Nervoso

William Bonner se irrita e expõe atraso de resposta do Ministério da Saúde ao JN

Apresentador cutucou instituição por não mandar resposta a tempo do fechamento do noticiário


William Bonner sério no Jornal Nacional; Marcelo Queiroga de máscara sério, com Jair Bolsonaro atrás dele com máscara
William Bonner se irrita e expõe atraso de resposta do Ministério da Saúde ao JN - Foto: Reprodução

Durante o Jornal Nacional desta segunda-feira (3), William Bonner ficou visivelmente irritado com resposta dada pelo Ministério da Saúde sobre o aumento na disponibilização de testes para a Covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS). O jornalista deixou claro para o público que a produção do noticiário entrou em contato na parte da tarde com a instituição governamental, mas ela só respondeu mais de cinco horas após a solicitação, expondo o atraso do ministério.

"Na reportagem que abriu a edição do Jornal Nacional, especialistas afirmaram que o Brasil precisa ampliar a testagem da população principalmente com a chegada da variante Ômicron. Às 15h30, o Jornal Nacional entrou em contrato, por e-mail, com o Ministério da Saúde e perguntou se há algum plano para aumentar a oferta de teste de Covid e se o Ministério da Saúde planeja distribuir kits para testagem em casa. Eram 15h30 da tarde! O Ministério da Saúde respondeu às 20h34 da noite, depois que a reportagem já tinha sido exibida", contou.

"De qualquer forma, o ministério afirmou que lançou em setembro o Plano Nacional de expansão à testagem, que inclui testes de antígeno em pessoas com ou sem sintomas, mas não informou a quantidade de testes e se pretende distribuir testes caseiros", completou.

Assista:

William Bonner desmente Bolsonaro sobre associação entre vacina e Aids

Durante o Jornal Nacional em outubro, William Bonner desmentiu Jair Bolsonaro mais uma vez. O apresentador citou como "falsa e absurda" a associação do presidente da vacina contra a Covid-19 e a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS). Em live transmitida recentemente nas redes sociais, o político havia afirmado que supostos estudos do Reino Unido teriam concluído que os indivíduos totalmente imunizados estariam desenvolvendo a AIDS "muito mais rápido do que o previsto".

Ao citar o comentário de Bolsonaro, Bonner avisou que a informação dada pelo presidente foi "completamente falsa e absurda". "Desde que foi publicada, essa nova iniciativa de Bolsonaro de desacreditar vacinas e desestimular a vacinação deixou incrédulas as comunidades médicos e cientificas. E provocou críticas veementes também no meio político", completou o jornalista, informando para a o público sobre a decisão do Facebook, Instagram e YouTube de apagar a live em que o presidente disse a informação mentirosa.

Não é a primeira vez que Bonner desmente Bolsonaro ao vivo. Em julho, o âncora destacou uma declaração equivocada do político sobre o enfrentamento da pandemia da Covid-19, citando o Superior Tribunal Federal. O apresentador anunciava que o STF usou as redes sociais, pela primeira vez, para rebater Bolsonaro através de um vídeo.

 

Em maio, o noticiário mostrava uma matéria sobre uma declaração que o político deu a seus apoiadores sobre os atos contra ele. Nas afirmações, Bolsonaro debochou dos participantes das manifestações e disse que os protestos tiveram poucas pessoas. Após exibir a declaração do presidente, Bonner o desmentiu.

Siga a gente no Instagram

Acompanhe nosso perfil e fique por dentro das quentinhas da TV e famosos

ACESSE!
Mais Notícias