Celso Portiolli responde boatos e não se vê fora do SBT: "Não dou e também não quero esse desgosto"

Apresentador fala sobre TV, rádio, YouTube, "Domingo Legal", melhores programas e gratidão a Silvio Santos

Divulgação/SBT

Publicado em 04/09/2017 às 07:00:01 , atualizado em 04/09/2017 às 09:52:09

Por: Fabrício Falcheti com Sandro Nascimento

Ele é apresentador de televisão, radialista, empresário e youtuber. Com o microfone na mão, se realiza. Passou por várias áreas da comunicação e tem experiência, mas não esquece de suas raízes e demonstra gratidão eterna por um homem: Silvio Santos.

Este é Celso Portiolli, no SBT desde 1993, de onde nem pensa em sair. "Se depender de mim eu não dou esse desgosto a ele, e eu também não quero sentir esse desgosto", diz.

Até por causa disso, qualquer boato sobre uma possível saída da emissora ou mudança de horários o incomoda. Tanto que, na última semana, não resistiu e publicou um vídeo no Instagram desabafando: "para de falar de mim, me esquece". "Eu estou numa idade que se às vezes eu não extravasar, acho que meu coração não vai aguentar", brinca Portiolli.

Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, Celso analisa essa onda de rumores: "Nem eu e nem o SBT falamos sobre o assunto da renovação. (...) Então, o pessoal começa a imaginar que o contrato vai vencer em setembro, que vai vencer em outubro e que eu não falei nada, que o SBT não falou nada, que vai acabar, então virou uma bola de neve por deduções".

O atual contrato, ele detalha, foi assinado depois de uma cláusula de renovação automática e vai até dezembro de 2018. Mas avisa que sofrerá alterações: "Eu já recebi uma ligação, três dias depois que eu assinei que teria uma nova conversa, agora, antes do final do ano, antes de eu sair de férias, para ajustar esse contrato".

Celso Portiolli também fala sobre o "Domingo Legal" e explica as estratégias do programa e do quanto ele é difícil, por conta de sua curta duração. "O 'Domingo Legal' não tem problema de conteúdo, tem problemas de interrupções", frisa.

Ligado em tudo, o apresentador é extremamente crítico consigo mesmo, chegando a rever seu programa várias vezes, com som, sem som, só áudio, e tudo no celular.

Ainda na longa entrevista, uma das maiores que já deu, Celso Portiolli fala sobre sua atuação no rádio, onde fez de tudo, na televisão, uma paixão, até chegar ao YouTube, a partir de um pedido de sua filha de 9 anos.

Com mais de três milhões de inscritos, tornou-se um dos youtubers mais influentes da atualidade, embora nem pensasse nisso. "Sou o único apresentador homem que decolou no YouTube", destaca. Por outro lado, já rebate as críticas de que estaria dando atenção demais ao YouTube e conta que seu canal faz parte da rede do SBT e que é cobrado para produzir conteúdo lá. Mas apenas nos horários livres, como à noite, e que isso ajuda a espairecer sua mente. Um hobbie.

Televisão continua sendo e sempre será sua vida. "Acho que sem TV eu seria um cara bastante triste", resume.

Agora, Portiolli vai encarar um novo desafio: estrear na TV paga com o "Entubados", no Canal Sony. Só aceitou porque o SBT autorizou e o incentivou. "Mas é um desafio novo pra mim, dá um frio na barriga, dá medo", confessa.

Este será apenas mais um dos vários programas que apresentou em sua carreira. Questionado, elegeu os melhores: "Passa ou Repassa", "Curtindo uma Viagem" e "Domingo Legal".

Sem se imaginar fora do SBT, Celso Portiolli diz ser "pau pra toda obra" e "parceiraço" da emissora. Ele ainda relembra uma frase de Silvio Santos que o marcou para sempre e resume a importância do patrão: "O Silvio me moldou muito, como homem, como pessoa, por isso que eu tenho essa gratidão por ele. Nao é só pela carreira artística, como homem também".

