Reportar erro
Investimento

Globoplay produzirá série com base em livro de Caco Barcellos; saiba qual

Livro famoso de Caco Barcellos ganha vida no streaming da Globo

Caco Barcellos no Profissão Repórter
Caco Barcellos terá série no Globoplay com base em livro - Divulgação/TV Globo

Redação NT

Publicado em 24/03/2021 às 09:23:47

O Globoplay vai investir na produção de uma série baseada no livro Rota 66, de Caco Barcellos, que trata sobre o esquadrão da morte da Polícia Militar de São Paulo entre as décadas de 70 e 90. A informação é do jornal O Globo desta quarta-feira (24) e diz que o elenco já está sendo sondado para a série, que ficará a cargo da Boutique Filmes.

Por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a data de início das gravações ainda não foi confirmada. Os roteiros serão de responsabilidade de Teodoro Poppovic, o mesmo autor de Feras, disponível na MTV e Globoplay. Ele também faz parte da série da Amazon, El Presidente.

O Rota 66 foi editado pela primeira vez em 1992 e ganhou o Prêmio Jabuti na categoria Reportagem do ano seguinte. O livro fala sobre a atuação do ROTA (Ronda Ostensivas Tobias de Aguiar) e realizou um longo trabalho de investigação, reunindo dados da violência policial, que identificou milhares de mortos.

O livro de Caco demorou oito anos para ficar pronto. Ameaças não lhe faltaram. A investigação levou que fossem descobertos números altos, como 4200 vítimas mortas pela Polícia Militar de São Paulo. Além do Prêmio Jabuti, o jornalista conseguiu oito prêmios de direitos humanos.

Procurado para confirmar a produção da série, o Globoplay não respondeu até o fechamento desta matéria.

Caco Barcellos no Profissão Repórter

Surgindo como um quadro do Fantástico, o Profissão Repórter se transformou programa fixo da Globo em 2008. O jornalístico mostra Caco e jovens repórteres indo às ruas para mostrar diferentes ângulos do mesmo fato e da mesma notícia, sempre com uma missão a cumprir.

No ano passado, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a atração acabou suspensa. Neste ano, o jornalístico voltou ao ar com o reforço de três novos integrantes. Caco, por ter 71 anos e fazer parte do grupo de risco, montou um estúdio em casa para encabeçar a produção.

Mais Notícias