Paulo Cintura detona "A Força do Querer", defende intervenção militar e quer Bolsonaro presidente

Sem medo de expor suas opiniões, ator critica ideologia de gênero e a nova "Escolinha"

Reprodução

Publicado em 06/10/2017 às 06:30:56 , atualizado em 07/10/2017 às 17:46:37

Por: Sandro Nascimento

"Saúde é que interessa e o resto não tem pressa". Nos anos 90, com seu famoso bordão, o ator Paulo Cintura fez parte durante cinco anos da "Escolinha do Professor Raimundo", na Globo.

Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, sem fugir de polêmicas, Cintura se demonstra chateado com a nova versão do humorístico de Chico Anysio, que diz ser a "Escolinha dos Traíras". Ele ainda classifica a novela de Gloria Perez como a "Escolinha do Crime" e justifica: "Não deveria ter isso de jeito nenhum. Na época do Roberto Marinho e do Boni, eu duvido que isso passaria".

Aos 67 anos, Cintura continua assíduo na academia e não possui o hábito de fumar e nem beber. No início do ano, participou da série nacional "Prata da Casa", do grupo Fox, onde foi um personal trainer evangélico.

Grande defensor da candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da República em 2018 e apoiador de uma intervenção militar no país, Paulo Cintura repudia a ideologia de gênero e sua discussão na TV. “Eu acho que isso não poderia ter colocado num canal aberto, criança vê, ela é sugestionada e fica em dúvida: 'o que é que eu sou? Sou menino ou menina?'", opina sobre a trama da transexualidade de Ivana/Ivan (Carol Duarte) em "A Força do Querer".

Confira a entrevista na íntegra:

Escolinha dos Traíras

Isso que tá no ar (nova "Escolinha do Professor Raimundo") eu acho a "Escolinha dos Traíras". Uma das maiores covardias do mundo. Eu acho que a emissora não está preservando o acervo cultural dela. Tem caras lá que passam dificuldades financeiras que você nem acredita.

Você acha certo pegar um cara estranho pra fazer um personagem que você glorificou, glamourizou e copiar e depois ainda ganha uma grana em cima? E ainda não repassar nada para o original ou para família do cara que morreu? Eu acho isso uma covardia incalculável. Os caras fizeram uma "Escolinha dos Traíras" e pegaram uma panela deles. A emissora é conivente. As portas fecham para mim em determinados setores porque eu falo que eu penso.

Qualquer um que defenda a ideologia de gênero para mim é excremento e lixo.

Paulo Cintura

"A Força do Querer"

Eu acho a Gloria (Perez) e a Juliana (Paes) totalmente fora da noção. Uma sai com uma bandida e diz que ela é magnética, determinada e raçuda. Nunca vi isso de elogiar bandido, uma mulher (Fabina Escobar) que é criminosa. A outra eu coloquei como mente amargurada e quer destruir a família de todo mundo. Não entendo a cabeça dela. Pra mim essa pessoa tem que ter uma cabeça doente. A turma diz: "Ela é uma grande autora", isso pra mim não é nada.

- Bibi é presa no último capítulo de "A Força do Querer" e atores gravam cena no improviso

- "O Brasil é um país tremendamente racista e finge que não é", diz Walcyr Carrasco

Na minha opinião, uma pessoa que vai à TV e fomenta isso de uma forma que fosse a mais normal do mundo, não é boa da cabeça. Sou da antiga, não adianta.

Eu acho que isso (transexualidade de Ivan/Ivana) não poderia ter colocado num canal aberto, criança vê, ela é sugestionada e fica em dúvida: "o que é que eu sou? Sou menino ou menina?". Quem deve mandar na criança é o pai e a mãe. Quer falar do tráfico de drogas? Acho ótimo. Mas precisa ensinar direitinho? Não precisa. Essa novela virou a "escolinha do crime", ensinando o cara a ser bandido.


publicidade

Glorifica, glamouriza a bandidagem e deprecia as mulheres. Não deveria ter isso de jeito nenhum. Na época do Roberto Marinho e do Boni, eu duvido que isso passaria. Mas as pessoas acham que isso é uma modernidade, eu não acho. As pessoas acham que é uma evolução. Isso pra mim é uma involução. Esse negócio de "A Força do Querer", quando saiu essa bobagem da Juliana falando que a mulher é raçuda, eu fiz um apanhado de coisas e mandei para a polícia e juízes. Eu me coloquei à frente e perguntei para os caras: "vocês não vão fazer nada?".

O NaTelinha procurou a autora através da Globo para se manifestar. A emissora disse através da sua assessoria que "não vai comentar as declarações de Paulo Cintura".

- Felipe Neto questiona investimento publicitário na Globo e discute com herdeiro do grupo no Rio

- Silvio Santos liga no jornalismo do SBT, reclama de reportagens e exige notícias mais factuais

Apoio ao Bolsonaro

Eu conheço Bolsonaro de ir à feira com ele todo domingo, de andar no calçadão, vou no aniversário da filha dele, ou seja, eu convivo com ele. Bolsonaro é a única pessoa que pode melhorar o Brasil. Eu acredito de fato nisso.

O nosso país tem duas saídas: uma intervenção círculo militar ou o Bolsanaro como presidente. Eu vivi na época de 64, eu peguei todo o regime militar, eu fui em passeata e quis brigar com o pessoal da DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), quando tinha 14 anos de idade. A melhor época da vida do povo brasileiro foi quando teve o regime militar. Nunca houve ditadura militar, houve regime militar, se tivesse ditadura não teria eleições para prefeito e governador como tinha antigamente.

- Em último jogo das Eliminatórias, "A Força do Querer" vira novela das 22h

Ditadura é o que vivemos agora, o governo faz o que ele quer, faz as leis e ele mesmo se defende. Um solução rápida agora seria uma intervenção círculo militar e depois uma eleição democrática para presidente. Agora, sou a favor de uma eleição democrática, desde que todos esses que estão envolvidos em falcatruas não possam participar.

Ideologia de gênero

A mulher quer virar homem e o homem quer virar mulher, isso é problema de cada um. O que eu não admito e nem o Bolsonaro é a ideologia de gênero.

O cara querer colocar isso goela abaixo das pessoas eu não acho certo. Acho que a ideologia de gênero é a coisa mais absurda do mundo. Eu chamo os caras de excrementos, de lixos, essa é a minha opinião. Pode ser quem for: político, empresário, artista, ator de novela... Qualquer um que defenda a ideologia de gênero para mim é excremento e lixo.

- Aos 75 anos, Susana Vieira revela segredo e manda recado aos vegetarianos

Eu até coloquei no meu Facebook: "diga não à heterofobia". Porque o que estão sendo descriminalizados agora são os héteros. Eu não tenho coisa nenhuma contra a viadagem ou sapatão. Eu tenho amigos que são assim e eu me dou muito bem. Eu só não quero ver numa escola um babaca nu e a criancinha do lado tocando nele, isso sou contra.

Se estou numa parada dessa vou enfiar a porrada em todo mundo. Eu achei isso a maior covardia com a criança e com a família. O Bolsonaro também pensa como eu, só que muito mais brando.



LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade