Sucesso

Cinco motivos que transformaram Bom Dia, Verônica numa febre na Netflix

Série brasileira virou um fenômeno no Brasil

Cinco motivos que transformaram Bom Dia, Verônica numa febre na Netflix
Bom Dia Verônica é um sucesso da Netflix Brasil - Foto: Divulgação

Daniel César

Publicado em 20/10/2020 às 06:44:00 ,
atualizado em 20/10/2020 às 10:04:18

Após um período com muitas críticas em suas séries originais, a Netflix Brasil voltou a ser protagonista de uma produção nacional transformando-se automaticamente em febre entre o público. Trata-se de Bom Dia, Verônica, série baseada no livro homônimo e que foi lançado no mês de outubro na plataforma de streaming e rapidamente virou alvo de elogios de crítica e do telespectador em geral.

A série acompanha o dia a dia de Verônica Torres (Tainá Muller), uma escrivã da polícia civil, que começa a investigar crimes cometidos contra mulheres e que a levam para uma conspiração que pode colocar a vida dela em risco. Original da Netflix, a série é produzida pela Zola, produtora que tem a atriz Cláudia Abreu como sua diretora de conteúdo.

Confira cinco motivos para ver Bom Dia, Verônica:

Elenco global

Embora original da Netflix Brasil, a série tem um elenco de peso e global. Além de ser protagonizado por Tainá Muller, que também está no ar atualmente na reprise de Flor do Caribe, a produção conta ainda com pelo menos mais duas figurinhas tarimbadas em papéis de peso nas tramas da emissora carioca: Du Moscovis e Camila Morgado.

Além disso, o restante do elenco é formado por diversos atores e atrizes que já são conhecidos do grande público, por conta de seus trabalhos na TV aberta, principalmente na Globo. É o caso de Adriano Garib, o eterno Russo de Salve Jorge (2013) e que também ganha papel importante, embora coadjuvante, além de Elisa Volpato, que alcançou o sucesso em Assédio (2018).

História eletrizante

Mas apenas um elenco não costuma sustentar o público por mais do que um episódio. É o caso de Bom Dia, Verônica, que mantém a atenção do público com uma história eletrizante. Enquanto a escrivã protagonista da história tenta ajudar mulheres enganadas por um estelionatário, ela acaba descobrindo uma história muito maior e dá de cara com um serial killer.

Sem medo de esconder a história, os oito episódios da primeira temporada mostram que a série não tem problema em avançar com direito a perseguições, tiroteio e, claro, muitas mortes. E não se tratam de mortes de personagens menores, como costuma acontecer em produções do tipo, mas de quem é fundamental para a narrativa da temporada, o que mostra coragem.

Vilão de novela

Du Moscovis vem sendo considerado por grande parte do público e da crítica como impecável no papel do policial militar Brandão. O vilão da primeira temporada de Bom Dia, Verônica é tão mau, mas tão mau, que parece desses saídos diretamente de telenovela e capaz de provocar os mais variados tipos de sensações do telespectador, como assediar, violentar e destruir a vida da própria esposa.

Brandão é um serial killer típico de séries do tipo ao mesmo tempo em que é puramente mau, ou seja, o arquétipo do vilão de novela está presente e o público brasileiro se familiariza rapidamente. O ator foi bastante elogiado nas redes sociais por conta de seu trabalho, bem diferente das críticas que ele e todo mundo recebeu em seu mais recente trabalho na Globo, a novela O Sétimo Guardião (2019).

Heroína

Verônica não é uma mocinha de novela, mas é uma heroína. Uma espécie de Carrie (Homeland) versão tupiniquim e que não tem medo de enfrentar o sistema para encarar a situação de frente e acabar com o vilão. Mas a personagem é multifacetada e enfrenta problemas nas relações familiares - outra aposta folhetinesca que acaba atraindo os olhares dos brasileiros.

Com direito a rivalidade feminina entre ela e Anita (Eliza Volpato), a personagem é o escape de todos os equívocos que outros personagens possuem na temporada, mas se engana quem pensa que, por causa disso, ela acerta o tempo todo. Esse, aliás, é um dos charmes de Bom Dia, Verônica.

Tema moderno

Colocar uma mulher como investigadora de um crime não chega a ser algo inovador, já que a TV americana faz isso há algum tempo com produções como CSI, Arquivo X, Cold Case e tantas outras. Mas uma mulher que caça um serial killer, acusado de violar, torturar e assassinar mulheres, torna o tema de Bom Dia, Verônica algo moderno porque dá empoderamento para o sexo feminino.

E não se trata de militância com discursos vazios ou números jogados para o público, como costuma acontecer em produções nacionais. A série se preocupou em mostrar ao público o que acontece, sem necessariamente explicar e, com isso, o tema moderno acabou ganhando dramaturgia.


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!