Longa-metragem

"Tons de Clô": Vida de Clodovil vai virar filme baseado em livro

Estilista e apresentador terá sua trajetória contada nos cinemas

Clodovil vai ter sua vida contada no cinema - Foto: Divulgação

Publicado em 09/07/2019 às 15:39:51 ,
atualizado em 09/07/2019 às 16:31:36

Por: Daniel César

A história do estilista Clodovil Hernandes ganhará os telões dos cinemas brasileiros. A produtora All Screens Films comprou os direitos da biografia do apresentador, Tons de Clô, escrita pelo jornalista Carlos Minuano. Agora acontecerá a adaptação do enredo, que será transformada num longa-metragem.

Para que o projeto saia do papel, o Governo Federal, através da ANCINE (Agência Nacional do Cinema), aprovou um orçamento de R$ 8 milhões para que a produtora possa captar com empresas da iniciativa privada, tendo como objetivo de angariar os valores e pagar os profissionais envolvidos no projeto.

“Clodovil – A Lente da Verdade” é o título provisório e a distribuição ficará sob responsabilidade da Europa Filmes. A produção terá a direção de Rodrigo César, responsável pelo longa “Lucicreide Vai Pra Marte”, que ainda não foi lançado.

Os envolvidos no projeto, além de captar o dinheiro para produção do filme, irão também buscar atores dispostos a fazer parte do enredo. O artista que dará vida ao protagonista terá que passar por teste, sendo que a decisão final ficará nas mãos de Rodrigo e seus colegas de equipe.

Carreira de Clodovil

O artista iniciou no mundo da moda, conquistando a admiração de várias mulheres da elite brasileira, como Elis Regina e da família Diniz e Matarazzo. Em 1960, ganhou o “Agulha de Ouro”. Sua rivalidade com Dener Pamplona de Abreu ficou tão marcada, que inspirou o autor Cassiano Gabus Mendes e surgiu a telenovela “Tititi” (1985).

Na década de 1980, Clodovil entrou no mundo da dramaturgia e estreou na peça “Seda Pura e Alfinetadas”. Mas sua popularidade aumentou quando se tornou uma figura conhecida da televisão.

Convidado pela Globo, fez parte da equipe “TV Mulher”, dividindo o comando com Marília Gabriela, Ney Gonçalves Dias, Ala Szerman, Xênia Bier e Marta Suplicy. Ele lia cartas de mulheres que queriam dicas e sugestões sobre peças de roupas. Sua saída ocorreu após ele discutir com Marília Gabriela ao vivo.

Fora da Globo, passou pela Band, TV Manchete, CNT, Gazeta e, por fim, RedeTV!. Foi no “A Casa é Sua!” que Clodovil se envolveu nas maiores polêmicas. Brigou com os integrantes do “Pânico na TV”, criticou publicamente os diretores da emissora, chamou a vereadora Claudete Alves de “macaca de tailleur metida a besta”, entre outros problemas.

Demitido do canal, candidatou-se a Deputado Federal em 2006, ganhando o cargo. No plenário, chamou a então parlamentar Cida Diogo de feia, fazendo-a chorar.

Clodovil morreu no dia 17 de março de 2009, aos 71 anos.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!