Confira a entrevista na íntegra:

- Celso Portiolli encerra boatos sobre o SBT: "Só saio quando Silvio Santos me mandar embora"

- Celso Portiolli comenta em foto de Evaristo Costa na Holanda: "ano que vem sou eu"

- Celso Portiolli assume comando de competição com youtubers no Canal Sony

Atualmente, qual é o maior desafio pra você na guerra pela audiência aos domingos?

Celso Portiolli - O maior desafio na guerra pela audiência é a própria audiência, é fazer o programa aumentar a audiência a cada domingo. Diminuir a diferença nos números relacionados a concorrência... A nossa meta, nosso objetivo é sempre alavancar e melhorar um pouco a audiência e entregar melhor para o próximo programa.

O "Domingo Legal" não tem problema de conteúdo, o "Domingo Legal" tem problemas de interrupções. Num programa de duas horas, a gente tem dois intervalos comerciais e nós temos que respeitar as regras da emissora, a gente não pode fazer na hora que a gente quer, tem as regras da emissora.

Os breaks comercias eles têm um tamanho interessante, porque estão sempre lotados e nós temos também as interrupções de no mínimo oito ações de merchandising de cada programa, no mínimo. Fora os crossmídia que a gente faz para os programas da casa. Então num programa de duas horas, tem muitas interrupções, muitas interrupções. A gente procura fazer quadros ao vivo, para que a gente possa inserir essas ações de uma maneira orgânica. Porque toda vez que você for parar uma externa para voltar o palco e inserir um merchandising, para inserir uma ação, você prejudica ainda mais o desempenho da audiência. Tem quer ser feito de maneira orgânica.

O pessoal pergunta: "Por que você não faz duas horas de externa?". Tá, eu vou ficar interrompendo quadro, voltando para o palco para colocar oito, 10, 12 ações de merchandising. Não é fácil fazer o roteiro do "Domingo Legal". O "Domingo Legal", repito, não tem problema de conteúdo, ele tem problema de interrupções, problema de você estar no ar e parando sua programação, enquanto a concorrência tá full, quase sempre sem nenhuma interrupção em cima do "Domingo Legal". Por esse momento, por estar fora do cabo, a migração de audiência da Globo para o SBT não tem sido grande coisa no domingo, no horário do "Domingo Legal", porque as pessoas que estão no cabo não vêm ao SBT porque está fora do cabo por enquanto. Já voltou para a Sky, espero que volte para as outras também, pra ter essa migração.

Você não tem ideia onde você vai chegar.

Frase marcante de Silvio Santos para Portiolli

Você acompanha os números do Ibope ao vivo?

Celso Portiolli - Raramente. Eu faço o programa e no final eu pego a média, o pico e na segunda-feira eu recebo o relatório do SBT para acompanhar tudo que aconteceu, quais foram os momentos que deram pico, qual foi queda, enfim, recebo o relatório e analiso mais por ele do que ao vivo no programa.

Você é autocrítico com seu trabalho?

Celso Portiolli - Eu sou extremamente crítico com minha maneira de me apresentar, de fazer locução, de fazer narração fr off, mas eu me assisto sozinho, no meu canto, no meu celular, não gosto de ver me ver na televisão, gosto de ver no celular. Como o programa é ao vivo eu assisto sempre pelo aplicativo do SBT e através do canal do "Domingo Legal" no YouTube. Eu me assisto bastante para eu me corrigir, isso eu faço desde a época do rádio, me ouvir, me assistir, às vezes eu me assisto com som baixo, sem som, às vezes escuto só o áudio para me corrigir e melhorar. É o que eu faço sempre.

O que você gostaria de fazer no "Domingo Legal" e que ainda não teve oportunidade e que poderia contribuir na audiência do programa?

Celso Portiolli - Eu já fiz tanta coisa legal no "Domingo Legal" que eu vou contar uma coisa pra você, eu não tenho ideia (risos). Por exemplo, esse quadro que estou fazendo agora, o "Comprar é Bom, Levar é Melhor", é muito bom, gostoso de fazer. Eu acho que novos formatos, né? A emissora elege o formato, a direção artística elege o formato e passa para o "Domingo Legal" executar e eu acho muito legal isso.

