Reclamações

Proibição de compartilhamento de contas na Netflix vira alvo do Procon

Plataforma de streaming está sendo analisada por suposto abuso com assinantes


Logo na Netflix aparecendo na tela da televisão, com pessoa com pés com meia sobre a mesa, ao lado de uma caneca, segurando um controle remoto
Procon investiga possível irregularidade da Netflix em proibir compartilhamento de conta - Foto: Reprodução
Por Redação NT

Publicado em 18/03/2022 às 18:05:00,
atualizado em 18/03/2022 às 18:10:32

O Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de São Paulo iniciou uma investigação pra saber se a atitude da Netflix em começar a vetar contas que compartilham senha com outras pessoas é irregular. O serviço de streaming quer coibir a prática, que é muito comum em todo mundo. Para isso, a empresa já proibiu o compartilhamento de senhas em três país desta a última quarta-feira (16).

Os primeiros lugares a terem usuário proibidos de dividir a conta foram Costa Rica, Chile e Peru. Em breve, o Brasil também sofrerá a alteração. Após a notícia sobre ocaso, usuários usaram as redes sociais para reclamarem da atitude da Netflix.

Também por meio da web,  o Procon de São Paulo revelou que está analisando a possível irregularidade da plataforma de streaming.

"Olá! O caso será analisado. Consumidores com problemas podem registrar a reclamação. Residindo no estado de SP, acesse (site), digitalize os documentos referentes ao problema e faça a reclamação", sugeriu.

Horas depois, a instituição postou novamente sobre o caso, respondendo às reclamações de usuários. "Olá! Estamos acompanhando o caso, que será analisado", escreveu o Procon SP. O NaTelinha entrou em contato com a Netflix para saber o posicionamento da empresa, mas não obteve resposta até o momento.

Netflix tenta a todo custo impedir compartilhamento de conta

imagem-texto

Desde 2017, a Netflix vem lançando testes para tentar bloquear que usuários que distribuem seus acessos para outras pessoas, ainda mais nos últimos meses com a chegada da HBO Max. O NaTelinha apurou que, com a nova política da empresa, os assinantes precisarão acessar a plataforma a partir de um mesmo endereço IP (Internet Protocol, ou protocolo de rede).

Se o acesso vier de uma origem diferente, o usuário precisará digitar um código que chegará por e-mail. Todas as vezes que essa verificação for digitado, o assinante vai precisar trocar a rede Wi-Fi para uma nova, do local de onde a pessoa quer assistir no momento.

Siga a gente no Instagram

Acompanhe nosso perfil e fique por dentro das quentinhas da TV e famosos

ACESSE!
TAGS:
Mais Notícias