Exclusivo

Protagonista do filme de Danilo Gentili questiona repercussão negativa: "Não há apologia à pedofilia"

Ator passou conta que pensa qual seria a verdadeira motivação de tamanha repercussão negativa


O ator Daniel Pimentel antes, no filme e atualmente
Daniel Pimentel gravou o filme quando tinha 17 anos de idade; agora está com 22 - Foto: Reprodução/Instagram
Por Thiago Forato

Publicado em 17/03/2022 às 05:05:00,
atualizado em 17/03/2022 às 09:17:27

O filme Como se Tornar o Pior Aluno da Escola (2017), de Danilo Gentili, se viu envolvido em uma polêmica ao longo da semana. Acusado pelo deputado estadual André Fernandes (PL) de fazer apologia à pedofilia, o longa-metragem foi proibido de estar em qualquer catálogo de streaming e teve sua classificação alterada pelo Ministério da Justiça. O protagonista da produção, Daniel Pimentel, que integrou o elenco quando tinha 17 anos de idade, reflete sobre tamanha repercussão negativa cinco anos depois da estreia. "Não há nenhuma apologia à pedofilia", defende em entrevista ao NaTelinha, agora aos 22 anos.

Na pele de Pedro, Daniel contracenava com Bruno Munhoz, intérprete de Bernardo na produção. É o personagem de Pimentel que encontra no banheiro do colégio um diário contaminado com dicas para instaurar o caos na escola. O objeto pertenceu à Danilo Gentili, que provocou uma balbúrdia por lá 20 anos antes. Juntos, os dois decidem quebrar as regras de vez com um grande mentor.

A cena que vem sendo postada insistentemente na web coloca os dois meninos na frente do personagem de Fábio Porchat, vilão da história. Ele sugere que a dupla o masturbe em troca de um favor. "Sou ator e portanto, entendi que a cena fazia parte de um contexto muito maior. Era parte do roteiro", recorda ele.

Por conta disso, Daniel assegura que jamais pensou que a cena poderia causar qualquer tipo de desconforto, já que Porchat não interpretava um herói na produção. "O que vejo hoje acontecer é a divulgação de uma minúscula parte do enredo em detrimento do filme todo", lamenta.

Não houve incômodo para gravar a cena, diz

Protagonista do filme de Danilo Gentili questiona repercussão negativa: \"Não há apologia à pedofilia\"

Daniel relembra que não tomou conhecimento de nenhum burburinho nos sets de gravações por conta da cena que chocou o deputado André Fernandes, e também não houve nenhum incômodo por parte dos atores. "É arte e sou ator. Estudo muito para me sentir à vontade em qualquer papel."

"Com tantos vilões pelas telas, desde que o cinema é cinema, me faz pensar qual seria a verdadeira motivação de tamanha repercussão negativa anos depois da estreia."

Daniel Pimentel sobre a onda críticas em relação ao filme

Questionado sobre a razão do filme estar sendo criticado somente agora, admite que ainda não tem uma opinião formada. "As coisas aconteceram muito rápido", surpreende-se.

O ator conta que recebeu muitas mensagens e vem respondendo a todas elas. "A maioria apoia e elogia o filme. Os poucos haters que me procuraram me coloquei à disposição para o diálogo. Aqueles que assistiram o filme receberam bem o meu ponto de vista acerca do roteiro e muitos deles recuaram nas ofensas", encerra.

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
Mais Notícias