Reportar erro
Estreia

Ator de Eu, a Vó e a Boi comenta romance de seu personagem, de 16 anos, com mulher de 70

Matheus Braga e Stella Miranda dão vida a casal inusitado em série da Globo

Matheus Braga e Stella Miranda em cena da série Eu, a Vó e a Boi, que será exibida na Globo
Em Eu, a Vó e a Boi, Matheus Braga e Stella Miranda dão vida ao casal Matdilou e Mary Tyler - Foto: Reprodução/Globo
Redação NT

Publicado em 21/11/2021 às 16:30:04,
atualizado em 21/11/2021 às 22:22:30

Na série Eu, a Vó e a Boi, produção original do Globoplay que vai ao ar nesta semana na Globo, há um romance inusitado entre um adolescente de 16 anos e uma mulher de 70. O caso entre os personagens de Matheus Braga e Stella Miranda promete causar polêmica, como anteviu o ator em entrevista ao canal Intervenção, de Roger Turchetti.

“No começou, o meu personagem, Matdilou, está mais interessado no dinheiro que a Mary Tiler pode oferecer. Depois, acaba gostando verdadeiramente, se apaixonando por ela”, detalha Matheus Braga. A série marcou mais uma parceria do jovem ator com Miguel Falabella, criador da produção, com quem já fez vários trabalhos no teatro.

Matheus diz que não vê o romance entre os personagens como criminoso. “Pelo fato de o Matdilou ser emancipado, não configura um crime. Ele faz questão de falar: sou emancipado, dono do meu corpo e das minhas regras”, relata o ator, que contracena com nomes como Arlete Salles e Vera Holtz na série.

A emancipação é algo em comum entre intérprete e personagem. “Na série, sou emancipado, e eu também fui emancipado para fazer a série. Antes da maioridade, tive responsabilidades legais de uma pessoa com 18 anos”, lembra. “Estou com a expectativa lá no alto, espero que o pessoal goste. São histórias trazidas sob vários pontos de vista.”

Eu, a Vó e a Boi narra as desavenças entre as vizinhas Turandot (Arlete Salles) e Yolanda, a Boi (Vera Holtz). A história, contada sob o ponto de vista do neto das duas, Robilou (Daniel Rangel), irmão de Matdilou, é definida por ele como “as crônicas do rancor”. O ódio recíproco é o sentimento mais intenso na vida das duas senhoras. Viúvas e aposentadas, elas usam todo o tempo livre para acirrar a guerra declarada há várias décadas. Tanto que contaminam a todos, desde familiares aos demais que vivem na rua Tudor Afogado.

Lançada em 2019 no Globoplay, a série estreia nesta segunda-feira (22), após o Conversa com Bial, e fica no ar até sexta-feira (26), com cinco episódios.

Assista à entrevista de Matheus Braga ao canal Intervenção:



Mais Notícias