manifestando “contra a chatice do politicamente correto”.

Estes comportamentos recentes do comunicador permitem uma reflexão. Sabe-se que Silvio é adorado por milhões de brasileiros por sua notável trajetória – não sem méritos, diga-se. O apresentador é dono de um raro carisma e domina seu público como poucos – não à toa, em todo e qualquer programa que comanda, ele costuma ser a própria atração. Isto o credenciou a se tornar uma das figuras mais queridas do Brasil.

No entanto, ao longo dos últimos anos, Silvio vem perdendo qualquer noção sobre o que é certo ou errado. O apresentador nunca teve papas na língua, é verdade, mas tem ultrapassado este limite com frequência. O comentário dito para Cláudia Leitte já seria de mau gosto por definição pelo fato de estarem em um ambiente inadequado e por ser uma relação estritamente profissional. Mas ainda havia o agravante de ambos serem casados, terem suas famílias, parte das filhas de Silvio estava no palco e estavam ao vivo para milhões de pessoas em uma maratona beneficente que tem como seu principal público o infantil e que é constantemente reconhecida pela credibilidade da AACD. De enojar.

Uma crítica constante dos defensores de Silvio é a de que “se fosse na Globo estariam silenciando”. Esta alegação não procede, uma vez que a mobilização do grupo de artistas começou justamente quando veio à tona um caso de abuso sexual na própria Globo: a figurinista Su Tonani denunciou à Folha de São Paulo que o ator José Mayer a constrangia com cantadas vulgares e a tocava sem permissão. O ator negou as acusações, no entanto, em virtude da repercussão geral, admitiu o ato e, desde então, está afastado das produções da emissora, por determinação da mesma.

Outra alegação questionável das reações às críticas a Silvio é a de que “ele faz estas brincadeiras há muitos anos e ninguém reage”. Ledo engano. Uma pessoa pode gostar deste tipo de “brincadeira” e dar este tipo de liberdade, mas outra não. Afinal, somos totalmente diferentes uns dos outros e, como tal, temos reações diferentes. Algumas de suas colegas estão acostumadas mesmo, mas nem todas reagem da mesma forma. A própria Patrícia Abravanel já foi constrangida por uma brincadeira do pai – e, segundo o colunista Ricardo Feltrin, do UOL, havia junto à família justamente o temor de que a personalidade sem freio de Silvio acabasse constrangendo alguém.

O elogio à beleza física de uma pessoa é natural ao ser humano, pois faz parte dos nossos sentimentos. No entanto, existem formas e formas de expressar este encantamento. Se Silvio dissesse “você está linda”, por exemplo, seria bem mais aceitável e respeitoso. No entanto, insinuar um desejo sexual em pleno palco, em uma maratona beneficente, para uma mulher, casada e com família, como Cláudia Leitte, é de um mau gosto assustador. Ela tem toda razão em se sentir ofendida, pois não consentiu liberdade para isto.

É uma pena que Silvio Santos esteja enveredando pela polêmica rasteira para se manter em evidência. O comunicador sempre foi conhecido pela sua interação com suas “colegas de trabalho” e sempre se orgulhou de ter o auditório mais feminino do Brasil. No entanto, isto parece não se refletir no trato com algumas de suas convidadas. Ao contrário do que pode parecer, Silvio não está acima do bem e do mal. Seus comentários e atitudes têm consequências e muitas vezes elas se refletem em justas críticas do público, às quais ele não está imune – como nenhuma outra pessoa. Não se trata aqui de desmerecer sua trajetória, longe disso. Mas de reafirmar que nenhuma mulher merece ser desrespeitada, de nenhuma forma.

Thallys Bruno Almeida é um grande fã de teledramaturgia brasileira e adora escrever sobre novelas e séries. Agora está no NaTelinha. Siga-o no Twitter: @thallysbalm



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!