Reportar
erro
Novos desafios

Manuela Dias lança livro inspirado em baleia capturada e mira filme: "Não vejo a hora"

Autora de obras como Justiça e Amor de Mãe, Manuela Dias lança romance


Manuela Dias sorrindo de preto
Manuela Dias lança livro, relembra Amor de Mãe e mira em Justiça 2 - Foto: Divulgação/Jorge Bispo
Por Thiago Forato

Publicado em 23/04/2022 às 08:17:35,
atualizado em 23/04/2022 às 10:56:13

Manuela Dias, autora de produções como Justiça (2016) e Amor de Mãe (2019-2021) na Globo, lança o livro Tilikum na próxima quinta-feira (28), um romance inspirado na vida de uma baleia orca que foi capturada nas águas geladas da Islândia, separada da mãe e que ficou presa por 32 anos servindo de entretenimento nos parques do Seaworld, nos Estados Unidos. Animada, Manu não vê a hora de transformar a obra em filme. "Nasci como autora na dramaturgia e amo escrever diálogos. Escrever para mim é como rezar, me reconectar com o que há de mais profundo em mim. Imagino demais essa história virando um filme", admite em entrevista exclusiva ao NaTelinha.

A autora conheceu a saga de Tilikum ao assistir Blackfish, documentário lançado em 2013. "Eu já tinha visto duas vezes. Quando revi, no ano passado, com o meu namorado, no final do filme eu pensei: 'Imagina se a baleia pudesse falar'. E esse foi o gatilho inicial. Depois dessa provocação inicial, da chama da ideia, começa o trabalho. Sem que eu percebesse, a baleia virou um ser humano com a mesma história de vida do cetáceo", explica.

Depois de Blackfish, portanto, os trabalhos começaram, e a pesquisadora Aline Maia se juntou ao processo e Manuela logo iniciou a história. "Li livros sobre baleias em geral e sobre as orcas em particular, e descobri coisas sensacionais, e como a parte extra do sistema límbico que as orcas têm, que faz com que elas tenham uma autopercepção física de grupo. Por isso, existe o fenômeno de encalhamento coletivo de baleias, porque elas são incapazes de abandonar umas às outras em qualquer situação", detalha.

Manuela Dias relembra Amor de Mãe e pandemia

imagem-texto

"Na hora, eu simplesmente tinha que dar conta do recado. Acordava às 4h, fazia yoga, meditava, antes das 5h30 eu estava escrevendo. Sete dias por semana, 12 horas por dia. Meu aniversário, Ano Novo, Natal... Mas na hora não tinha tempo de pensar, eu só tinha tempo de escrever e de ficar com minha filha."

Manuela Dias sobre enquanto escrevia Amor de Mãe na pandemia

"Não posso falar absolutamente nada", diz sobre Justiça 2

Manuela Dias lança livro inspirado em baleia capturada e mira filme: \"Não vejo a hora\"

Desde que Amor de Mãe terminou no ano passado, Manuela escreveu Conselheiro e a Menina Azul, série inspirada na Guerra de Canudos e outros três livros: Diário da Dona Lurdes e o infantil Berenice e Soriano, além de Tilikum. Agora, o foco se volta para a continuação de Justiça, mas não há pistas.

Sucesso em 2016, Justiça retornará em breve, mas totalmente modificada. "Não posso falar absolutamente nada além de que: serão histórias completamente novas", promete.

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
Mais Notícias