Eu gosto de fazer tudo, gosto de fazer programa ao vivo, gosto do improviso, gosto das dificuldades, dos imprevistos ao vivo, dessa adrenalina que me encanta bastante. Mas eu acho que não é a minha vontade e sim da equipe, da direção, eu sou um cara muito aberto a isso.

Esse novo contrato, que vence só lá em dezembro de 2018, já tá com os dias contados, porque vai ter uma nova conversa.

Celso Portolli fala da renovação

Durante suas viagens ao exterior, assistindo TV, já se deparou com uma atração que gostaria de apresentar no Brasil? Qual foi?

Celso Portiolli - Já. Aliás, eu vi no avião, quando voltei das férias em janeiro. Eu assisti um programa chamado "The Wall", que é super emocionante. Vem descendo umas bolas e batendo num pinos, agora não me lembro em qual emissora. Mas o programa é fantástico. Ele combina muito com Silvio Santos. É um programa maravilhoso, um game sensancional.

Estreando como apresentador em 1996, qual programa você mais gostou de fazer em toda sua carreira? E o que menos gostou?

Celso Portiolli - Na verdade eu tenho meu xodó: "Passa ou Repassa". Eu comecei nele e por isso tenho um carinho. O "Curtindo uma Viagem" (2001) foi meu primeiro programa que eu dirigi, foi uma audiência muito grande. E o "Domingo Legal". O "Domingo Legal" é um programa que eu adoro, tenho um carinho e um respeito muito grande por ele, o peso que tem esse programa. É difícil você falar.

Tantos que tem programas assim, que me deram orgulho de ser campeão de vendas, entendeu? De ser bom de anúncio, tem programa que renovou meu público, tem programa que me colocou num situação diferente, nova, como foi "O Conquistador do Fim do Mundo" (2003), que foi um reality que apresentei, "Os Paranormais" (2014), um quadro sério, uma experiência pessoal... Vendo aqueles videntes na sua frente, enfim, é difícil você falar o que mais gosta. Mas acho que esse três: "Passa ou Repassa", "Curtindo uma Viagem" e "Domingo Legal" são os programas que vêm primeiro a mente.

O que menos gostei? Caramba (pausa). Ah, não sei não, gostei de apresentar todos. Estando trabalhando e falando ao microfone me dá alegria.

Recentemente, você publicou um vídeo chateado e desmentindo diversas informações que circularam na imprensa sobre seu destino profissional no SBT e uma sondagem da RecordTV. Na sua opinião, como surgem essas notícias?

Celso Portiolli - Na verdade essa notícia que surgiu... Acho que foi até... Não sei... Teve um pedido quando renovei o contrato para não divulgar, não falar nada. Então, nem eu e nem o SBT falamos sobre o assunto da renovação. Renovamos no último dia de maio, um dia antes do meu aniversário. Então foi renovado o contrato e ninguém falou nada.


publicidade

Meu contrato tinha uma renovação automática, uma renovação automática de mais dois anos nas mesmas condições. Então, nós sentamos no último dia, que era seis meses antes do vencimento, que era o prazo que estava escrito no contrato e sentamos e fizemos um novo contrato por mais um ano. Só que ninguém falou nada, nem eu e nem o SBT, ninguém divulgou. Aí o pessoal começa a imaginar que o contrato vai vencer em setembro, que vai vencer em outubro e que eu não falei nada, que o SBT não falou nada, que vai acabar, então virou uma bola de neve por deduções, entendeu? Por deduções.

Não tem porque eu procurar... Esse meu novo contrato agora, o SBT ainda tem uma preferência mesmo que eu notifique o SBT três meses antes, o SBT ainda tem preferência por mim, se eu receber uma proposta. O SBT também pode enviar uma carta pra mim dizendo: "Daqui a três meses, não teremos projetos pra você", simples assim. Então não tenho o porquê procurar outra emissora. Se amanhã tiver uma proposta é muito simples resolver, eu nunca tive uma facilidade de contrato assim, de poder notificar e sair. As multas que tive no SBT sempre foram multas muito altas.

- Tweet leva fãs de Anitta para loja em Manaus mas cantora vai a Maceió

- Abatido, Marcelo Rezende desabafa em vídeo: "estou firme"

- Globo cancela "O Sétimo Guardião" após reunião com Aguinaldo Silva

Porém, esse novo contrato, que vence só lá em dezembro de 2018, já tá com os dias contados, porque vai ter uma nova conversa. Eu já recebi uma ligação, três dias depois que eu assinei que teria uma nova conversa, agora, antes do final do ano, antes de eu sair de férias, para ajustar esse contrato. Esse contrato foi feito, porque o outro iria renovar automaticamente e não teria mais como ter mudanças. Então ele foi feito dessa maneira para que a gente possa ter uma conversa mais pra frente. Mas o SBT está garantido até final de 2018 e eu também estou garantido até o final de 2018.

Então é por isso, porque não fala, não divulga, o pessoal não fica sabendo, entendeu? Ninguém sabe de nada, eu também sou muito low profile, fico na minha, não fiz festa nenhuma, o SBT não fez festa nenhuma e aí vira essa rolo. As pessoas começam a deduzir e começam a falar. É muita especulação, né? Eu fico lendo e fico falando: "meu Deus do céu!". Eu achei notícia minha de 2002, dizendo a mesma coisa, que eu ia ser demitido do SBT e que meu contrato não seria renovado, entendeu? De 2002! Aí eu notifiquei o jornalista, com advogado, e ele teve que se retratar e dizer que não, meu contrato estava assim e assado. Enfim, a história se repete, essa historinha vem de longe. Eu não entendo o motivo. Mas é especulação, é dedução, mas meu contrato foi renovado faz tempo.

Você lê tudo que sai na imprensa a seu respeito? Como você lida com as críticas?

Celso Portiolli - Eu não leio, eu não escuto, às vezes as pessoas mandam no meu WhatsApp. Gente que eu gosto, gente que eu admiro, que quando começa a me criticar, a falar, eu faço questão de não ler e de não me aprofundar. Não quero perder admiração e respeito que tenho por algumas pessoas. Agora quem eu não gosto, fala e eu não estou nem aí. Se eu não gosto dele, ele não deve gostar de mim também nê? (risos). Então não ligo.

Agora, de quem eu gosto aí eu não quero saber, ouvir, não quero assistir, porque machuca meu coração, não quero diminuir minha admiração pela pessoa. Eu admiro muitos profissionais por aí. Eu levo na boa, mas tem coisa que tem muita maldade, que é pra te prejudicar de verdade, então, você percebe quando tem maldade. Eu estou há 23 anos calado, sem falar nada, nunca falei nada, nunca reclamei, sempre na minha, pode falar o que quiser de mim... "Ah, isso passa", "daqui a pouco o pssoal esquece"... 23 anos! Mas eu estou numa idade que se às vezes eu não extravasar, acho que meu coração não vai aguentar (risos). Já sou um tiozão de 50.

Você tem programa na televisão, é dono de rede de rádio, faz publicidade e vem investimento forte no YouTube. Está em várias mídias. Sempre quis isso?

Celso Portiolli - Na verdade eu sempre quis fazer rádio, sempre quis fazer televisão... A paixão da televisão veio depois do rádio... Eu comecei primeiro no rádio, eu tinha medo de TV, meu primeiro trabalho em televisão foi forçado eu me apoixonei por isso. Mas o YouTube foi um pedido da minha filha de 9 anos de idade.

Ela pediu e eu achei interessante. Vendo todo mundo consumindo YouTube, falei "ah, vou tentar fazer isso aí". E como eu tenho todo conhecimento de rádio... Eu fiz tudo em rádio: eu desmontei trasmissor, eu montei cartucheiro, desmontei cartucheiro - cartucheiro é onde colocava o cartucho de música -, mesa de som, eu fiz locução, edição, montagem, fiz tudo o q você imagina... Fui DJ, escrevia texto pra publicidade, rádio, tudo o que vc imagina eu fiz. Tudo! Externa, reportagem, jornalismo, programa romântico, programa popular, programa de FM, programa agitado, programa de paquera. Tudo!

E em televisão eu fiz muita coisa. Eu comecei em televisão no cargo de redator, eu criava câmera escondida. Aí fui produtor, diretor, editor, editei muito tempo, o "Curtindo uma Viagem" era eu que editava... Fiz curso de arte em 3D, eu modelava em 3D... Eu sonorizava, eu fiz vinhetas pra rádio, eu tive estúdio de vinhetas, eu produzia as vinhetas sentado no computador... Eu tive uma experiência muito grande.

Quando eu olhei o YouTube, "eu posso fazer isso, então vou me dedicar um pouco pra ver o que dá". Agora, o meu canal do YouTube faz parte da network do SBT. O canal é do SBT, que está feliz com YouTube, com o meu desempenho. Aliás, eu sou o único apresentador homem que decolou no YouTube... Isso é importante pro SBT, pra mim.

Aquilo que as pessoas falam: "ah, deixou de trabalhar pra fazer YouTube", não, isso não é verdade! Eu tenho poucos amigos, ninguém vem na minha casa, eu sou muito caseiro, só fico com a minha família. Então nos tempos que eu tenho de sábado à noite, domingo depois do programa, durante a semana à noite que eu estou em casa... Se eu estiver com a mente desocupada, porque eu sou muito ligado em tudo, eu venho gravar um vídeo do YouTube até pra fazer bem pra minha mente, pra minha alma, pra espairecer, é um hobbie.

Eu nunca quis ser um youtuber de ter 1 milhão de inscritos, 2 milhões, não! Eu fui fazendo e foi dando certo, e o SBT é que me cobra hoje pra colocar conteúdo, porque o SBT tem um negócio digital, eles precisam que eu faça vídeos pra que eles coloquem os comerciais vendidos no pré-roll. E eu tenho que fazer conteúdo porque o SBT pede. E isso que o pessoal fala é tudo balela!

E o que você está achando do YouTube, sendo considerado um "mito" pelos youtubers mais jovens, um "tio"?

Celso Portiolli - Essa galera do YouTube é genial, são supertalentosos, eu adoro todos. Eu tenho um carinho por eles, eles me acolheram de uma maneira incrível. São pessoas extremamente talentosas e com uma inteligência fora do comum, é muito legal fazer parte desse pessoal do YouTube. Eu fico impressionado com eles, de verdade.

Em breve, você vai estrear seu primeiro programa na TV paga, o "Entubados", que tem tudo a ver com o YouTube. Como chegou o convite e o que você colocou na balança para aceitar o desafio?

Celso Portiolli - A sugestão partiu de dentro do SBT. A minha primeira resposta foi "não", "não faço nada, tem que ter autorização do SBT, do Silvio, não faço nada fora do SBT". Mas quem me convidou foi a Dani Busoli da Formata Produções.

A primeira resposta foi não e ela explicou tudo como ia ser, daí eu fui conhecer o projeto, o SBT autorizou, mandou a autorização pra mim... A minha única e primeira prioridade é o SBT. A minha agenda da minha vida é feita pelo SBT... Então quando o SBT autorizou eu fui ver, "bom, são só 8 semanas, então tá bom, então eu vou fazer".

Mas é um desafio novo pra mim, dá um frio na barriga, dá medo, é o canal Sony, responsabilidade, Formata que tem excelentes programas nas emissoras. Eu fui ver toda estrutura, é um negócio incrível, com youtbers legais, tem outros influenciadores digitais também. E é ao vivo! Mas ao vivo é a minha praia, eu nasci pra isso. Eu adoro!

Claro que tive fracassos. Fracasso faz parte do sucesso

Celso Portiolli

Mesmo estando no rádio e na internet, o que significa a televisão na sua vida?

Celso Portiolli - É tudo! Apesar de ser tímido, quando eu pego o microfone eu me transformo. E eu me cobro muito às vezes, fico olhando e falo "puxa vida, eu poderia ter feito melhor, poderia ter falado assim, falado assado"... Mas televisão é minha vida. Acho que sem TV eu seria um cara bastante triste. Eu já fiquei sem fazer televisão e realmente eu fiquei muito triste. Então sem TV eu ficaria triste, mas primeiro vem minha família, depois vem televisão e assim vai na sequência.

Você se imagina um dia fora do SBT?

Celso Portiolli - Não!

