Reportar erro
Alinhadas

TVs com viés de direita crescem no Governo Bolsonaro

Três emissoras vêm crescendo; todas elas estão alinhadas com o presidente

Dissico, Tutinha e Rubens Menin
Dissico, Tutinha e Menin: TVs vêm em ascensão - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 09/07/2021 às 05:00:01,
atualizado em 09/07/2021 às 09:32:07

O que a Jovem Pan, CNN Brasil e TV A Crítica têm em comum? As três, além serem grupos consolidados de comunicação, também estão alinhadas com o Governo Bolsonaro. Com viés de direita, elas ainda vêm crescendo desde que Jair Bolsonaro (sem partido) assumiu o poder, em 1º de janeiro de 2019.

A Jovem Pan vai colocar em prática o grande sonho da vida de Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, mais conhecido como Tutinha. A Panflix, plataforma de notícias lançada por ele em 2019, foi apenas o embrião do que estava por vir: seu próprio sinal para TV aberta.

Nos próximos meses, a Panflix é que vai ficar com a frequência que até pouco tempo atrás era da Loading. Com isso, Tutinha terá a quinta maior cobertura da TV aberta do país, ficando atrás apenas da Globo, SBT, Record e Band. Em todo o país, são 46 canais, com importantes capitais e pontos cruciais do interior do país, como o de São Paulo.

O grupo se tornou uma espécie de Fox News brasileira, com editorial de direita e tendo forte simpatia pelo Governo Bolsonaro. Nos últimos meses, a Jovem Pan comprou switcher, equipamento para melhorar recepção de sinal, fez reformulações em estúdio, contratou equipe e iniciou o desenho de uma grade de programação para este novo desafio. O objetivo é fazer com que a marca também seja um canal de notícias consolidado.

Bolsonarista, Tutinha negou à Folha de S.Paulo que o fato de estar alinhado com o governo seja benéfico para conseguir concluir seus planos. "É uma parceria: eles entram com o espaço e a Jovem Pan entra com o conteúdo, não tem nada a ver com o governo", disse, referindo-se a parceria com os irmãos Rodrigo e Paulo Garcia, donos do Grupo Kalunga e do canal 32 UHF de São Paulo.

O plano inicial era fazer com que o projeto TV aberta funcionasse já a partir de julho, o que não será possível. Com isso, o grupo estará disponível em pacotes de TV por assinatura e negocia em outras plataformas. “Estamos muito em evidência no jornalismo e fomos procurados por mais de uma TV para aproveitamento do conteúdo que produzido para a Panflix. A ideia é entregar 24 horas diárias de produção, com jornalismo e esporte", disse o Tutinha à Folha de São Paulo, sobre ocupar o canal 32.

Da grade atual, em um novo desenho para a TV aberta e ampliação do sinal, ficariam o Jornal da Manhã, Três em Um, Pingos nos Is e o Pânico, O restante passaria por uma reestruturação, unindo informação e opinião, numa tentativa de combater as concorrentes Record News, Band News, GloboNews e a própria CNN Brasil.

CNN Brasil e A Crítica também estão alinhados com Bolsonaro

TVs com viés de direita crescem no Governo Bolsonaro

A CNN Brasil, que entrou no ar poucos dias antes da pandemia começar, em 2020, também vê seu dono aliado com os pensamentos do presidente da República. No último mês de junho, inclusive, o empresário Rubens Menin, dono do canal, fez uso de suas redes sociais para fazer declarações polêmicas sobre sua posição no tratamento precoce a Covid-19.

"Mesmo para leigos como eu, parece bastante óbvio, quanto mais cedo começarmos um tratamento médico de qualquer doença, inclusive Covid, melhores serão os resultados. Não entendo a lógica que alguns defendem, em retardar qualquer tratamento. Imagino que as chances serão menores", escreveu ele.

O NaTelinha apurou que depois disso, funcionários ficaram apreensivos. A declaração causou alvoroço, já que jornalistas se empenham em passar a informação correta para o público e já houve notícias, por exemplo, que não há tratamento precoce contra o vírus.

A CNN Brasil também vem estudando maneiras de ampliar seu sinal e estava na concorrência pela frequência da antiga MTV. Em 2020, contudo, o conglomerado já havia demonstrado crescimento, atingindo 316 milhões de páginas visualizadas, ultrapassando veículos de comunicação nacionais.

O "boom" da TV A Crítica

TV A Crítica é uma emissora de TV de Manaus. É lá, por exemplo, que o programa de Sikêra Jr. é realizado. Desde sua independência, em 2019, retransmite em caráter provisório conteúdos da RedeTV!, e tem planos audaciosos, como a CNN e Jovem Pan.

Em abril, Jair Bolsonaro aproveitou sua passagem por Manaus para inaugurar a nova temporada do Centro de Convenções Vasco Vasques. Acompanhado de ministros, chegou a conceder entrevista exclusiva de quase uma hora a Sikêra Jr., que vem sendo criticado por falas homofóbicas.

Desde aquele período, a TV A Crítica vem se preparando para se tornar uma televisão de alcance nacional. Do Amazonas, ela busca se articular para alçar voos maiores nos próximos meses. Mais recentemente, ainda, ela expandiu seu sinal e chegou aos moradores de Belo Horizonte, que somam oito milhões de pessoas na Grande BH. O grupo amazonense já possui sinal em Belém do Pará e em breve terá sinal também em Recife e Salvador.



Mais Notícias