As escolhidas

A Força do Querer, Haja Coração e Flor do Caribe: Como a Globo escolheu as novas reprises

As três novelas irão estrear nas próximas semanas nas principais faixas da Globo

A Força do Querer, Haja Coração e Flor do Caribe: Como a Globo escolheu as novas reprises
Volta das três novelas, como A Força do Querer, teve motivos na Globo - Foto: Montagem

Publicado em 31/07/2020 às 04:31:54

Por: Daniel César

A Globo anunciou nas últimas semanas as próximas reprises que irão ocupar as três principais faixas de dramaturgia da casa: o horário das seis, das sete e das nove. Foram escolhidas Flor do Caribe (2013), Haja Coração (2016) e A Força do Querer (2017) enquanto a emissora ainda não retorna com suas produções inéditas em virtude da pandemia do coronavírus e que colocou todo o país em quarentena. Mas a escolha não se deu por um único critério e os motivos foram os mais diversos.

Segundo o NaTelinha apurou, a principal escolha foi a da faixa mais nobre, o horário das nove. Houve diversas reuniões entre os principais executivos, inclusive Silvio de Abreu, que está balançando no cargo, e algumas tramas foram selecionadas como favoritas ao posto. Como a Globo determinou que apenas produções filmadas em HD podem ir ao ar, isso significa que a escolha estava limitada a folhetins desta década.

A dificuldade para escolher uma novela das nove era difícil porque a decisão mais óbvia acabou de ir ao ar no Vale a Pena Ver de Novo: Avenida Brasil (2012), que encerrou sua trajetória como um fenômeno vespertino do canal. Boa parte das novelas exibidas às 21h não foi considerado um sucesso de público ou repercussão nos últimos 10 anos, o que complicou na seleção.

Foi por conta disso que os executivos optaram por duas tramas como favoritas: A Força do Querer e Amor à Vida (2013). Pesou contra a última o fato dela ser escrita por Walcyr Carrasco, que já está no ar com Êta Mundo Bom, mas nada que fosse impeditivo, já que ele virou uma espécie de Janete Clair do século XXI e vem emplacando uma sucessão de novelas nos últimos anos.

Fontes ouvidas pela reportagem também lembraram de um elemento fundamental na escolha da história protagonizada por Juliana Paes e que detém o título de uma das maiores audiências do horário nos últimos anos. Gloria Perez não havia ficado nada satisfeita com o falso boato de que ela teria sido demitida da Globo e nos bastidores chegou a se aventar a possibilidade de que a nota havia sido inventada por alguém do próprio canal. Para acalmar a novelista, a estratégia seria escolher uma obra dela, enquanto a autora prepara seu próximo trabalho, ainda sem previsão de ir ao ar por causa da suspensão das novelas.

Diante do cenário, Ricardo Waddington e Silvio de Abreu concordaram que a escolha mais viável seria A Força do Querer, que foi confirmada pela Comunicação da Globo, como substituta de Fina Estampa (2011). Já a novela inédita de Gloria Perez, que já tem até elenco escalado segundo a própria autora, deve ir ao ar quando o canal retornar as tramas inéditas, mas bem adiante, pois antes será exibida a segunda parte de Amor de Mãe, sendo substituída por Um Lugar ao Sol, que marcará a estreia de Lícia Manzo na faixa, e Olho por Olho, nome provisório da novela de João Emanuel Carneiro, com Glória Pires e Letícia Colin nos papéis principais.

A Força do Querer, Haja Coração e Flor do Caribe

Se no horário das seis a preferida de Silvio de Abreu era Lado a Lado, pesou a opinião de Waddington, que considerava uma escolha arriscada. Embora o folhetim de 2013 tenha ganhado o Emmy Internacional, não obteve bons frutos de audiência quando foi exibida originalmente e, além disso, seria a terceira novela de época consecutiva na faixa, que antes exibiu Éramos Seis e, atualmente, a reprise de Novo Mundo.

Neste ponto, Flor do Caribe foi considerada muito mais ajustada para o horário, que vem sofrendo com baixo desempenho da atual reprise e precisa de subida nos números. A história criada por Walter Negrão e protagonizada por Henri Castelli e Grazi Massafera não foi um fenômeno de audiência na época em que foi exibida, mas conquistou resultados considerados satisfatórios, por isso a escolha, que havia sido antecipada pelo NaTelinha com exclusividade.

Como a opinião de Ricardo Waddington pesou muito tanto às seis quanto às nove, coube ao horário das sete ser liberado para Silvio de Abreu. Não havia muitas possibilidades, pois a faixa é repleta de fracassos na última década. Embora tenha se cogitado o retorno de Ti-ti-ti (2010) e até de Rock Story (2017), a decisão por homenagear o atual diretor de dramaturgia falou mais alto e, por isso, o martelo batido foi por Haja Coração, que é de Daniel Ortiz, mas baseado na obra de Silvio, Sassaricando. A novela também não figura na lista dos maiores Ibopes da década no horário das 19h, mas passou longe de fracassar como outras obras. O anúncio não caiu no gosto dos telespectadores, que se manifestaram pela volta de Ti-ti-ti.

Bônus: Laços de Família

Também chamou a atenção a Globo ter anunciado tão previamente a substituta de Êta Mundo Bom (2016) para o Vale a Pena Ver de Novo. O nome de Laços de Família (2000) foi uma decisão fruto de muita conversa entre os principais executivos da casa, segundo apurou o NaTelinha. Isso porque, após quatro sucessos consecutivos no horário (Cordel Encantado, Por Amor, Avenida Brasil e Êta Mundo Bom), era necessário uma novela forte para manter a atenção do público, segundo afirmaram fontes do canal.

Por isso uma das tramas mais icônicas de Manoel Carlos foi escolhida para assumir o posto, o que acabou por obrigar o Globoplay a mudar seu croograma de novelas em seu catálogo, que previa Laços de Família para o início de agosto.


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!