Briga de foice

Globo desafia governo Bolsonaro e mantém filme de Danilo Gentili: "Censura"

Emissora alega que decisão do Governo Bolsonaro é inconstitucional


Logo Globoplay; Fábio Porchat na pele do personagem no filme polêmico
Globo decide manter filme polêmico de Danilo Gentili após Ministério da Justiça proibir exibição - Foto: Reprodução

A Globo decidiu manter o filme Como se Tornar o Pior Aluno da Escola (2017) em seus serviços de streaming, Globoplay e Telecine, após o longa ser proibido de ser exibido em qualquer plataforma pelo Ministério da Justiça e Segurança Público nesta terça-feira (15). A produção estrelada por Danilo Gentili e Fábio Porchat repercutiu por causa de uma cena supostamente fazer apologia à pedofilia. Na sequência protagonizada pelo personagem de Porchat, ele pede sexo oral de duas crianças (ou adolescentes).

A Globo classificou a decisão do Ministério da Justiça e Segurança Pública como censura, já que a emissora entende que a resolução do Governo Jair Bolsonaro é inconstitucional, e afirmam que o filme continuará nos streamings que administra.

"O Globoplay e o Telecine estão atentos às críticas de indivíduos e famílias que consideraram inadequados ou de mau gosto trechos do filme 'Como se tornar o pior aluno da escola' mas entendem que a decisão administrativa do ministério da Justiça de mandar suspender a sua disponibilização é censura. A decisão ofende o princípio da liberdade de expressão, é inconstitucional e, portanto, não pode ser cumprida", diz a Globo em nota.

Segundo a decisão do Ministério da Justiça, as empresas que não tirarem o filme do ar podem ser multadas em R$ 50 mil por dia. Contudo, especialistas afirmam que o Ministério não tem o poder de impedir a circulação de uma obra artística como o longa.

O filme também está disponibilizado na Netflix, como stream, e na Apple TV, Looke e Google Play por meio de aluguel, contudo essas plataformas ainda não se posicionaram sobre o caso. Vale ressaltar que a decisão do Governo Bolsonaro em proibir o filme afeta também até as empresas que não possuem a obra em seu catálogo, como o Amazon Prime Vídeo e HBO Max.

Apesar do filme ser de 2017, o caso só ganhou repercussão nesta segunda-feira (14). Uma das denúncias da referida cena que mais repercutiram foi a do político André Fernandes (do PL, mesmo partido de Jair Bolsonaro). "Denúncia gravíssima! Atenção pais a mães! Isso não pode ficar impune. Façam a parte de vocês também", pediu ele, mostrando a cena indignando. Após a repercussão, famosos apoiaram o político

Nota oficial da Globo confirma o não cumprimento de decisão do MJ

imagem-texto

Confira a nota do Globoplay e do Telecine na íntegra:

"O Globoplay e o Telecine estão atentos às críticas de indivíduos e famílias que consideraram inadequados ou de mau gosto trechos do filme 'Como se tornar o pior aluno da escola' mas entendem que a decisão administrativa do ministério da Justiça de mandar suspender a sua disponibilização é censura. A decisão ofende o princípio da liberdade de expressão, é inconstitucional e, portanto, não pode ser cumprida.

As plataformas respeitam todos os pontos de vista mas destacam que o consumo de conteúdo em um serviço de streaming é, sobretudo, uma decisão do assinante – e cabe a cada família decidir o que deve ou não assistir. O filme em questão foi classificado, em 2017, como apropriado para adultos e adolescentes a partir de 14 anos pelo mesmo ministério da Justiça que hoje manda suspender a veiculação da obra".

Siga a gente no Instagram

Acompanhe nosso perfil e fique por dentro das quentinhas da TV e famosos

ACESSE!
Mais Notícias