Você tem uma história quase paternal com Silvio Santos. Qual foi a frase dita por ele a você, que te marca até hoje?

Celso Portiolli - Na verdade eu sou muito grato ao Silvio, um cara que me ensinou muito. O artista quer o maior salário, o melhor programa, o maior Ibope, tudo pra ele. Muitos são assim... E o Silvio me ensinou que na verdade não é assim. A televisão é muito dinâmica e não é assim. O Silvio me moldou muito, como homem, como pessoa, por isso que eu tenho essa gratidão por ele. Nao é só pela carreira artística, como homem também.

Ele é um cara exemplar. Eu tenho um apreço muito grande por ele. A minha história com ele é muito bonita. Eu falo às vezes, não sei se é petulância minha, mas eu falo que ele pode contratar muitas pessoas, mas a história com ele nesses 23 anos, tantas coisas aconteceram.... Eu tenho uma admiração muito grande por ele, carinho, respeito...

Como você perguntou antes se eu sairia do SBT... Se depender de mim eu não dou esse desgosto a ele, e eu também não quero sentir esse desgosto. Quando eu vou pro SBT parece que eu abri a porta da minha sala, da minha cozinha, estou entrando em outra parte da minha casa, ali eu me sinto bem. "Ah, você nunca teve momentos difíceis?" Tive, claro que tive... Mas faz parte da experiência, faz parte da história. "Teve fracassos?" Tive, claro que tive, fracasso faz parte do sucesso. Quem não fracassou nessa vida? Tem alguma pessoa que só teve sucesso? Não! Então ali dentro eu fui aprendendo muito, por isso eu tenho uma gratidão muito grande por ele. Espero continuar ali muitos anos, dar muitas alegrias pra ele e pra família SBT.

- Lembra dela? Daniela Aedo fala sobre "Carinha de Anjo" e elogia versão brasileira

- “Ser conservador é não reconhecer os avanços do mundo”, diz Silvero Pereira

- Diretor destaca formato do "Fofocalizando" e afirma: "não posso censurar"

E a frase que ele me disse, eu tinha pouco tempo de televisão... Ele estava sentado no sofá e eu em pé, e eu disse: "eu queria um retorno seu pra saber como eu tô indo, se eu tô fazendo certo, pra onde vou". Ele olhou pra mim, levantou a cabeça e falou: "você não tem ideia onde você vai chegar". Aquela frase me marcou assim porque ele falou de uma maneira tão carinhosa, pra me dar um ânimo, pra me dar uma segurança maior, porque quando você começa a insegurança é muito grande, você acha que vai desaparecer a qualquer momento, vai sumir (risos). Então aquilo que ele me disse me deu uma segurança, uma força muito grande.

Pra finalizar, o que você pensa pra sua carreira daqui pra frente?

Celso Portiolli - Eu penso em continuar trabalhando! Eu sou pau pra toda obra, eu sou um parceiraço do SBT... Eu sou parceiro do departamento comercial, da produção, do SBT. Tudo que eles me pedem eu faço, da maneira que eles querem. Trabalhar comigo é 'bão', eu sou facinho facinho.

Não gosto de trabalhar com stress, confusão, intriga. Eu gosto de trabalhar na paz, porque a televisão é muito cristalina, passa tudo por essa tela pra casa... Tudo! Não adianta você ser um carrasco porque isso passa pra casa, as pessoas sentem. Então eu sou um cara da paz, tranquilo, gosta de trabalhar na boa.

Por isso que as pessoas às vezes estranham de me verem um dia chateado desabafando, mas tem um momento da vida que tem que ser assim, senão você infarta.

Pra minha carreira eu quero trabalhar, eu quero ter saúde, que é meu principal objetivo. Eu tive uns sustos tempos atrás, até falei no "Conexão Repórter" do Roberto Cabrini... Ninguém imaginava, eu tava super pra baixo, super preocupado, e animando programa de televisão, parecia ironia do destino... Você super mal, super triste, super preocupado e tendo que abrir o sorriso e animar programa. Mas foi bom, porque toda vez que eu estou no palco eu esqueço de todos os meus problemas. Quando eu tô no palco, ali eu tô feliz!



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade