Sandro Nascimento
Reportar erro
Confirmado

Globo fala sobre "O Sétimo Guardião", ignora problema jurídico e ameniza cancelamento

Anúncio confirma notícia trazida pelo NaTelinha no dia 1º de setembro

aguinaldosilvafoto_844c0901425b06a839257126dab3319d9db736ed_bf0c76a084a572d4f6e2b455e4889915b644efbb.jpeg
Divulgação
Sandro Nascimento

Publicado em 13/10/2017 às 11:59:11

A confirmação do cancelamento da novela "O Sétimo Guardião", de Aguinaldo Silva, em pleno feriado de Nossa Senhora de Aparecida, nesta quinta-feira (12), foi resultado de uma estratégia adotada pela Globo para amenizar o impacto da notícia e preservar um dos seus principais autores.

Segundo fontes dentro da emissora, ela decidiu derrubar a trama após uma minuciosa análise em todos os documentos referentes à obra por peritos em direitos autorais. Percebe-se que existia brechas para uma guerra de liminares exigindo coautoria da sinopse de "O Sétimo Guardião" pelo ex-aluno de Aguinaldo Silva, o escritor Silvio Cerceau ou outro participante da oficina de roteiristas ministrado pelo novelista em 2015, pleiteando os créditos.

Ainda de acordo com a fonte, a Globo se sentiu ameaçada de exibir no horário mais caro da TV brasileira um produto com investimento milionário e acabar sendo proibida por uma decisão da Justiça de colocar um capítulo no ar. Com tudo isso, a Globo decidiu derrubar a história que já contava na sua escalação com os atores Lília Cabral, Renata Sorrah, Viviane Araújo, Milhem Cortaz, entre outros.

Toda situação seria um escândalo e um desgaste na imagem da emissora, que em junho se uniu a grandes companhias internacionais de entretenimento, entre elas Netflix e HBO, na coalisão ACE (Alliance for Creativity and Entertainment), que busca assegurar os direitos autorais das empresas via streeaming. 

Globo fala sobre \"O Sétimo Guardião\", ignora problema jurídico e ameniza cancelamentoO aluno que briga pelos seus direitos com Aguinaldo Silva

O cancelamento de "O Sétimo Guardião" e a entrega de uma nova história para a faixa das 21h foi tomada no início de setembro entre a direção da Globo e o autor Aguinaldo Silva, e noticiada com exclusividade pelo NaTelinha. Após a publicação, a emissora e o autor negaram veementemente em diversos veículos o fim da produção. Alguns sites, faltando à ética do bom jornalismo, tentaram desmerecer a veracidade das informações obtidas pelo NaTelinha e que se confirmaram ontem (12), através da colunista Patricia Kogut, do jornal O Globo.

A notícia publicada sobre o cancelamento da novela pelo NaTelinha era tratada de forma sigilosa pelo canal e ocasionou numa busca ao responsável pelo vazamento para a imprensa. "O Sétimo Guardião" tinha em torno de 30 capítulos já escritos.

A notificação enviada pelo ex-aluno Silvio Cerceau e recebida por Aguinaldo Silva no dia 13 de setembro, sobre os direitos autorais da sinopse da trama das nove, apenas retificou a decisão tomada pela emissora.

Após o acorrido, a Globo montou a melhor estratégia para informar aos jornalistas a sua decisão. Durante o feriado prolongado do dia 12 de outubro e próximo ao lançamento da novela "O Outro Lado do Paraíso" foi a data escolhida.

O autor Aguinaldo Silva informou em sua redes sociais que trabalha com a sinopse de uma nova novela, com o título provisório "A História dos Lobos". Ele deverá apresentar até dezembro o argumento e a sinopse da trama, depois, se aprovada, ele entrega um bloco de no mínimo cinco capítulos para avaliação dos diretores da Globo. Ganhando o sinal verde, obedecendo uma regra do diretor de dramaturgia da emissora, Silvio de Abreu, e que vale para todos os autores da casa, ele terá que 70 capítulos antes da estreia da nova obra.

Procurada pela reportagem, a Globo se pronunciou, amenizando toda a situação: "Aguinaldo Silva avisou à Globo que, ao começar o desenvolvimento de 'O Sétimo Guardião', viu novas possibilidades de história e se encantou por um caminho totalmente novo. A Globo topou, manteve a previsão de estreia da novela, depois da do João Emanuel, e te deu um prazo até dezembro para a entrega dessa nova proposta de texto. O autor está viajando para Portugal e usará esse tempo para desenvolver essa nova trama".

Nos corredores dos Estúdios Globo, entretanto, acredita-se que dificilmente a produção entrará no ar em outubro de 2018. Isso se explica porque a rede teria poucos meses para construir cidades cenográficas, realizar pesquisas de produção e montar estratégias entre uma sinopse aprovada e o início das gravações. Um investimento milionário que geralmente o canal líder de audiência trabalha com projeções de logística de produção em torno de dois anos.

Globo fala sobre \"O Sétimo Guardião\", ignora problema jurídico e ameniza cancelamentoNo ar em "A Força do Querer", Lília Cabral é nome certo em qualquer uma das duas novelas de Aguinaldo

A novela da autora Manuela Dias, estreante na faixa das nove, pode ocupar o lugar de Aguinaldo Silva. Como consequência, "A História dos Lobos" estrearia somente no primeiro semestre de 2019.

Toda a polêmica envolvendo os direitos autorais de "O Sétimo Guardião" teve seu início no dia 31 de maio, após matéria publicada pelo NaTelinha. Com o título "Nova novela de Aguinaldo Silva se vê envolvida em polêmica de direitos autorais", a reportagem trouxe ao conhecimento do público, com diversos documentos, todo imbróglio em torno da sinopse da novela e sua possível concepção durante o curso de roteiristas ministrado por Aguinaldo Silva em 2015 com seus 26 alunos.

Na época, procurado pela reportagem, o assessor do novelista, Francisco Patrício, falou sobre a polêmica:

"Primeiro, os caras receberam o dinheiro (valor da matrícula de R$ 4 mil + juros), ninguém pagou nada para estar na Master Class, eles receberam o dinheiro todo. Se alguém está insatisfeito, se tem um cara que está insatisfeito, vai na Justiça e processa, não tem que ficar enchendo o saco. Se entre 20 e poucas pessoas tem uma insatisfeita, assuma que está insatisfeita, não fale em nome do grupo e vai na Justiça e entra.

Uma pessoa como Aguinaldo não tem nada a declarar pelo histórico dele. Aguinaldo precisa de alguém para escrever pra ele? Vou te dar um exemplo, as maiores novelas de Aguinaldo não tinha nenhuma relação com isso. 'Império' não nasceu de uma Master Class, 'Tieta' não nasceu de uma Master Class, nem existia. Tem algum oportunista medíocre que quer se aproveitar, entra na Justiça e corra atrás dos seus direitos. Quem tem que apurar é a Justiça..

O objetivo da Master Class é ensinar as pessoas, escrever uma novela e é feito um exercício. Esse exercício foi aproveitado? Foi. Mas isso é um esboço, uma ideia e quem deu a ideia foi o Aguinaldo ainda".