Reportar
erro
Representatividade

Rodrigo Sant'Anna promove curso de roteiro em parceria com a Netflix

Projeto desenvolvido pelo ator com o marido, o roteirista Junior Figueiredo, é voltado para negros, LGBTQIA+, idosos e pessoas com deficiência de baixa renda


Rodrigo Sant'Anna e Junior Figueiredo posam para foto em frente à mesa de trabalho, com notebook à frente. No fundo, há um grande relógio e uma prateleira de livros
Casados desde 2019, Rodrigo Sant'Anna e Junior Figueiredo estão envolvidos em projeto com a Netflix para formação de roteiristas - Foto: Divulgação/Janderson Pires
Por Walter Felix

Publicado em 24/03/2022 às 05:05:00

O ator Rodrigo Sant'Anna e o roteirista Junior Figueiredo, casados desde 2019, estão à frente do Clube do Pensamento, cuja nova edição é desenvolvida em parceria com a Netflix. Serão aulas gratuitas e virtuais voltadas para pessoas de baixa renda negras, LGBTQIA+, idosas e com deficiência. O principal objetivo é ampliar a representatividade no audiovisual brasileiro, como eles comentam em entrevista exclusiva ao NaTelinha.

Idealizador do projeto, Junior Figueiredo foi motivado pela própria história de vida: ele saiu do interior da Bahia para tentar carreira na área em São Paulo. Por isso, a edição do Clube do Pensamento voltada para populações vulneráveis tem um significado especial. “Eu poderia citar diversos motivos, mas acho que dois deles são especialmente urgentes: a desigualdade no audiovisual brasileiro e a falta de histórias orgânicas nas produções”, comenta Junior.

“Desde que comecei a escrever era evidente que faltavam pessoas iguais a mim nas salas. Esta semana, ao ler a coluna do Antonio Isupério [ativista e colunista do UOL], me choquei ao ver os números. Como em um país onde 56% da população é negra, apenas 1% ocupa posições de liderança? É um dado assustador.”

Junior Figueiredo

Ele acredita que o curso poderá oferecer capacitação técnica para que novos artistas contem suas próprias histórias. “Espero ver em breve histórias mais plurais, realmente identificáveis que mostrem nosso povo, de dentro pra fora. É uma demanda de mercado e todo mundo sai ganhando.”

Segundo Rodrigo Sant'Anna, formação de roteiristas em humor inclui diferenciais

Rodrigo Sant

“Preto, gay e favelado”, Rodrigo Sant’Anna se define como uma exceção. O projeto é uma maneira de tornar o mercado mais plural: abrindo espaço para que roteiristas com tais características contem suas histórias, haverá mais espaço para atores, diretores e outros profissionais que se encaixam no mesmo espectro.

Ao NaTelinha, ele garante que a formação de um roteirista em comédia inclui diferenciais. O principal deles é a atenção, que deve ser voltada à piada. “Em um filme ou uma série de suspense, você termina o episódio com algo que sirva de gancho para o que vem em frente. No caso do humor, temos que terminar com uma piada potente que resguarde o interesse do espectador em continuar assistindo porque sabe que vai rir com aquilo.”

“Essa qualidade da piada é uma das condições para o roteirista estar mais afinado com a linguagem do humor. Costumo dizer que ‘bom dia’, ‘boa tarde’ não serve para a gente. O ‘bom dia’ e o ‘boa tarde’ têm de ser contados de uma forma engraçada, e como é que fazemos isso? Mostrar isso é a preocupação desse passo a passo para contar uma história, que talvez seja nosso maior diferencial.”

Rodrigo Sant'Anna

Interessados em participar do Clube do Pensamento podem se inscrever pelo site www.clubedopensamento.com.br até domingo (27). As aulas serão realizadas entre abril e junho.

Siga a gente no Instagram

Acompanhe nosso perfil e fique por dentro das quentinhas da TV e famosos

ACESSE!
Mais Notícias