Reportar erro
Crise no bastidor

Por que o canal Loading acabou?

Emissora ficou no ar por cerca de cinco meses e enfrentou diversos problemas

Logo Loading
Loading coleciona crises em seus bastidores - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 30/05/2021 às 09:03:00

Na última semana, os fãs do canal Loading foram pegos de surpresa com uma bomba. O canal deixou de exibir em sua grade programas inéditos e ao vivo, priorizando apenas as reprises das atrações. A emissora permaneceu pouco mais de cinco meses no ar com conteúdos inéditos, usando a mesma frequência deixada da MTV Brasil, com a promessa de ser "nova MTV" e mirar em materiais de cultura pop, séries, games, e-sports, animes e produtos que englobam o universo jovem.

Na tarde da quinta-feira (27), a direção se reuniu com os funcionários da emissora para anunciar o término de programas inéditos e ao vivo. Com isso, quase 60 pessoas foram demitidas, conforme informou com exclusividade o NaTelinha. A justificativa do executivo Anderson Abraços na reunião é que a Kalunga, principal patrocinador da emissora, desistiu do investimento.

A reportagem entrou em contato a assessoria de imprensa do canal, que ainda não se pronunciou sobre o encerramento das atividades inéditas na programação. O fato é que a desistência de patrocínio não foi apenas a causa do colapso do canal, já que estava em crescimento, inclusive com cotas da Cacau Show e Havaianas fechadas recentemente.

Crise nos bastidores da Loading

A Loading foi lançada no dia 7 de dezembro de 2020 ocupando a frequência da antiga MTV Brasil e, logo na primeira semana, já acumulou crise em seus corredores. Com menos de uma semana, a emissora perdeu profissionais do programa Metagaming e do campeonato de LOL (League of Legends).

Os funcionários que se desligaram acusam a direção da empresa de censura. A debandada da equipe do LLE ocorre poucas horas depois da saída da equipe do Metagaming. Segundo os agora ex-contratados disseram nas redes sociais, a debandada se deu por discordâncias entre a equipe da atração e a direção do canal sobre a linha editorial.

Alguns chegaram a insinuar na web que foram censurados ao publicar uma receita de bolo, prática muito utilizada na Ditadura Militar por jornais quando reportagens eram proibidas de serem colocadas nas páginas dos periódicos.

O fato é que, logo após a decisão da emissora em demitir cerca de 60 funcionários ao encerrar transmissões ao vivo e deixar de exibir conteúdos inéditos, profissionais lamentaram o fim do canal.

Outros colaboradores reclamaram da falta de satisfação do canal para com os profissionais e ainda afirmou que o presidente do canal, Thiago Garcia, bloqueou alguns deles nas redes sociais. Com tantas crises nos bastidores resta esperar se o canal continuará apostando em reprises ou renovará a programação.

Mais Notícias