Sandro Nascimento
Reportar erro
Exclusivo

Diretor destaca formato do "Fofocalizando" e afirma: "não posso censurar"

Consolidado, programa abriu novas cotas de patrocínio, conta

fofocalizandonovo_c0ece9682b91b859301574baa8c8a6dfb6a11b2d.jpeg
Fotos: Divulgação
Sandro Nascimento

Publicado em 31/08/2017 às 12:59:07

Completado um ano de exibição, o "Fofocalizando" se consolidou com uma revista eletrônica que fala de celebridades com a linguagem da dona de casa, nas tardes do SBT.

O programa foi idealizado por Silvio Santos, após o apresentador observar um novo nicho entre os telespectadores, ainda não explorado pela emissora: a vida dos famosos por trás das câmeras.

Em conversa com o NaTelinha, o diretor da atração, Márcio Esquilo, destacou que o "Fofocalizando" acabou encontrando seu formato ao longo deste um ano, deixou somente de repercutir a notícia e passou a pautar a imprensa e outros programas do gênero, através das exclusivas do jornalista Leo Dias.

"Não apenas repercutimos notícias de internet. Fomos os primeiros a dar a morte do Domingos Montagner, o Léo foi o primeiro que falou sobre José Mayer, o assédio moral de um diretor da Globo, o programa já tem sua características. Além disso, checamos tudo antes de ir ao ar", diz o diretor, que comemora a informação que a área comercial do SBT abriu mais duas cotas de patrocínio.

Diretor destaca formato do \"Fofocalizando\" e afirma: \"não posso censurar\"

Em julho, o "Fofocalizando" consolidou 6,0 pontos na média nacional (Painel Nacional de Televisão) com pico de 7,0, segundo a medição do Ibope Kantar. Em São Paulo, a média oscila entre 5 e 6 pontos de audiência.

Para Márcio Esquilo, além das exclusivas, o debate no palco com Leão Lobo, Mamma Bruschetta, Décio Piccinini e Mara Maravilha acrescenta na dinâmica e na busca de uma linguagem popular no programa.

"Cada um com sua opinião, com seu jeito e eu não boto nada na boca deles. Eu sempre digo: 'vocês são responsáveis pelo que vocês falam'. O debate tem que ser assim, eu não posso censurar", explica o diretor, que elogia a atitude de Mara Maravilha, após a apresentadora ser envolvida numa recente polêmica de homofobia durante uma discussão: "as pessoas podem não gostar de uma opinião, mas eu achei legal da parte dela, que foi no ar e pediu desculpas. A Mara não é homofóbica".

Sobre a rotina da atração, ele conta que as matérias apresentadas no "Fofocalizando" são produzidas no mesmo dia que são veiculadas e que as reuniões de pauta iniciam por volta das 8 da manhã. "Todo dia é uma correria, olha que colocamos coisa quente, não é coisa de gaveta. Tenho a preocupação de não só colocar uma foto no ar para ilustrar matéria, gosto de fazer sempre um vídeo", diz Esquilo.

Diretor destaca formato do \"Fofocalizando\" e afirma: \"não posso censurar\"

Por se tratar de um programa ao vivo, o diretor explica que é normal pedir para terminar um assunto e partir para outro, de olho no real-time do Ibope, mas se estiver exibindo uma matéria, não corta, exibe até o fim em respeito ao telespectador e exemplifica: "Se for um VT Top 10 até posso dividir, mas reportagem não dá. O público não tem culpa".

Esquilo revela que o quadro do triturador foi criado por eles e é um dos preferidos de Silvio Santos e que em breve poderá ter novidades.

Ao ser questionado sobre como chegou a proposta para dirigir o programa, ele recorda: "eu cheguei numa quinta no SBT e eles me perguntaram se eu queria fazer. Eu disse: 'quero'. A gente montou a equipe na sexta, não todos, e o programa teve que ir ao na segunda. Não tinha cenário. Hoje colher os frutos é muito legal". E ainda completa: "O 'Fofocalizando' vai crescer muito! O 'Balanço Geral' demorou sete anos para chegar ao sucesso de hoje".