Reportar erro
Líder do domingo

Faustão por trás das câmeras: Quase padre, colecionador e ator de cinema

Apresentador é muito discreto fora do ar

Faustão segurando o microfone no palco do Domingão
Faustão é discreto na vida pessoal, mas sempre que pode, tem destaque - Foto: Reprodução/Globoplay
Daniel César

Publicado em 02/05/2021 às 08:43:07,
atualizado em 02/05/2021 às 14:10:16

Fausto Silva vai voltar para a Band em 2022, depois de passar mais de três décadas na Globo. O retorno de um dos maiores apresentadores de programas dominicais da história da TV foi o assunto da semana e coloco a figura midiática em evidência. Mas Faustão não é apenas o que se vê diante das câmeras. Além de adorar dar festas com pizzas em sua mansão, ele é colecionador voraz de relógios e na juventude quis ser padre.

A partir do ano que vem, o público poderá ver o apresentador de volta à Band, mas quase ninguém conseguiria assisti-lo em lugar algum, já que na juventude o comunicador queria ser padre. Ele foi coroinha quando era adolescente em Araras, interior de São Paulo, quando pensou em entrar para o sacerdócio, o que certamente inviabilizaria sua carreira de apresentador.

Ainda durante a adolescência, outra coincidência chamou a atenção porque Fausto fez o colegial, atualmente conhecido como Ensino Médio, na cidade de Campinas e foi colega de classe de ninguém menos que Regina Duarte, muito antes dela ser chamada de "a namoradinha do Brasil".

Coleção de relógios

Muito discreto na vida pessoal, Faustão dá poucas entrevistas, mas já confessou em bate-papo com Jô Soares que uma de suas grandes paixões é colecionar relógios. Durante o período de pandemia, inclusive, quando o Domingão era gravado de sua casa, o apresentador chegou a mostrar nos fundos do cenário, dezenas de relógios de pulso.

Mas quem é fã do item já havia notado como Faustão não economiza quando o assunto é relógio. Ele já apareceu no programa com um Jacob & Co. Bugatti Twin Turbo Furious, modelo raríssimo e que, ao todo, foram fabricadas apenas 18 unidades no mundo todo. O item foi anunciado por quase 700 mil dólares à época do lançamento, o que equivale hoje a mais de R$ 3,5 milhões. Mas este não foi o único modelo a chamar a atenção porque o apresentador esteve no palco do domingão com relógios acima de R$ 2 milhões em várias ocasiões, ostentando um dos poucos luxos que ele não faz questão de esconder.

Pizza do Faustão

A pizza do Faustão ficou famosa porque o apresentador criou um quadro em seu programa com esse título e recebia no palco do dominical diversos artistas para conversar sobre os mais variados assuntos, além de cantores se apresentarem, sempre comendo pizzas de vários sabores. O quadro ficou muito famoso nos anos 90 e a participação era muito disputada por quem estava em evidência no mundo dos famosos.

A ideia foi tão boa que Faustão manteve mesmo quando saiu da televisão e passou a realizar semanalmente a pizza em sua mansão. Voltada para amigos mais íntimos, como Clodovil Hernandes (1937-2009), que já revelou em entrevistas que as pizzas do Faustão faziam tão ou mais sucesso que o quadro, mas neste caso, nos bastidores e por apenas seus amigos.

Coração gigante

Diversas pessoas já revelaram publicamente que Faustão tem um coração imenso, tanto que muitos artistas fizeram questão de homenageá-lo depois que ele anunciou que não continuaria na Globo. E se ele foi o responsável por lançar dezenas de cantores e artistas no palco do Domingão, no dia a dia Faustão também ajudava muitos amigos que passavam por apertos financeiros.

Segundo publicou o jornal Agora, em 2019, Faustão comemorou os 30 anos do Domingão já tendo doado mais de 200 casas próprias para os funcionários do programa, além de manter e ajudar financeiramente inúmeros amigos que enfrentavam problemas, como Aguinaldo Timóteo. Mas Fausto Silva tem uma única exigência para realizar os atos: que ninguém nunca fale sobre isso porque ele não quer publicidade em cima dos auxílios.

Faustão no Cinema

Muito amigo de Xuxa e um fenômeno no início dos anos 90, Faustão aceitou protagonizar um filme produzido pela empresa da loira. O Inspetor Faustão e o Malandro, teve como co-protagonista Sérgio Malandro, outro nome que fazia sucesso à época, e no elenco haviam nomes importantes como Sandra de Sá e Wando, além de uma atriz iniciante e que se tornaria um fenômeno: Adriana Esteves.

O longa acompanha a história de um inspetor de polícia responsável por encontrar um casal de codornas roubadas do Pantanal porque os ovos possuem propriedades afrodisíacas. Sobre o filme, o apresentador falou a Jô Soares que "foi o único filme brasileiro que vinha com legenda porque ninguém entendia porra nenhuma".



Mais Notícias